conecte-se conosco


Economia

Mercado financeiro prevê inflação de 7,67% para este ano

Publicado

Pela segunda semana seguida, o mercado financeiro reduz a expectativa de inflação para 2022. De acordo com o Boletim Focus, divulgado hoje (11) pelo Banco Central, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deste ano deverá ficar em 7,67%. Há uma semana, esse percentual estava em 7,96%; e há quatro semanas, em 8,5%.

O Boletim Focus é uma publicação semanal que reúne a projeção de cerca de 100 instituições do mercado para os principais indicadores econômicos do país. Para 2023, a expectativa de inflação subiu de 5,01% (previsão divulgada na semana passada) para 5,09%. É a 14ª alta seguida.

Há quatro semanas o IPCA estava em 4,7%. Já para 2024, a projeção de inflação aumentou, passando de 3,25% para 3,3%. Para 2025, a projeção inflacionária se mantém estável há 52 semanas, em 3%.

PIB

Com relação ao Produto Interno Bruto (PIB, a soma dos bens e dos serviços produzidos no país), o Boletim Focus desta semana aumentou de 1,51% (projeção divulgada na semana passada) para 1,59% a previsão de crescimento. Há quatro semanas, o cálculo estava em 1,42%.

O PIB estimado para 2023 ficou estável na comparação com a semana passada, 0,5%. Há quatro semanas, estava em 0,55%.

Para 2024, a estimativa apresentada hoje é de 1,8%, ante o 1,81% projetado na semana anterior. Há quatro semanas, o percentual de crescimento era de 2%. Para 2025, a previsão para o PIB se mantém estável em 2% há 35 semanas.

Taxa de juros

O mercado financeiro manteve estável em 13,75% a estimativa para a taxa básica de juros, a Selic, de 2022. Há quatro semanas, a previsão era de 13,25% para o fechamento do ano.

Também se manteve estável a previsão da Selic para 2023, na comparação com o número apresentado há uma semana, de 10,5%. Há quatro semanas, a previsão era de fechar 2023 com uma taxa de 10%.

Para 2024 a previsão é de uma Selic em 8%. Na semana passada estava previsto que a taxa fecharia em 7,75% no ano que vem; e há quatro semanas o valor era de 7,5% – o mesmo percentual previsto para 2025.

Dólar

A estimativa para a cotação do dólar ao final do ano apresentou alta na comparação com a semana passada, passando de R$ 5,09 para R$ 5,13. Há quatro semanas, a previsão era de que a moeda norte-americana fecharia o ano com uma cotação de R$5,01.

De acordo com o Focus, o dólar fechará 2023 cotado a R$ 5,10 – o mesmo valor da semana anterior. Há quatro semanas, a expectativa era de que a moeda apresentaria a cotação de R$ 5,05 ao final do próximo ano.

O boletim projeta, para 2024, uma cotação de R$ 5,06, ante aos R$ 5,07 projetados como cotação há uma semana ; e aos R$ 5,03 projetados há quatro semanas para o final daquele ano.

Para 2025, a estimativa é de uma cotação de R$ 5,15 para a moeda norte-americana, mesmo valor visto no boletim da semana passada. Há quatro semanas, a cotação projetada estava em R$ 5,13.

Edição: Fernando Fraga

Fonte: EBC Economia

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Economia

Como se prevenir de golpes e proteger seu patrimônio

Publicado

Como se proteger de golpes online
Reprodução: Seguradora Zurich

Como se proteger de golpes online

A segurança digital tem se tornado, cada vez mais, uma preocupação para os brasileiros. Estamos vendo nossos dados dentro de dispositivos: celulares, computadores, tablets, etc, e nos vemos completamente reféns quando algo não sai como o esperado.

São muitos os riscos dentro desse universo. Desde um roubo ou furto, que configura em uma ameaça física, até mesmo o vazamento de dados, fraudes, clonagem ou invasão, que consiste em uma ameaça virtual.

Independente dos cenários a ideia é sempre se prevenir, já que nesses casos, remediar fica mais difícil, e em alguns casos, impossível.

Seguradora Zurich separou algumas dicas que podem ajudar na prevenção desses tipos de riscos e proteger melhor seu patrimônio. 

1. Ameaças virtuais Nesse cenário, o conceito principal é a cibersegurança, que nada mais é do que um conjunto de protocolos que visam a segurança no ambiente virtual.

Esse espaço pode englobar desde clonagens em WhatsApp, fraudes de PIX e invasões em dispositivos, como celulares e computadores. 

Itens de segurança que são fundamentais para essa prevenção, segundo a Zurich, são:

– Autenticação em duas etapas; – Uso de senhas fortes e diferentes; – Aplicativos de verificação com biometria ou reconhecimento facial; – Utilizar agregador de senhas, assim você só precisa decorar uma para consultar as outras; Também vale conhecer um pouco sobre a Lei Geral de Proteção de Dados , a LGPD, para entender seus direitos e como se proteger enquanto o uso dos seus próprios dados por empresas e instituições do Brasil. 

2. Ameaças físicas Também existe o cenário em que há ameaças físicas, que englobam roubos, furtos, coação, entre outros. E, em alguns casos, podem ser um primeiro passo para uma violação dos seus dados e um crime virtual aconteça. 

É comum, por exemplo, quando um celular é furtado, ocorrer fraudes nos aplicativos de bancos, no chip do celular e até o contato com familiares forjando sequestro em troca de dinheiro. 

É claro que quando o risco vem de outra pessoa, tudo pode ficar mais complexo, mas a ideia é sempre tentar manter a racionalidade em primeiro lugar, estando sempre atento, sem reagir, utilizar bolsas, bolsos e outros itens reforçados e de boa qualidade.

Além disso, nunca é demais saber dos seus direitos. É válido entender, por exemplo, sobre o conceito de furto simples e qualificado.

– Furto simples: Quando não existem rastros de que houve uma remoção dos itens;

– Furto qualificado: Quando ocorre a violação de algum pertence físico em detrimento ao furto, como por exemplo: bolsa rasgada, arrombamento, etc. Restam “pistas”;

– Roubo: Quando o crime ocorre sob ameaça e violência.

Isso pode mudar principalmente quando é hora de acionar seu produto de seguro, o que nos leva para a terceira dica. Além disso, não deixe de procurar autoridades caso algum infortúnio aconteça.

3. Produtos de seguro É claro que os produtos de seguros visam diminuir os danos causados por um roubo e furto de bens, eletrônicos, cartões, etc, ou garantir a reposição do bem segurado. Muitas categorias podem ser englobadas no caso do  produto Roubo ou Furto Qualificado de Bens da Seguradora Zurich como:

– Bolsas, mochilas, sacolas, carteiras; – Notebooks, Kindle (eBooks e E-readers) – Câmeras; – Celulares/Smartphones; – Tablets; – Óculos; – Até canetas! A ideia é que, além de economizar na reposição de itens em caso de roubo ou furto qualificado, você garante praticidade para focar na sua segurança e bem-estar. O seguro tem como finalidade promover a substituição dos bens por modelos iguais ou similares para essas categorias dos itens listados acima.

Para adquirir esse produto de seguro e ficar mais tranquilo com esses possíveis acontecimentos, é necessário contratar direto com os parceiros da Zurich, que costumam ser varejistas de diversos setores, tais como redes de varejo, empresas de serviço de telefonia e comunicação, como Casas Bahia, Ponto Frio, Fast Shop, Havan, Vivo e muitos outros. Verifique sempre essa opção no momento da compra de seu produto! 

Seus bens merecem esse cuidado, assim como sua tranquilidade. 

Fonte: IG ECONOMIA

Continue lendo

Economia

Bolsonaro diz que dólar vai cair abaixo de R$ 5 ‘brevemente’

Publicado

Bolsonaro diz esperar dólar abaixo de R$ 5 em breve
Reprodução

Bolsonaro diz esperar dólar abaixo de R$ 5 em breve

O presidente e candidato à reeleição Jair Bolsonaro (PL) disse nesta quinta-feira (18) esperar que “brevemente” o dólar caia abaixo de cinco reais, apesar da relutância do câmbio, o que resultaria em  novas quedas dos combustíveis. 

“Espero que continue caindo o preço da gasolina. Logicamente esse preço tem a ver com o dólar, que tem caído, e também o preço do petróleo lá fora”, disse Bolsonaro em sua transmissão semanal ao vivo pelas redes sociais.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG 

“O dólar está relutando a baixar de cinco, eu acho que vai baixar brevemente, afinal de contas a gente só tem notícias boas da economia no Brasil”, acrescentou.

Nesta quinta (18), a moeda americana fechou em R$ 5,17 e abriu a sexta (19) em alta, vendido a R$ 5,20. 

Além do preço do petróleo, que está no menor patamar dos últimos seis anos, o preço dos combustíveis também é influenciado pela taxa de câmbio. 

Na segunda-feira, a estatal anunciou uma redução no preço médio da gasolina nas refinarias em 4,85% , na terceira redução em menos de um mês, resultando em uma queda de R$ 0,18.

O presidente também lembrou das sucessivas reduções de impostos da sua gestão, e atribuiu mérito ao ministro da Economia, Paulo Guedes. 


Fonte: IG ECONOMIA

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana