conecte-se conosco


Geral

Mato Grosso investe mais de R$ 150 milhões na reestruturação do sistema prisional

Publicado

Até o fim deste ano, Mato Grosso terá zerado o déficit carcerário, passando a ofertar 12 mil vagas para um total de 11 mil presos [Foto – Michel Alvim]

O Sistema Penitenciário de Mato Grosso tem passado por grandes mudanças, a começar pela reestruturação das unidades penais. Ao todo, os investimentos do Governo do Estado chegam a R$ 150 milhões em novas unidades, obras de reforma e ampliação e aparelhamento das 42 unidades existentes.

De uma realidade de 12 mil presos para apenas 6 mil vagas no início da gestão, em 2019, o Governo do Estado transformou o Sistema Penitenciário, ofertando atualmente quase 10 mil vagas para um total de 11 mil presos. Até o final deste ano, com a completa reestruturação da PCE, o total será de 12 mil vagas.

“Mato Grosso, no início de nossa gestão, tinha pouco mais de 6 mil vagas para 12 mil presos. Vamos chegar ao final desta gestão com 11 mil presos e quase 12 mil vagas no Sistema Penitenciário. Será o único estado brasileiro a ter uma vaga para cada preso, o que trará dignidade a estas pessoas. Vamos aplicar a pena determinada pela Justiça, mas iremos fazer respeitando o ser humano”, pontuou o governador Mauro Mendes.

A atual realidade se deve também ao Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), que o Governo do Estado assinou com o Ministério Público Estadual (MPE), Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), Tribunal de Contas do Estado (TCE), Assembleia Legislativa, Defensoria Pública de Mato Grosso e Ordem dos Advogados do Brasil seccional Mato Grosso (OAB/MT), entre outros.

O TAC não só propiciou ao Sistema Penitenciário de Mato Grosso ter relevantes melhorias, como auxiliou em um novo modelo, adotado especialmente na Penitenciária Central do Estado (PCE), que já inaugurou três novos raios com 432 vagas cada e um Raio de Segurança Máxima, recém-inaugurado, nesta quarta-feira (30.06), pelo governador Mauro Mendes e pelo secretário de Estado de Segurança Pública, Alexandre Bustamante.

Para o desembargador do TJMT, Orlando Perri, a atual gestão tratou o Sistema Penitenciário com a devida atenção, investindo a transformando a realidade.

“O governador Mauro Mendes está aberto e sensível a esta situação, porque bem sabe ele que não se pode combater a violência sem investir no sistema prisional. Nós estamos trabalhando junto ao Governo do Estado para a ressocialização dos reeducandos. Parabéns governador, por toda atenção e cuidado com o sistema prisional”, pontuou.

Este último raio trata-se de um marco para Mato Grosso, já que foi o primeiro estado a investir neste modelo, onde presos de alta periculosidade e líderes de organizações criminosas ficarão reclusos. O novo modelo trouxe investimentos em tecnologia de ponta, já que se trata de raios com câmeras de monitoramento, sala de controle, portas automatizadas e climatizadores, entre outras inovações.

Para o juiz da Vara de Execução Penal de Cuiabá, Geraldo Fidélis, o Raio de Segurança Máxima também pode ser entendido por Raio de Segurança “Extrema”, por se tratar de um espaço altamente seguro dentro de uma unidade já considerada de segurança máxima.

“O Estado de Mato Grosso está gerindo seus problemas e, agora, temos o Raio de Segurança Extrema dentro da PCE. Trata-se de um lugar adequado, com espaço suficiente para pessoas com este perfil”, destacou Fidélis.

Operação Elisson Douglas – A transformação da PCE também só foi possível, porque a atual gestão desencadeou a Operação Elisson Douglas, ainda em 2019. O secretário Alexandre Bustamante lembrou que, antes da ação, a penitenciária era tomada por organizações criminosas, que lideravam diversos crimes dentro e fora das grades.

“Quando assumimos a gestão da Sesp, o governador Mauro Mendes nos confiou a missão de modernizar o Sistema Penitenciário. Mas o quadro era caótico – os fornecedores estavam há meses sem receber, a exemplo da alimentação nas unidades penais, que ficou atrasada por 10 meses. Foi a partir da Operação Elisson Douglas, que iniciamos a mudança no sistema, o que acabou refletindo também nos índices de criminalidade do lado de fora. O Estado retomou o controle da PCE e o TAC nos deu mecanismos para continuar esta grande mudança”, relembrou Bustamante.

A operação cortou diversas regalias destinadas aos presos dentro da unidade. Foram retirados aparelhos celulares, móveis, muito lixo acumulado e até dinheiro em espécie circulava dentro da unidade.

“A PCE de 2019 em nada se parece com a unidade que conseguimos reestruturar nestes anos. E isso foi fruto de um trabalho coletivo, mas que se não tivesse a atenção do governador Mauro Mendes não teria se concretizado”, destacou Bustamante.

Obras retomadas e inauguradas

Desde o início da atual gestão, o governo também retomou e entregou duas obras que estavam paralisadas ao longo das gestões anteriores: o Complexo Penitenciário Ahmenon Lemos Dantas, em Várzea Grande, entregue em 2020 e o Centro de Detenção Provisória de Peixoto de Azevedo, recém-inaugurado na última terça-feira (28).

As tratativas para o início das duas obras iniciaram em 2008, uma espera de 12 anos no caso da unidade de Várzea Grande e de 14 anos na de Peixoto de Azevedo.

Outras reformas e adequações – Outras unidades também passaram por reforma – Penitenciária Dr. Osvaldo Florentino Leite Ferreira (Ferrugem), em Sinop; Penitenciária Feminina Ana Maria do Couto May, em Cuiabá; Centro de Detenção Provisória de Tangará da Serra; Penitenciária Feminina de Rondonópolis; Cadeia Pública de Comodoro; Cadeia Pública de Mirassol D’Oeste e Cadeia Pública de Alta Floresta, entre outras.

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Geral

Produtor rural é condenado em júri popular a 16 anos de prisão por matar engenheira em briga no trânsito

Publicado

Preso desde 2019, Jackson Furlan não poderá recorrer em liberdade, conforme decisão da juíza Emanuelle Chiaradia Navarro [Foto -Reprodução]

Em júri popular ocorrido nesta quinta-feira (18) na 1º Vara Criminal de Sorriso (420 km de Cuiabá), o produtor rural Jackson Furlan, de 32 anos, foi condenado a 16 anos de prisão em regime fechado pelo assassinato da agrônoma Júlia de Souza Barbosa, em novembro de 2019. Ele foi acusado de homicídio qualificado por motivação fútil.

Ele está preso desde 2019 e já conseguiu a remissão de 255 dias da pena, por estudar e trabalhar na prisão. Furlan ainda pode recorrer da sentença, conforme decisão da juíza Emanuelle Chiaradia Navarro Mano, da comarca do município.

O crime

Júlia Barbosa estava em Sorriso a passeio. Ela morava na cidade de Cornélio Procópio, no Paraná. De acordo com a polícia, a vítima estava com o namorada na casa de amigos se preparando para voltar ao Paraná. Ela pediu ao namorado um chocolate antes da viagem e os dois foram até uma conveniência para comprar. A engenheira estava em uma caminhonete, junto com o namorado, na noite de 9 de novembro de 2019.

Conforme a Polícia Civil, o casal teria sido perseguido depois de ultrapassar outra caminhonete. Quando foi ultrapassado, Jackson Furlan teria ficado irritado. Ele buzinou diversas vezes e queria que o casal parasse o veículo.

Eles foram perseguidos pelo motorista até que, em determinado momento, o suspeito sacou uma arma e disparou. O tiro atingiu a cabeça da vítima.

O namorado da jovem socorreu a vítima até um hospital e a polícia foi chamada. Ela não resistiu e morreu na unidade de saúde. Segundo a polícia, Jackson não tinha passagens pela polícia.

 

Continue lendo

Geral

Frente fria derruba temperatura em Cuiabá nesta sexta-feira; Chapada dos Guimarães deve marcar 9ºC

Publicado

Temperatura deve ficar baixa durante o fim de semana

A frente fria que chegou Mato Grosso na tarde de ontem (18) derrubou a temperatura no início da manhã desta sexta-feira (19) e derrubou para 17 °C em Cuiabá e região metropolitana. De acordo com previsão do Climatempo, a temperatura hoje deve ficar entre 14ºC e 24ºC. Grande parte das áreas de instabilidade vai se dissipando pelo interior do estado, reduzindo muito as condições para chuva, porém, a umidade relativa do ar ficará alta devido a chuva da tarde de ontem e a garoa de hoje.

No sábado (20), o frio deve ficar mais intenso com os termômetros registrando  entre 12ºC e 24ºC. Já no domingo (21), deve fazer de 15ºC a 34ºC. Na semana seguinte, a previsão é de manhãs e noites mais frescas e tardes quentes. A explicação para as temperaturas baixaram em todo país é a chegada de uma frente fria vinda da Argentina.

Em Chapada dos Guimarães (a 60 km de Cuiabá), a temperatura máxima será de 28ºC nesta sexta-feira, e 33ºC no sábado. Nesses dois dias, a previsão é de 12ºC de mínima na cidade. Em Cáceres (a 225 km de Cuiabá) a temperatura mínima cai para 10ºC nesta sexta-feira e 9ºC no sábado, com máxima de 24ºC e 26ºC.

Já em Rondonópolis (a 212 km ao sul de Cuiabá), a sexta-feira fará 12ºC de mínima e a máxima não ultrapassa os 26ºC. Há previsão de pancadas de chuva ao longo do dia. Sábado a mínima a máxima chegará a 13ºC e a 27ºC, respectivamente.

“O impacto desse ar quente que vem do Norte do estado com o ar frio que vem da frente fria pode provocar temporais, com atenção nas áreas ao Centro-Oeste e Sul de Mato Grosso, inclusive Cuiabá”, disse a meteorologista Josélia Pegorim.

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana