conecte-se conosco


Política MT

Mendes diz que Estado não suporta mais pagar aposentadoria integral e prepara reforma da Previdência

Publicado

Déficit da Previdência estadual, de acordo com o governador, é de R$ 115 milhões mensais

O governador Mauro Mendes (DEM) está decidido a elaborar uma proposta de lei para a reforma da previdência no governo de Mato Grosso. Segundo Mendes, o Estado não suporta mais arcar com o déficit previdenciário.

“O último relatório que eu vi do sistema previdenciário de Mato Grosso mostrava um prejuízo mensal de R$ 115 milhões com a previdência estadual. Ou seja, por mês, aquilo que nós arrecadamos com o nosso sistema de previdência, 11%, mais 22% do governo como contribuição, ainda faltam R$ 115 milhões. Todo mês sai da energia elétrica, sai do ICMS do combustível, sai de impostos que o cidadão paga, para poder pagar esses servidores aposentados do Estado”, destacou.

Enquanto isso, conforme Mauro Mendes, a conta previdenciária só aumenta. “Cada vez mais eu vejo servidores aposentando com o salário integral, o que não acontece na iniciativa privada, e ganhando salários que vocês conhecem, que estão muito acima do mercado e muitos deles aposentando aí com 45, 48, 50 anos de idade”.

Leia Também:  Júlio Campos diz que DEM nacional exige candidatura própria e vai tentar viabilizar seu nome ao Senado

“Então a pergunta é, até quando Mato Grosso vai aguentar isso? e se é justo isso?. Tenho certeza que não aguentamos por muito tempo e tenho certeza que a resposta também é que isso não é justo. Nós determinamos esse estudo técnico, estou aguardando chegar das nossas equipes técnicas esse relatório final e uma proposta de lei para que aí, sim, faço a análise do encaminhamento ainda esse ano ou em 2020 de uma lei sobre a previdência”.

publicidade
1 comentário

1
Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
paulo roberto Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
paulo roberto
Visitante
paulo roberto

Esse é o Mauro Mentes………kkkkkkkk

Política MT

Justiça bloqueia R$ 2,2 milhões de procurador, esposa e empresa por propina recebida de empresas de ônibus

Publicado

Chico Lima teria recebido propina para atrasar licitação do transporte intermunicipal

O juiz Bruno D’Oliveira Marques, da Vara de Ação Cível e Popular de Cuiabá, determinou o bloqueio de bens do procurador aposentado do Estado Francisco Gomes de Andrade Lima Filho, o “Chico Lima”, de sua esposa Carla Maria Lima e da empresa Pro Nefron – Nefrologia Clínica e Terapia Renal Substitutiva Ltda., de propriedade de Francisco Gomes Neto, filho de Chico Lima. A ação investiga danos causados ao Estado em razão do atraso na licitação do transporte intermunicipal, mediante pagamento de propina, durante o governo Silval Barbosa.

A decisão é de 20 de dezembro e resultou em um total de R$ 2,2 milhões bloqueados da família Lima, sendo: R$ 640 mil de Chico Lima, R$ 324 mil de sua esposa e R$ 1,241 milhão da empresa Pro Nefro. Conforme denúncia do MPE, os valores recebidos referem-se à propina recebida de empresários do setor de transporte intermunicipal entre 2014 e 2015

As investigações ganharam força após a delação premiada do o ex-governador Silval Barbosa, que confessou ter recebido propina para editar um decreto, em 2014, que na prática inviabilizava a licitação do setor, já que o Governo teria que cumprir um Termo de Compromisso de Ajustamento de Conduta firmado em 2007 com o MP, que obrigava o poder público a fazer a licitação até março de 2010.

Leia Também:  Botelho visita Centro de Ressocialização Agrícola das Palmeiras

A concorrência pública foi lançada em 2012 e partir daí as empresas que operavam sem licitação passaram a entrar com medidas judiciais contra o procedimento.

De acordo com o MP, houve pagamento indevido ao então governador, Silval Barbosa, para que o decreto fosse editado. A negociata teria sido de R$ 6 milhões pagos pelo Grupo Verde com articulação de Chico Lima e Júlio Cesar de Lima, que era presidente do Sindicato das Empresas de Transporte Rodoviário de Passageiros do Estado de Mato Grosso (Setromat).

Sem bloqueio

Na mesma decisão, o juiz Bruno D’Oliveira Marques negou o bloqueio de R$ 162 milhões de empresários e empresas de ônibus, também denunciadas pelo MPE.

São elas: Verde Transporte (R$ 75.144.009,60), Viação Sol Nascente (R$ 1.397.725,46), Viação Eldorado (R$ 28.738.955), Empresa de Transportes Andorinha (R$ 8.862.855,15), Expresso Rubi (R$ 18.308.623,73), Transportes Jaó (R$ 7.087.250,87), Viação São Luiz (R$ 597.075,83), Viação Xavante (R$ 13.986.227,57), Rápido Chapadense (R$ 2.435.993) e Orion Turismo (R$ 4.735.518,51).

Continue lendo

Política MT

Prefeito defende coalizão de partidos de esquerda para disputa da eleição suplementar ao Senado

Publicado

Para Zé do Pátio, é fundamental que a oposição se una para construir uma candidatura alternativa aos “barões do agro”

O prefeito de Rondonópolis, José Carlos do Pátio (Solidariedade), presidente estadual do partido, está defendendo a coalizão das forças de esquerda em Mato Grosso para definir um nome único para a disputa da eleição suplementar ao Senado da República, prevista para este ano, com a cassação da senadora Selma Arruda (Podemos), pelo Tribunal Superior Eleitoral.

Selma Arruda foi cassada pelo Tribunal Regional Eleitoral e pelo Tribunal Superior Eleitoral pela prática de caixa 2 durante o período de pré-campanha e abuso de poder econômico.

Conforme Zé do Pátio, por se tratar de um pleito atípico, é fundamental que a oposição se una para construir uma candidatura alternativa, que venha para enfrentar os barões do agronegócio. Na visão do prefeito de Rondonópolis, a eleição do Senado vai se caracterizar numa disputa nacional e não apenas de cunho regional.

“Está havendo uma nova realidade política se formando no Estado e no País, e o momento é de definição, de escolha de lado em que cada partido e grupo estará. Não existe hoje mais espaço para se ficar em cima do muro”, observa o prefeito.

Leia Também:  Botelho visita Centro de Ressocialização Agrícola das Palmeiras

Para o prefeito de Rondonópolis, um dos líderes da coalizão que reúne pelo menos sete partidos, a oposição deve lançar um candidato representativo e com visibilidade eleitoral para ganhar o pleito. O prefeito entende que a eleição suplementar será preparatória para as eleições municipais. Daí – adianta – a necessidade de a oposição marchar unida.

Apesar das discussões estarem incipientes, o prefeito alerta para a necessidade de que se tenha uma definição o mais rápido possível sobre o assunto. No comando da Prefeitura de Rondonópolis, o prefeito Zé do Pátio é bastante conhecido pelo seu perfil populista. Para a disputa do Senado, a ideia, conforme o prefeito, é avaliar perfis e fazer pesquisas para escolher um nome com chance de êxito nas urnas.

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana