conecte-se conosco


Geral

MT receberá R$ 50 milhões para o setor cultural; artistas terão auxilio de R$ 600 durante três meses

Publicado

Os recursos poderão ser usados também como subsídio mensal para manutenção de espaços artísticos e culturais – entre R$ 3 mil e R$ 10 mil

O Ministério do Turismo anunciou, nesta sexta-feira (31), os valores que serão repassados aos estados, Distrito Federal e municípios para apoiar ações emergenciais ao setor cultural e seus trabalhadores durante a pandemia de coronavírus. A região Centro-Oeste receberá o valor de R$ 229.056.593 distribuídos da seguinte maneira: Distrito Federal (R$ 36.934.577), Goiás (R$ 100.390.970), Mato Grosso do Sul (R$ 40.784.546) e Mato Grosso (R$ 50.946.501).

O recurso total da ordem de R$ 3 bilhões foi estabelecido pela Lei 14.017/2020, mais conhecida como Lei Aldir Blanc, sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro em 29 de junho. O dinheiro será repassado aos estados e municípios que têm a responsabilidade de fazer a distribuição dos recursos.

De acordo com a lei, metade dos R$ 3 bilhões é destinada aos estados e Distrito Federal. O valor repassado para cada estado, além do DF, foi definido por uma equação que considerou:  20% dos critérios de rateio do Fundo de Participação dos Estados e do Distrito Federal (FPE) e 80% em relação à proporção da população. Já o cálculo dos valores que serão passados aos municípios considerou: 20% de acordo com os critérios de rateio do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) e 80% em relação a proporção da população.

O recurso poderá ser usado para pagamento de renda emergencial mensal aos trabalhadores da cultura – R$ 600 pelo período de três meses -,  subsídio mensal para manutenção de espaços artísticos e culturais – entre R$ 3 mil e R$ 10 mil – e iniciativas de fomento cultural, como: editais, chamadas públicas, prêmios, aquisição de bens e serviços vinculados ao setor cultural e outros instrumentos destinados à manutenção de agentes, de espaços, de iniciativas, de cursos, de produções, entre outros. Para as ações de fomento foi definido um percentual mínimo de 20%, o equivalente a R$ 600 mil.

“Essa é uma resposta clara às críticas injustas, com o viés político-partidário, que o governo vem sofrendo desde o início da pandemia. Como o presidente Bolsonaro orientou, estamos trabalhando dia e noite para garantir que nenhum brasileiro fique para trás e essa é uma realidade também na Cultura”, comentou o ministro do Turismo Marcelo Álvaro Antônio.

Os valores serão transferidos do Fundo Nacional da Cultura, administrado pelo Ministério do Turismo, preferencialmente para os fundos estaduais, municipais e distrital de cultura. No caso de não haver fundo para a realização da transferência fundo a fundo, o dinheiro poderá ser repassado para outros órgãos responsáveis pela gestão desses recursos.

“É de amplo conhecimento de todos que o setor cultural foi um dos mais afetados pela situação da pandemia e a lei é um compromisso do governo em socorrer o setor e os seus profissionais neste momento delicado. Tenho absoluta convicção de que o conjunto de ações que estamos desenvolvendo terá uma resposta positiva de todo o setor”, afirmou o secretário especial da Cultura, Mario Frias.

CADASTRO – Toda a operacionalização dos repasses será feita por meio da Plataforma + Brasil. Por isso, e importante que os gestores estaduais e municipais detectem os usuários que possuem o perfil de gestor de convênios. O gestor deve estar atento para em breve entrar na Plataforma para cadastrar o Plano de ação e indicar a agência de relacionamento no Banco do Brasil para onde será feita a transferência. Em até 180 dias após o último pagamento, o estado/município deverá enviar um relatório de gestão e recolher os recursos não aplicados.

 

 

 

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Várzea Grande vai instalar barreiras sanitárias nos bairros com maior incidência de Covid; Cristo Rei e Centro lideram

Publicado

Levantamento feito pela Secretaria Municipal de Saúde em parceria com a UFMT apontou as maiores taxas de contaminação da doença

O sucesso obtido em 16 dias de funcionamento das Barreiras Sanitárias nas entradas de Várzea Grande que atendeu 34 mil pessoas, levou a Secretaria Municipal de Saúde a colocar em prática o Plano de Ação –Várzea Grande contra a COVID 19, uma nova modalidade de atuação que são os bloqueios por regiões ou bairros que apresentaram conforme o 5º Informe Epidemiológico publicado no site oficial do município (www.varzeagrande.mt.gov.br) a maior incidência de casos da Coronavírus.
O Informe epidemiológico é feito pela Secretaria Municipal de Saúde de Várzea Grande em parceria com a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e está livre para consultas apresentando dados estatístico da
pandemia e sinalizando que as medidas adotadas surtiram os efeitos esperados, mas que se faz necessária a continuidade das ações, principalmente de distanciamento social, de meios de segurança  como uso de máscaras e de higienização.

De acordo com o estudo, os bairros Cristo Rei e o Centro têm a maior incidência da doença, com 50 e 52 infectados, respectivamente.  De acordo com o mapa, a região do Parque do Lago, aparece na sequência, com 42 casos. Na sequencia está o bairro Jardim Glória, uma média de 30 pessoas infectadas.  Os bairros Mapim, Nova Várzea Grande e Cohab Santa Isabel registram em média 20 casos ativos do coronavírus. A região da Manga, Figueirinha e Jardim dos Estados possuem no máximo 15 casos da doença.  Já os bairros Ponte Nova e Vila Ipase possuem o menor índice de infectados da cidade, com no máximo 10 casos ativos.

De acordo com o boletim divulgado pela Secretaria de Estado e Saúde (SES), na tarde desta quarta-feira (5), Várzea Grande é a segunda cidade com maior número de infecções da Covid-19. Até a notie desta nesta quarta-feira (4), eram 4.754 casos confirmados  de Covid-19. Desses, 324 acabaram não resistindo e perderam a vida para da doença. O número de curados é de 3.873.

Plano de ação

Nesta quarta-feira começou efetivamente funcionar o Plano de Ação – Várzea Grande contra a COVID 19. Quinta e sexta-feira, das 8h às 17h, uma equipe composta por agentes da Vigilância Sanitária, Guarda Municipal, Polícia Militar e funcionários das secretarias municipais de Governo e Saúde estão na Avenida Julião de Brito, em frente à antiga Policlínica, hoje Clínica de Atenção a Família, Dr. Lúcio Macedo, região do Grande Parque do Lago, realizando a blitz e abordando motoristas e pedestres, além de moradores convidados a serem atendidos com consultas
médicas, exames e medicamentos.
Na sexta-feira e sábado (7 e 8) a ação será realizada no bairro Residencial José Carlos Guimarães, também das 8h às 17h. A prefeita Lucimar Sacre de Campos e o senador Jayme Campos acompanharam os primeiros atendimentos e reafirmaram a disposição da gestão em não deixar que falte atendimento médico, exames e medicamentos de espécie
nenhuma para aqueles que necessitarem o Sistema Único de Saúde – SUS, que é gratuito e eficiente, bastando que todos cumpram seu papel.
“Estamos juntos, unidos buscando enfrentar um adversário que não escolhe cor, raça, religião, condição financeira e que já está próximo de 19 milhões de pessoas no mundo e de 700 mil óbitos, portanto, os funcionários da saúde de uma maneira em geral e os gestores públicos tem que se redobrar junto com a população para buscar uma solução definitiva para a pandemia da COVID 19”, disse Lucimar Sacre de Campos que acompanhou pessoalmente os primeiros atendimentos e está cobrando de sua equipe resultados que estão se traduzindo na recuperação na cura de mais de 80% do  total de contaminados.
“Na abordagem conversamos com cada motorista, pedestre ou morados, verificamos a temperatura, fazemos uma entrevista, preenchemos um formulário, para podermos ter uma estatística ao final de todo dia. Os moradores são atendidos na unidade de saúde e os motoristas não precisam sair do veículo. A ação é similar ao serviço prestado nas barreiras sanitárias que realizamos nas entradas da cidade em julho. Caso a pessoa tenha algum sintoma encaminhamos imediatamente aqui para a Clínica de Atenção a Família, que dispõe de testes rápidos, serviço médico e vacinação para H1N1. Também abordamos os pedestres e orientamos sobre os cuidados que devem ser tomados para evitar o contágio da doença, como o uso de máscaras e higienização. Nosso objetivo não é somente de
averiguarmos casos suspeitos, mas também fazer uma ação educativa levando orientação à população”, explicou o secretário de Governo e coordenador da Vigilância Sanitária em Várzea Grande, coronel Alessandro Ferreira da Silva.
De acordo com o secretário de Saúde, Diógenes Marcondes, o Plano de Ação – Várzea Grande contra a COVID 19 nos bairros está sendo coordenada pela equipe de Saúde e destacou que nos casos das localidades que não possuem
o serviço de atenção básica, como é o caso do bairro José Carlos Guimarães, será montada toda uma estrutura para a realização de testes rápidos, vacinação de H1N1, serviço de tele consulta médica e orientação em geral.
“Após avaliação positiva das barreiras sanitárias realizadas em julho, o Comitê de Enfrentamento ao Novo Coronavírus, avaliou que seria indispensável estender o serviço aos bairros. Usamos para isso o mapeamento de incidência de casos realizado pela UFMT. O resultado de todo esse trabalho será importante, pois levaremos à população serviços médicos, orientações, testes rápidos, medicamentos e todo atendimento necessário para se evitar e conter a propagação da Covid-19. É uma determinação da prefeita Lucimar Sacre de Campos, que os serviços
atinjam o maior número possível de pessoas”, disse o secretário Diógenes Marcondes.
INVESTIMENTOS EM SAÚDE – A prefeita Lucimar Sacre de Campos verificou pessoalmente o início dos trabalhos do Plano de Ação no Parque do Lago e destacou novos investimentos na atenção básica do município.
“Conversei com os moradores que vieram a unidade de saúde ou foram abordadas nas ruas e constatamos que é necessária essa aproximação do Poder Público junto à sociedade nesse momento de pandemia. Muitos souberam da ação e vieram receber os serviços de saúde. Todos estão tendo a oportunidade de ter atendimento especializado, realizar testes, receber medicamentos em casos de positivação do resultado, além de estendermos a vacinação da H1N1.
O senador Jayme Campos também sinalizou apoio total a todos os municípios de Mato Grosso para que não faltem recursos para se promover uma saúde de melhor qualidade. “Já conseguimos liberar R$ 40 milhões para mais de 100 cidades levando em consideração a população de cada uma e estamos trabalhando para mais recursos junto ao Ministério da Saúde, pois os gestores municipais e o governador Mauro Mendes necessitam de recursos disponíveis para fazer o enfrentamento a pandemia.

Continue lendo

Geral

Mato Grosso passa de duas mil mortes e 58.475 casos confirmados de coronavírus

Publicado

Nas últimas 24 horas foram registradas 16 mortes e 1.360 novos casos da doença

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde desta quarta-feira (5), 58.475 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 2.013 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado e 16 mortes nas últimas 24 horas.

Foram registradas 1.360 novas confirmações de coronavírus no Estado. Dos 58.475 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 19.424 estão em monitoramento e 37.038 estão recuperados.

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 311 internações em UTIs públicas e 296 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 82,26% para UTIs adulto e em 33,48% para enfermarias adulto.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19, estão Cuiabá (12.796), Várzea Grande (4.670), Rondonópolis (3.533), Lucas do Rio Verde (3.020), Sorriso (2.518), Tangará da Serra (2.435), Sinop (2.171), Primavera do Leste (1.950), Nova Mutum (1.552) e Barra do Garças (1.004).

A lista detalhada com todas as cidades que já registraram casos da Covid-19 em Mato Grosso pode ser acessada no Boletim anexado ao final desta matéria.

O documento ainda aponta que um total de 55.472 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e que, atualmente, restam 4.376 amostras em análise laboratorial.

Mais informações estão detalhadas na Nota Informativa divulgada diariamente pela SES disponível neste link, a partir das 17h.

Cenário nacional

Na última terça-feira (04), o Governo Federal confirmou 2.801.921 casos da Covid-19 no Brasil e 95.819 óbitos oriundos da doença. No levantamento do dia anterior, o país contabilizava 94.665 óbitos e 2.750.318 casos confirmados de pessoas infectadas pelo coronavírus.

Até o fechamento deste material, o Ministério da Saúde não divulgou a atualização desta quarta-feira (05).

Recomendações

Atualmente, não existe vacina para prevenir a infecção pelo novo coronavírus. A melhor maneira de prevenir a infecção é evitar ser exposto ao vírus. Os sites da SES e do Ministério da Saúde dispõem de informações oficiais acerca do novo coronavírus. A orientação é de que não sejam divulgadas informações inverídicas, pois as notícias falsas causam pânico e atrapalham a condução dos trabalhos pelos serviços de saúde.

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo coronavírus. Entre as medidas estão:

– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;

– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;

– Evitar contato próximo com pessoas doentes;

– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;

– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

 

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana