conecte-se conosco


Economia

Mega-Sena sorteia R$ 51 milhões neste quarta-feira; veja os números

Publicado

Mega-Sena sorteia R$ 55 milhões nesta quarta-feira
Felipe Moreno

Mega-Sena sorteia R$ 55 milhões nesta quarta-feira

A Caixa Econômica Federal realizou nestquarta-feira (6) o sorteio 2.498 da Mega-Sena com prêmio estimado em R$ 51 milhões. A Caixa deve divulgar os vencedores nas próximas horas. Em caso de nenhum acerto das seis dezenas, o prêmio irá acumular e se aproximar de R$ 51 milhões no próximo sorteio.

Confira os números sorteados:

09 – 12 – 26 – 29 – 46 – 47

Como participar do próximo sorteio? O próximo concurso da Mega-Sena acontece sábado (9), às 20h. É possível apostar até as 19h (horário de Brasília) do dia do sorteio , em qualquer casa lotérica credenciada pela Caixa do país.

Também é possível apostar pela internet. O bilhete simples da Mega-Sena, com seis dezenas, custa R$ 4,50.

Como apostar online na Mega-Sena? Para aqueles que apostarem pela internet, não é possível optar pela aposta mínima, de R$ 4,50. No site da Caixa, o valor mínimo para apostar na Mega-Sena é de R$ 30, seja com uma única aposta ou mais de uma.  Veja aqui como apostar.

Para fazer uma aposta maior, com 7 números, dando uma maior chance de ganhar, o preço sobe para R$ 31,50. Outra opção para atingir o preço mínimo é fazer sete apostas simples, que juntas têm o mesmo valor, R$ 31,50. Além disso, os bolões, disponíveis online, são outra opção viável.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

Como funciona a Mega-Sena? O concurso é realizado pela Caixa Econômica Federal e o vencedor pode receber milhões de reais se acertar as seis dezenas. Os sorteios ocorrem pelo menos duas vezes por semana – geralmente, às quartas-feiras e aos sábados. O apostador também pode ganhar prêmios com valor mais baixo caso acerte quatro ou cinco números, conhecidas como Quadra e Quina, respectivamente.

Na hora de jogar, o apostador pode escolher os números ou tentar a sorte com a Surpresinha. Esse modelo consiste na escolha automática, realizada pelo sistema, das dezenas jogadas. Outra opção é manter a mesma aposta por dois, quatro ou até oito sorteios consecutivos, conhecida como Teimosinha.

Premiação da Mega-Sena Os prêmios costumam iniciar em, aproximadamente, R$ 3 milhões para quem acertar as seis dezenas. Dessa forma, o valor vai acumulando a cada concurso sem vencedor.

Também é possível ganhar prêmios ao acertar quatro ou cinco números dentre os 60 disponíveis no volante de apostas. Para isso, é preciso marcar de seis a 15 números do volante. O prêmio total da Mega-Sena corresponde a 43,35% da arrecadação. Deste valor:

  • 35% são distribuídos entre os acertadores dos seis números sorteados;
  • 19% entre os acertadores de cinco números (Quina);
  • 19% entre os acertadores de quatro números (Quadra);
  • 22% ficam acumulados e distribuídos aos acertadores dos seis números nos concursos terminados em zero ou cinco; e
  • 5% ficam acumulado para a primeira faixa (Sena) do último concurso do ano de final zero ou cinco.

Fonte: IG ECONOMIA

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Economia

Consórcio Infraestrutura MG arremata rodovias do lote Sul de Minas

Publicado

O consórcio Infraestrutura MG, formado pelas empresas Equipav e Perfin, é o vencedor do leilão que concedeu à iniciativa privada rodovias compreendidas entre as cidades de Poços de Caldas, Pouso Alegre e Itajubá, integrantes do lote 2-Sul de Minas, do Programa de Concessões Rodoviárias do Estado de Minas Gerais.

O valor máximo de deságio oferecido pelo consórcio foi de 14,9% do valor constante no edital. A contraprestação que será paga ao consórcio pelo governo mineiro será de R$ 377 milhões. O valor básico da tarifa de pedágio será de R$ 8,32, valor máximo previsto em edital.

Apenas dois consórcios participaram da concorrência realizada na tarde de hoje (17). Além do vencedor, concorreu o Monte Rodovias.

O bloco leiloado, na sede da B3, corresponde a 454,3 quilômetros (km) da concessão rodoviária. Fazem parte do lote 2-Sul de Minas trechos das rodovias BR-459, MG-290, MG-173, MG-295, MG-459, MG-455, LMG-877 e CMG-146. O prazo de concessão é de 30 anos.

O projeto foi estruturado sob a liderança da Fábrica de Projetos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O Programa de Concessões Rodoviárias do Estado de Minas Gerais tem outros lotes a serem concedidos. Ainda não foram estabelecidas datas para a concessão.

O programa foi dividido em sete lotes – seis estruturados pelo BNDES – e busca atrair investimentos de R$ 11 bilhões por meio da concessão à iniciativa privada de cerca de 3.250 quilômetros de rodovias.

Na semana passada, a Justiça Federal havia suspendido a realização desse leilão. Mas o governo mineiro conseguiu derrubar a liminar e realizar o leilão na tarde de hoje.

No dia 8 de agosto, o consórcio Infraestrutura MG já havia arrematado a concessão de 627 quilômetros de rodovias do lote 1-Triângulo Mineiro, sem concorrência. Os trechos leiloados no lote 1 estão localizados na região do Triângulo Mineiro e reúnem importantes vias de ligação entre os municípios de Uberlândia, Uberaba, Patrocínio, Perdizes e Araxá.

No dia 12 de agosto, o grupo italiano INC venceu o leilão de concessão do Rodoanel da Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Segundo o secretário estadual de Infraestrutura e Mobilidade, Fernando Marcato, o governo mineiro apelidou essa semana de concessões rodoviárias de Infra Uai, uma brincadeira com a Infra Week, que foi realizada pelo governo federal em abril.

O secretário disse que a expectativa do governo mineiro é leiloar outros dois lotes rodoviários ainda neste ano.

Edição: Fernando Fraga

Fonte: EBC Economia

Continue lendo

Economia

Fed manterá juros altos, mas não descarta reduzir ritmo de reajustes

Publicado

Fed reajustou taxa de juros entre 2,25% e 2,5%
Felipe Sichel

Fed reajustou taxa de juros entre 2,25% e 2,5%

Os dirigentes do Federal Reserve, Banco Central americano, concordaram, na última reunião de política monetária do banco com a necessidade de eventualmente diminuir o ritmo dos aumentos das taxas de juros. No entanto, eles devem avaliar como o aperto monetário funcionará para conter a inflação nos Estados Unidos.

Dessa forma, o ritmo e até que magnitude a autoridade monetária levará o aperto monetário dependerão das expectativas econômicas.

É o que mostra a ata do encontro, realizado em julho, no qual o Fed decidiu elevar em 0,75 ponto percentual a taxa básica de juros do país, para um intervalo de 2,25% a 2,5% ao ano.

“À medida que a postura da política monetária se tornasse ainda mais restritiva, provavelmente seria apropriado em algum momento desacelerar o ritmo dos aumentos da taxa básica de juros enquanto avalia os efeitos dos ajustes cumulativos da política monetária sobre a atividade econômica e a inflação”, destaca o documento.

Alguns participantes indicaram que, uma vez que a taxa básica de juros atingisse um nível suficientemente restritivo, provavelmente seria apropriado manter esse nível por algum tempo para garantir que a inflação se aproximasse dos 2%, que é a meta de inflação do banco.

Em junho, o índice de preços ao consumidor americano (CPI, na sigla em inglês), chegou a 9,1% em 12 meses, maior alta desde 1981. No mês seguinte, o CPI deu sinais de trégua, desacelerando para os 8,5% na base anual.

Política restritiva é necessária para ancorar expectativas

Ao discutir possíveis ações para as próximas reuniões, os participantes continuaram a antecipar que os aumentos contínuos nos juros seriam apropriados para atingir os objetivos do banco.

“Com a inflação permanecendo bem acima do objetivo do Comitê, os participantes julgaram que a mudança para uma postura restritiva da política era necessária para cumprir o mandato legislativo do Comitê de promover o máximo de emprego e estabilidade de preços”, afirma a ata.

Durante a reunião, todos os participantes concordaram que era apropriado aumentar os juros em 0,75 ponto percentual. A ata mostra que a mudança para uma postura de política apropriadamente restritiva era essencial para evitar a desancoragem das expectativas de inflação.

Além disso, vários membros avaliaram que o aperto contínuo da política monetária estava ajudando a aliviar as preocupações entre os participantes do mercado e os formadores de salários e preços de que a inflação elevada se tornaria arraigada.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

O documento mostra que, embora os recentes declínios nos preços da gasolina provavelmente ajudassem a produzir taxas de inflação mais baixas no curto prazo, os declínios nos preços do petróleo e de algumas outras commodities não poderiam ser considerados como base para uma inflação mais baixa por mais tempo, já que esses preços poderia se recuperar rapidamente.

Condições econômicas

Em sua discussão sobre as condições econômicas atuais, os dirigentes notaram que os indicadores recentes de gastos e produção haviam abrandado. No entanto, os ganhos de emprego foram robustos nos últimos meses e a taxa de desemprego permaneceu baixa.

Os dados de emprego de julho, publicados pelo Departamento do Trabalho em 5 de agosto, mostraram que empresas abriram 528 mil vagas no mês passado, mais que o dobro da previsão de analistas, enquanto a taxa de desemprego caiu para 3,5%, igualando a mínima pré-pandemia.

No entanto, muitos dirigentes também observaram que havia alguns sinais preliminares de uma perspectiva de abrandamento para o mercado de trabalho, como aumentos nos pedidos iniciais de seguro-desemprego semanais, reduções nas taxas de desistência e vagas, crescimento mais lento nas folhas de pagamento do que no início do ano, e relatos de cortes nas contratações em alguns setores.

“A inflação permaneceu elevada, refletindo desequilíbrios de oferta e demanda relacionados à pandemia, preços mais altos de alimentos e energia e pressões de preços mais amplas”, informa a ata.

Para eles, a guerra entre Ucrânia e Rússia e os eventos relacionados ao conflito estavam criando uma pressão ascendente adicional sobre a inflação, o que pressiona a atividade econômica global.

A ata ajuda os agentes de mercado a calibrarem suas apostas sobre a continuidade do ciclo de aperto monetário.

Os números de agosto sobre empregos e preços ao consumidor serão divulgados antes da reunião do Fed de setembro. Os dados aliados a novos pronunciamentos de membros do banco serão levados em conta pelos investidores para avaliar se uma nova alta de 0,75 ponto percentual será realizada em setembro.


Fonte: IG ECONOMIA

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana