conecte-se conosco


Política MT

Mauro Mendes garante regularização de repasses da saúde e anuncia construção de 200 pontes de grande porte

Publicado

Governador garante que rigor na gestão propiciou melhora nas contas do Estado [F- Mayke Toscano]

O governador Mauro Mendes (DEM) demonstrou na manhã desta segunda-feira (13), durante a inauguração da Avenida Parque do Barbado, em Cuiabá, que está animado com a situação que colocou Mato Grosso em apenas um ano de gestão. Conforme Mendes, até final de janeiro não haverá nenhum município com dívida em atraso da sua gestão e os fornecedores pagos em dia.

“Nenhum município vai ter uma dívida dos repasses obrigatórios da nossa administração em relação a saúde. Há um ano atrás eram onze meses em atraso e já pagamos uma boa parte do atrasado que tinha dos anos de 2016, 2017 e 2018”, disse o governador, que fez questão de destacar a forma de atuação do seu governo.

“O que mudou em Mato Grosso: foi pago o FEX em 2018, de 2019, não. Caiu dinheiro do céu, não. O que aconteceu foi num passe de mágica, não. É trabalho sério, é honestidade na aplicação do recurso público, é economizar o tempo todo. Porque economia é importante, pois não há dinheiro que dê quando você gasta mal. E aí você começa entregar os resultados para a população”, afirmou.

Leia Também:  Estado atende recomendação da CGE e normatiza procedimentos de bloqueios judiciais da saúde

E essa postura, conforme o governador, será a tônica do seu governo. “É assim que nós vamos continuar em 2020. Temos um planejamento extremamente ousado na área de infraestrutura para os próximos anos. Mas planejamento com os pés no chão. Não vendemos sonhos nem ilusões”, disse, acrescentando que há poucos dias o seu governo autorizou a contratação de projeto básico para a construção de mais de 200 pontes de grande porte no Estado para os próximos anos. “Estamos preparando e vamos soltar várias licitações, serão vários chamamentos”, adiantou.

Segundo Mauro Mendes, o governo até agora está investindo com recursos da fonte 100. “Até agora estamos investindo cem por cento de dinheiro do Estado de Mato Grosso. Vamos fazer aquilo que consegui fazer em Cuiabá. Entregar uma gestão equilibrada, com fornecedores pagos em dia. Mudamos a forma de administrar no Estado e a forma de relacionar com os nossos prestadores de serviço. E as coisas estão saindo, estão acontecendo. E a coisa mais básica e simples, é você pagar em dia o serviço dos prestadores de serviço”, afirmou.

Conforme Mendes, “em 2019 isso mudou radicalmente. É um dever nosso, mas muitas vezes o Poder Público não cumpre com o seu dever. Hoje, se uma medição é entregue na Secretaria de Infraestrura no dia 30, no máximo no dia 15, no mais tardar dia 20 do mês subseqüente, o dinheiro está sendo depositado de acordo com a aprovação da medição”. O governador observou que “isso permite a esses empreendedores, trabalhar com segurança, comprar melhor, pagar melhor e fazer com que as obras aconteçam dentro do padrão de qualidade que nós esperamos, que desejamos no Estado de Mato Grosso”.

Leia Também:  Grupo de deputados trabalha nome de vice-governador para disputar Senado em eventual cassação de Selma

Mendes disse que o governo precisou, para atingir o equilíbrio, tomar uma série de medidas. “Conseguimos durante 2019 implementar uma série de medidas, muitas incompreendidas, questionadas, mas é necessário fazer as mudanças. O que não poderia acontecer era Mato Grosso continuar na mesma direção e com os mesmos resultados que vinha colecionando até 2018. Eu lembro que em janeiro do ano passado nós tínhamos onze meses de atraso na saúde”.

O mesmo fato ocorria com os fornecedores, segundo Mendes. “Tínhamos fornecedores com oito, dez meses de atraso no pagamento. Tínhamos uma inadimplência com onze mil fornecedores no Estado de Mato Grosso. O balanço oficial do Estado trazia 3 bilhões e 575 milhões de reais de restos a pagar. Uma situação próxima de um colapso financeiro, por isso decretamos calamidade financeira naquele momento”, completou.

publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Política MT

Estado aguarda resultado das medidas fiscais para definir pagamento da RGA; números serão apresentados em abril

Publicado

Presidente do Sisma, Oscarlino Alves, que se reuniu durante a semana com membros do Governo de MT[F-Sisma/MT]

O Governo do Estado deverá se reunir em abril com representantes do Fórum Sindical, entidade que congrega os sindicatos que representam os servidores públicos do Estado, para mais uma rodada de negociações sobre o pagamento da Revisão Geral Anual (RGA),dos anos de 2018, 2019 e chegando a data base maio/2020.

Afirmação partiu do presidente do Sindicato dos Servidores Públicos de Saúde do Estado de Mato Grosso (Sisma-MT) e membro do Fórum Sindical, Oscarlino Alves, logo após reunião no Palácio Paiaguás com os secretários de Planejamento e Gestão, Basílio Bezerra, e da Casa Civil, Mauro Carvalho na terça-feira (21).

“O secretário Mauro [Carvalho] disse que o governo está trabalhando para pagar a RGA e irá analisar os impactos sobre a receita do Estado em função das medidas fiscais já tomadas frente as leis aprovadas em janeiro/2019 que criaram condicionantes para o pagamento da RGA”, disse

“Já ficou pré-agendado uma nova reunião para o início do mês de abril, onde o Governo deverá apresentar os números das finanças estaduais”, completou.

Leia Também:  Mauro Mendes defende parcerias entre os Estados para diminuir o custo da administração pública

Na reunião de terça-feira, o Governo do Estado sinalizou positivamente para o pagamento da RGA e também melhorar o andamento dos processos administrativos de progressão de carreira dos servidores. “Estamos trabalhando arduamente para pagar a RGA e as leis de carreira aprovadas em governos anteriores”, destacou o chefe da Casa Civil.

Continue lendo

Política MT

Em MT, 500 mil eleitores podem não conseguir votar na suplementar ao Senado; TRE prorroga prazo para biometria

Publicado


O número representa 20% do eleitorado mato-grossense; prazo é estendido para 21 de fevereiro

O presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), desembargador Gilberto Giraldelli, revelou na última quarta-feira (22), que 500 mil eleitores mato-grossenses correm o risco de não poderem votar na eleição suplementar ao Senado que acontece no próximo dia 26 de abril, porque não realizaram o cadastro biométrico.

Por esse motivo, o prazo para que os eleitores possam fazer a biometria vai até o dia 21 de fevereiro. “Temos um número de 500 mil eleitores com títulos cassados. Talvez por estarem desacreditados, muitos não fizeram ainda o cadastramento eleitoral. Nós temos feito várias e várias campanhas aqui para chamar a atenção da população para a necessidade de vir fazer a sua regularização eleitoral”, afirmou.

Para regularizar o título, o eleitor deve acessar o site do TRE-MT e verificar os locais disponíveis na Justiça Eleitoral.

A realização da eleição em 26 de abril foi estabelecida após o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) determinar que eleições suplementares ocorram no prazo de até 90 dias. A vaga foi aberta após a cassação da senadora Selma Arruda (Podemos) pelo TSE por abuso de poder econômico e uso de caixa 2 nas eleições de 2018.

Leia Também:  Estado atende recomendação da CGE e normatiza procedimentos de bloqueios judiciais da saúde
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana