conecte-se conosco


Agro News

Mapa determina recolhimento de todos os produtos da Cervejaria Backer

Publicado

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) intimou a Cervejaria Backer a recolher do mercado, além da cerveja Belorizontina, todos os produtos fabricados no período de outubro de 2019 até a presente data.  A medida é para preservar a saúde dos consumidores.

As análises exploratórias, realizadas pelos Laboratórios Federais de Defesa Agropecuária nas amostras dos produtos Belorizontina e Capixaba, confirmaram a presença dos contaminantes monoetilenoglicol e dietilenoglicol. Até o momento, três amostras foram analisadas. Estes produtos já estavam e continuam sendo retirados do mercado, por recolhimento feito pela própria empresa e por ações de fiscalização e apreensão dos serviços de fiscalização do Mapa.

O Mapa já havia realizado o fechamento cautelar da unidade Três Lobos, da Cervejaria Backer, localizada em Belo Horizonte (MG), bem como a apreensão de 139 mil litros de cerveja engarrafada e 8.480 litros de chope. Também foram lacrados tanques e demais equipamentos de produção.

O Ministério segue atuando nas investigações e tomando medidas para mitigar o risco apresentado pelas cervejas contaminadas pelas moléculas dietilenoglicol e monoetilenoglicol. O Mapa faz parte da força-tarefa de investigação das possíveis causas desta contaminação.

Continuam as apurações para identificar as circunstâncias em que os fatos ocorreram, a fim de dar pleno esclarecimento à população.

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Agro News

Segunda live da Aprosoja reitera importância dos resultados do CAD Parecis

Publicado


.

Defesa Agrícola

Segunda live da Aprosoja reitera importância dos resultados do CAD Parecis

O evento online contou com a presença de cerca de 2.200 pessoas

15/07/2020

A segunda live da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) reiterou a importância das pesquisas e experimentos realizados há quatro safras no Centro de Aprendizagem e Difusão (CAD Parecis), em parceria com a Fundação Mato Grosso. O evento online contou com a presença de cerca de 2.200 pessoas de vários municípios do Estado e do Brasil.  Os resultados dos trabalhos desenvolvidos no CAD nortearam o debate ao vivo, transmitido pelo canal do Youtube (230 pessoas simultaneamente) e pelo Facebook (140 pessoas simultaneamente) durante as 2h15min.

Gerente de Defesa Agrícola da Aprosoja, Jerusa Rech, destacou alguns pontos da Live. “O debate trouxe pontos importantes, como não ser possível desvincular o Potássio de um sistema de produção. Tem que analisar ele como um todo, primeiramente entender bem o ambiente para depois fazer alguma recomendação. Foi destacada também a importância dos consórcios, lembrando que não é toda área que é para consórcio, temos que ter pontos de atenção, como o manejo das lagartas; a questão também das plantas de cobertura no manejo de nematoides, tudo isso trouxe muito esclarecimento ao produtor”, frisou.

O evento online contou com a participação do pesquisador e diretor técnico da Fundação Mato Grosso, Leandro Zancanaro, que entre outros assuntos, abordou sobre a utilização do calcário para correção do solo por meio das curvas de calibração. “Sem essa união dos produtores, esses resultados não seriam possíveis, fica aqui meu agradecimento a todos os envolvidos neste trabalho, principalmente Aprosoja com seus associados, diretores, gerentes e colaboradores”, enalteceu.

Os resultados foram explanados com riqueza de detalhes por meio de gráficos e imagens pelo pesquisador da Fundação Mato Grosso na área de Solos e Sistema de Produção, Táimon Semler. “São quatro anos de estudos e me lembro desde a escolha do local para iniciarmos os trabalhos, mostrando que é possível sim a produtividade mesmo em solos frágeis”, destacou. Durante apresentação Táimon falou sobre as pesquisas relacionadas ao manejo de Nitrogênio, Fósforo, Potássio, Magnésio, Enxofre, Boro, Correção do perfil, uso de gesso, plantas de cobertura e esquemas de rotação de culturas.

O diretor administrativo da Aprosoja e mediador da conversa, Lucas Costa Beber, ressaltou a importância dos trabalhos do CAD Parecis e elogiou a participação de produtores e pesquisadores de municípios do Estado e de outras regiões do país, durante a transmissão. “Agradecer a todos que nos acompanham, como pessoal do município de Lucas do Rio Verde, Vila Rica, e Campo Novo do Parecis, onde o CAD está instalado. Agradecer também a participação de representantes do Ministério da Agriultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), da Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Pato Branco; Embrapa Milho e Unesp de Jaboticabal-SP”, ressaltou Lucas.

Perdeu a Live? Acompanhe todo o conteúdo que está disponível no Canal do Youtube da Aprosoja ou clique aqui.

 

Fonte: Ascom Aprosoja

Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215 Email: [email protected]

Fonte: APROSOJA

Continue lendo

Agro News

Relatório do Serviço de Inspeção Federal registra aumento da demanda por certificados de exportação

Publicado


.
O Serviço de Inspeção Federal (SIF) divulgou, nesta quarta-feira (15), a quarta edição do relatório de atividades sobre os impactos decorrentes da pandemia do coronavírus (Covid-19) nas atividades do setor. Segundo o levantamento, a demanda por certificação sanitária para fins de exportação de produtos de origem animal do Brasil teve um aumento de 11% em junho deste ano, na comparação com o mesmo mês do ano passado. O total de Certificados Sanitários Internacionais emitidos em junho foi de 32.153.
 
Consideradas como essenciais pelo Decreto 10.282, as atividades de inspeção e fiscalização seguem funcionando com todos os cuidados necessários para que não ocorram prejuízos à manutenção do abastecimento público de produtos de origem animal para consumo humano e de produtos destinados à alimentação animal com segurança à sociedade.  
 
Estão registrados no SIF 3.318 estabelecimentos de produtos de origem animal nas áreas de carnes e produtos cárneos, leite e produtos lácteos, mel e produtos apícolas, ovos e pescado e seus produtos derivados.
 
Segundo o documento, no mês de maio foram realizados 132 turnos adicionais de abate que foram requisitados de forma emergencial pelos abatedouros frigoríficos de aves, bovinos e suínos registrados junto ao SIF.
 
“As medidas de gerenciamento dos Serviços de Inspeção de Produtos de Origem Animal e o comprometimento dos auditores fiscais federais agropecuários e equipes técnicas com o momento de crise tem nos permitido atender de forma satisfatória e segura essas demandas por abates extras”, destaca a diretora do Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal, Ana Lucia Viana.
 
O Mapa tem monitorado junto com as empresas e representantes do setor produtivo a situação de casos de Covid-19 nas unidades industriais e as medidas adotadas para protegerem os trabalhadores das indústrias e servidores públicos no exercício de suas atividades. Em 03 de julho, um total de nove abatedouros paralisaram suas atividades por motivos relacionados à ocorrência de Covid-19.
 
Abates
 
As fiscalizações registraram redução, no mês de maio, do número de abates em frigoríficos de aves e bovinos. Em relação aos frigoríficos de aves, a redução foi de 7% em comparação a maio de 2019, o que representa pouco mais de 32 milhões de aves que deixaram de ser abatidas.
 
Nos frigoríficos de bovinos, a redução foi de 11%, deixando de ser abatidos aproximadamente 233 mil animais em comparação ao mesmo período no ano de 2019. As fiscalizações também mostram que o abate de suínos se manteve praticamente estável nos meses de abril e maio, com redução de cerca de 1%.  
 
Licenças de importação
 
O Mapa também analisa previamente as solicitações de Licenças de Importação (LI) de produtos de origem animal para avaliar se os produtos são provenientes de empresas e países que não contenham restrições sanitárias, visando conferir mais segurança no controle oficial sobre os produtos importados que serão consumidos pelos brasileiros.
 
O prazo estabelecido em legislação para as análises de LI é de 30 dias, porém o tempo médio de análise está atualmente em 2,25 dias. Em junho, foram analisadas 3.855 LIs, sendo 3.174 deferidas e 681 indeferidas.
 

Informações à Imprensa
[email protected]

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana