conecte-se conosco


Tecnologia

Mark Zuckerberg é ‘pessoa mais perigosa do mundo’, diz professor

Publicado

Olhar Digital

Mark Zuckerberg arrow-options
Divulgação

Mark Zuckerberg, ‘pessoa mais perigosa do mundo’ segundo professor da Universidade de Nova York

O fato de Mark Zuckerberg ser dono do Facebook, WhatsApp e Instagram, o torna “a pessoa mais perigosa do mundo”, segundo Scott Galloway, professor da Escola de Negócios da Universidade de Nova York.

No programa “Bloomberg Markets: The Close”, Galloway comenta a iniciativa do Facebook de integrar os serviços de mensagens das três plataformas. Pois, embora os usuários possam escolher usar os serviços individualmente, os três aplicativos ficarão sem a mesma infraestrutura técnica de back-end.

Leia também: FBI intensifica investigações contra Facebook e Twitter nos Estados Unidos

“Mark Zuckerberg está tentando criptografar o backbone [rede principal pela qual os dados de todos os clientes passam] entre o WhatsApp , o Instagram e a plataforma principal, o Facebook , de tal forma que ele tem uma rede de comunicação de 2.7 bilhões de pessoas”, disse Galloway na entrevista à Bloomberg . “O que poderia dar errado?”, indaga o professor.

“A noção de que vamos ter um indivíduo decidindo os algoritmos para um backbone criptografado de 2.7 bilhões de pessoas é assustador – independentemente das intenções da pessoa”, afirma Galloway.

O professor também expressa preocupação em relação às práticas democráticas, “uma salvaguarda fundamental para a sociedade é a diversidade de meios de comunicação/pontos de vista, verificações e equilíbrio”.

Além disso, Galloway ainda alerta que a iniciativa do Facebook de integrar a infraestrutura de mensagens poderia, na verdade, ser um esforço para construir uma defesa contra um possível caso de antitruste – lei que pune práticas anticompetitivas e fiscaliza a formação de monopólios e cartéis, evitando a grande concentração de poder econômico. O caso está sob revisão do Departamento de Justiça dos EUA, que também deve investigar outras empresas de tecnologia, de acordo com uma reportagem do The Wall Street Journal

Leia também: Apple oferece US$ 1 milhão para quem conseguir hackear iPhone

Zuckerberg não vai aceitar uma imposição do governo para acabar com o projeto. “O que o Facebook está tentando fazer é tomar medidas preventivas contra qualquer tipo de antitruste para que [Zuckerberg] possa dizer: ‘seria impossível desfazer isso agora’”, disse Galloway à Bloomberg.

Fonte: CNBC

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tecnologia

Quanto ganha um influenciador no TikTok? Forbes revela números que surpreendem

Publicado


source
TikTok
Unsplash/Kon Karampelas

Veja os salários dos principais nomes do TikTok


Além de ser a rede social do momento, o TikTok também se tornou fonte de renda para muita gente. Nesta quinta-feira (6), a revista Forbes divulgou uma listas dos influenciadores mais ricos da plataforma, e os números impressionam. 

Em primeiro lugar, está a TikToker Addison Rae, de 19 anos. A jovem acumulou US$5 milhões em um ano – cerca de R$27 milhões. Os vídeos de dança publicados por ela abriram porta para contratos publicitários e ela chegou, inclusive, a lançar sua própria linha de maquiagem.

Em segundo lugar está a jovem de 16 anos Charli D’amelio, a pessoa com mais seguidores dentro do TikTok (mais de 77 milhões). A também dançarina lucrou US$4 milhões em um ano – em torno de R$22 milhões.

Confira os influenciadores mais ricos do TikTok e seus grandiosos salários anuais:

  1. Addison Rae – US$5 milhões
  2. Charli D’amelio – US$4 milhões
  3. Dixie D’amelio (sim, são irmãs) – US$2,9 milhões
  4. Loren Gray – US$2,6 milhões
  5. Josh Richards – US$1,5 milhão
  6. Michael Le e Spencer X – US$1,2 milhão

Continue lendo

Tecnologia

O Face ID não te reconhece? Veja o truque para desbloquear o iPhone de máscara

Publicado


source
Face ID
Unsplash/engin akyurt

Veja como desbloquear o celular usando máscara


Uma das principais medidas para evitar o contágio pelo novo coronavírus (Sars-Cov-2) é o uso de máscaras de proteção. Mas para quem está acostumado a desbloquear o iPhone com o reconhecimento facial do Face ID , esse pode ser um problema. 

Depois de muitos usuários reclamarem, pesquisadores de segurança digital do laboratório Xuanwu Lab, da chinesa Tencent, encontraram uma forma simples de fazer com que o iPhone reconheça as pessoas mesmo de máscara. As informações foram divulgadas pelo jornal Wall Street Journal. 

A dica é bastante simples, bastando dobrar a máscara ao meio para que a tecnologia do iPhone reconheça tanto o seu rosto de máscara quanto sem. Confira o passo a passo:

  1. No seu iPhone, acesse a página “ajustes”
  2. Clique em “Face ID e código”;
  3. Digite sua senha de desbloqueio;
  4. Clique em “configurar um visual alternativo”;
  5. Coloque a máscara em metade do seu rosto (segurando-a apenas na parte esquerda ou direita da face) e clique em “começar”;
  6. Siga as orientações de escaneamento facial que aparecerem na tela. 

Pronto! Agora, seu iPhone deve te reconhecer mesmo sem máscara. Se a dica não funcionar em algum momento, a recomendação é digitar a senha, e não tirar a proteção.

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana