conecte-se conosco


Política MT

Mauro Mendes volta a questionar Emanuel Pinheiro sobre os R$ 42 milhões destinados ao combate do coronavírus

Publicado

Governador demonstrou irritação ao tocar no assuntoe voltou a criticar ações do prefeito de Cuiabá [F – Mayke Toscano]

O governador Mauro Mendes (DEM), durante o anúncio da retomada das obras de construção da Escola Técnica Estadual (ETE) de Cuiabá, na tarde desta segunda-feira (1), demonstrou irritação com o que classificou de conversa fiada do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), sobre o episódio envolvendo a questão dos leitos disponíveis para o coronavírus na Capital.

“Eu não quero discutir conversa fiada. Quero saber o seguinte, o que a Prefeitura fez com os R$ 42 milhões, qual leito novo de UTI que ele (prefeito) criou em Cuiabá”, disse o governador.

“É este o número que a gente quer, que a Prefeitura de Cuiabá chega a público e diga, olha no antigo Pronto Socorro tinham 55 leitos, hoje tem quantos? Eu tenho um documento desse final de semana que aponta que eles se recusaram a receber pacientes porque estava faltando ventilador, faltando  EPI. Isso, meus amigos, eu como governador, cidadão, ex-prefeito de Cuiabá, me deixa extremamente irritado porque eu vejo muita conversa e pouco resultado, e muita conversa fiada. Isso é lamentável”, reforçou.

Segundo Mendes, “ninguém que é de bem, que entende isso que está acontecendo, pode ficar calado enquanto tem gente morrendo por falta de leitos na nossa Capital”.

Conforme o governador, “o secretário Gilberto foi na secretaria de saúde para fazer esse diálogo. Tem as reuniões do comitê.  Agora, é lamentável porque uma hora eles falam uma coisa, põe um número aqui, outra hora, falam outra coisa. Prefeito fala uma coisa, secretário fala outra. Documento fala outra. Tá farto de documento”, disparou.

Mauro Mendes fez questão de destacar que o Estado faz a sua parte. “O Estado diz, objetivamente: em março desse ano nós tínhamos 40 UTI´s nas mãos do governo do Estado de Mato Grosso, hoje, nós abrimos mais 50 UTI´s novas na Santa Casa e mais 30 no Hospital Metropolitano, onde vamos abrir mais 30. Em pouco mais de 90 dias, o Estado vai abrir 110 leitos novos. Além daqueles que já existiam, 10 no Metropolitano e 30 na Santa Casa, então 40, mais 110, serão 150 leitos, dos quais, 120 exclusivos para o Covid-19”.

 

publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Política MT

Botelho confirma interesse, mas garante que só disputa prefeitura de Cuiabá se Emanuel desistir da reeleição

Publicado

Deputado argumenta que tem amizade com o prefeito e não gostaria de enfrenta-lo em uma disputa eleitoral

O deputado Eduardo Botelho (DEM), presidente da Assembleia Legislativa, disse nesta quinta-feira (2), que não está focado em discutir eleição neste momento. “Eu não estou trabalhando focado nisso, mas pode acontecer. Não estou descartando a hipótese de disputar a eleição. Depende de diversos fatores, evidentemente”, disse Botelho ao ser questionado por jornalistas.

Conforme o presidente da Assembleia Legislativa, que confirmou uma conversa com o governador Mauro Mendes (DEM), sobre a sucessão do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), o seu foco neste momento é encerrar os trabalhos do primeiro semestre no Parlamento e votar a reforma da previdência do funcionalismo público. “Nós ainda não estamos focados nisso (eleição). Estamos focados em encerrar o semestre aqui, encerrar essa votação da reforma da previdência, e daí talvez possamos discutir melhor esse assunto”, declarou.

“O governador me perguntou se eu poderia ser candidato, se eu teria interesse. Eu disse, em princípio, que poderia ser se vários fatores acontecessem. Não estou focado nisso, mas é provável que lá na frente nós viemos participar diretamente da eleição”, afirmou o presidente.

Botelho disse que uma das condições que definiu, para disputar o pleito, está na desistência do prefeito cuiabano em ir para a reeleição. “Uma coisa que eu coloquei, não para o governador, mas para mim, foi isso por conta da relação de amizade que eu tenho com o prefeito Emanuel Pinheiro, construída aqui dentro dessa Casa de Leis, em especial, e eu não gostaria de entrar em embate com ele. A disputa eleitoral é um pouco dura e passa inclusive por agressões e eu não gostaria de ter ele como inimigo. Foi uma condição que eu fiz”, destacou.

“Não conversei com o Emanuel Pinheiro sobre isso. Não tenho informações se ele vai ser ou não candidato. Não foi discutido isso. Existem outros nomes. O ex-deputado Fábio Garcia é um nome forte. Por enquanto é o nome mais cotado, eu diria assim”, completou Botelho.

 

Continue lendo

Política MT

Por 17 votos a 6, Assembleia aprova em primeira votação, reforma da previdência dos servidores estaduais

Publicado

Com 17 votos favoráveis, seis contrários e uma ausência, os deputados estaduais de Mato Grosso aprovaram em sessão extraordinária nesta quinta-feira (2), em primeira votação, o Projeto de Emenda Constitucional 06/2020, a PEC da previdência do funcionalismo público. Votaram contra a matéria governamental os deputados Dr João (MDB), Paulo Araújo (PP), Elizeu Nascimento (DC), Janaína Riva (MDB), Lúdio Cabral (PT) e Valdir Barranco (PT).

Na votação da PEC em primeira, os deputados votaram em destaque duas emendas, as emendas 10 e 13, as duas foram rejeitadas. Outras duas emendas, que deveriam ter sido votadas, as emendas 9 e 24, foram descartadas pelo fato de já estarem inseridas na PEC.   A proposta da previdência do funcionalismo público aumenta a idade mínima para aposentadoria voluntária de 55 para 62 anos para as mulheres e de 60 para 65 anos para os homens. As regras de transição ainda estão em discussão e devem ser definidas para a segunda votação da matéria.

O deputado Paulo Araújo (PP), que votou conta a matéria governamental, destacou que “os deputados precisam legislar para garantir menos injustiças com os servidores”. Segundo ele, o servidor é o segmento que mais tem representatividade em plenário. “Somos o segmento que mais tem representatividade na Assembleia Legislativa, mas não temos 15 votos necessários para impedir a votação dessa matéria”, afirmou.

O deputado Sílvio Fávero (PSL), afirmou que a votação da PEC “é um remédio amargo, mas temos que tomar. Quem for votar contra a previdência, tem que deixar bem claro, não tem como apresentar emenda depois. Fazer plateia e bater palmas, é fácil. Nesse momento, agora, precisamos aprovar em primeira votação. Daí vamos buscar os entendimentos para que fique da melhor forma possível para as partes, governo e servidores”, declarou.

Os deputados também aprovaram, durante a sessão legislativa, em primeira votação, o Projeto de Lei Complementar (PLC) 06/2020 que trata da Previdência complementar dos servidores. O PLC compõe o pacote da Reforma da Previdência, mas não entrou na PEC. Seguindo a estrutura que foi aprovada no Congresso no âmbito federal, o Governo do Estado enviou a proposta separada. A votação teve 18 deputados favoráveis e 6 contrários. Votaram contra o PLC 06/20 os deputados Dr Gimenez, Paulo Araújo, Elizeu Nascimento, Janaína Riva, Lúdio Cabral e Valdir Barranco.

 

 

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana