conecte-se conosco


Policial

Mais de 60 crianças, jovens e adultos participam de ações preventivas da Polícia Civil

Publicado

Assessoria | PJC-MT

Mais de 60 pessoas, entre crianças, jovens e adultos, de comunidades religiosas da capital e interior, participaram de ações de cunho preventivo promovidas pelos projetos sociais da Polícia Judiciária Civil, por meio da Polícia Comunitária. As atividades foram desenvolvidas nos dias 17 a 23 de junho, em três eventos realizados em parceria com lideranças religiosas, buscando a sensibilização desse púbico contra o uso e abuso de drogas lícitas e ilícitas.

A primeira palestra orientativa sobre drogas aconteceu na noite de segunda-feira (17.06). Participaram trinta e cinco alunos de karatê do projeto “Karatê Guerreiros de Cristo da Igreja Batista Sião”, no bairro Pedra 90, os quais são apoiados pelos projetos sociais da Polícia Civil.

Conforme o professor de karatê e membro do Conselho Tutelar, Marcivon Nunes, os encontros com os policiais permitem aos alunos a compreensão em fazer boas escolhas sem a influência negativa das drogas. “Os participantes do karatê utilizam as camisetas dos projetos sociais como um uniforme para frequentarem as aulas”, disse o professor.

Outra segunda importante ação de prevenção ocorreu no sábado (22.06), em parceria com a presidente do Conseg da região do Distrito de Nossa Senhora da Guia, Benedita Souza Mendes, que deslocou até a Comunidade de Juquarinha (Distrito do município de Rosário Oeste), para fazer a distribuição de cartilhas e camisetas do programa da Polícia Civil “De cara limpa contra as drogas”, para as crianças da comunidade.

Além do trabalho relevante como conselheira de segurança, Dona Morena, como é conhecida por todos é pastora na Igreja Assembleia de Deus Ministério Templo dos Milagres no município de Jangada.

Segundo a presidente as crianças estavam reunidas na casa de pessoas da comunidade a fim de receber o material bem como o incentivo da leitura das cartilhas. “O que queremos é trabalhar a prevenção, é salvar vidas e, com o pouco conhecimento que eu tenho, mas eu tenho um amor enorme no meu coração e Deus tem me sustentado para levar a palavra do amor e plantar essa sementinha no coração das crianças”, falou Dona Morena.

O terceiro evento foi no dia 23 de junho, onde vinte e cinco jovens da Igreja Batista Bereana, no bairro Altos do Coxipó, em Cuiabá, receberam orientações sobre drogas dos projetos executados pela Polícia Civil.

Para o investigador Ademar Torres, os diferentes segmentos sociais que, de forma direta ou indireta, possam desenvolver ações relacionadas ao tema, como educadores, profissionais de saúde, de assistência social, segurança pública, conselheiros municipais, líderes comunitários e religiosos são parceiros importantes neste processo. “Nossa intenção é ampliar as atividades de prevenção, por meio da educação, disseminação de informações e capacitação destes parceiros”, destacou o policial.

 

publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Policial

Mais uma foragida da Justiça por envolvimento com Novo Cangaço é presa

Publicado

Mais uma pessoa foragida da justiça de Mato Grosso e que tem envolvimento com quadrilhas de roubos a bancos, na modalidade do “Novo Cangaço”,foi presa em Goiás. A mulher de 37 anos estava com mandado de prisão em aberto em um processo penal por roubo e foi localizada na região metropolitana de Goiânia, após diligências da Polícia Civil executadas por equipes da Gerência Estadual de Polinter e Capturas (Gepol).

Natural de Araguaína, no Tocantins, a mulher foi condenada e a mais de 20 anos de prisão pelos crimes de roubo majorado e associação criminosa. Ela tem ainda antecedentes criminais por receptação qualificada, posse e/ou porte de arma de fogo e munição de uso restrito e artefato explosivo.

Na manhã desta terça-feira (26), a equipe que está em Goiás comunicou a delegada da Polinter, Silvia Maria Pauluzi, sobre a prisão da mulher, que trabalhava como garota de programa.

Envolvimento com Novo Cangaço

A mulher tinha envolvimento direto com integrantes de uma organização criminosa – com ramificações em vários estados do País – e era namorada de um dos assaltantes do grupo que fez assaltos a bancos em Nova Mutum, em 2009 e 2010. Na ocasião dos assaltos, o grupo criminoso causou pânico em funcionários e clientes da agência, que foram feitos de reféns e usados como escudos humanos em frente ao banco durante os crimes.

Em janeiro de 2004, ela foi presa em flagrante durante investigação da Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos de Veículos Automotores de Cuiabá. A equipe policial da Derrfva investigava uma denúncia anônima, quando localizou em uma casa, em Várzea Grande, diversos produtos de crime, além de uma camionete modelo Hilux e um verdadeiro “arsenal de guerra”. Na casa ocupada por membros do bando, no bairro Pirineu, os policiais encontraram três fuzis automáticos de fabricação russa, modelo AK-47 e calibre 7.62, um fuzil calibre 5.56mm de fabricação norte-americana, modelo AR-15, três granadas de mão, uma pistola calibre 9 milímetros, 24 carregadores próprios para fuzis, 876 munições de diversos calibres, uma luneta de longo alcance e dois capuzes do tipo balaclava.

A mulher presa em Goiás estava, até 2018, custodiada na Penitenciária Ana Maria do Couto May, em Cuiabá, onde respondia a processo pelos crimes de receptação e porte ilegal de arma de fogo. Ela recebeu progressão de regime e saiu mediante alvará de soltura.

Após a prisão em Goiás, a mulher de 37 anos foi conduzida à autoridade policial da Delegacia de Polícia Interestadual de Goiânia e deverá permanecer à disposição da justiça.

 

Continue lendo

Policial

Polícia Civil de MT prende mais uma foragida da Justiça com envolvimento com Novo Cangaço

Publicado


.

Assessoria/Polícia Civil-MT

Mais uma pessoa foragida da justiça de Mato Grosso e que tem envolvimento com quadrilhas de roubos a bancos, na modalidade do “Novo Cangaço”,foi presa em Goiás. A mulher de 37 anos estava com mandado de prisão em aberto em um processo penal por roubo e foi localizada na região metropolitana de Goiânia, após diligências da Polícia Civil executadas por equipes da Gerência Estadual de Polinter e Capturas (Gepol).

Natural de Araguaína, no Tocantins, a mulher foi condenada e a mais de 20 anos de prisão pelos crimes de roubo majorado e associação criminosa. Ela tem ainda antecedentes criminais por receptação qualificada, posse e/ou porte de arma de fogo e munição de uso restrito e artefato explosivo.

Na manhã desta terça-feira (26.05), a equipe que está em Goiás comunicou a delegada da Polinter, Silvia Maria Pauluzi, sobre a prisão da mulher, que trabalhava como garota de programa.

Envolvimento com Novo Cangaço

A mulher tinha envolvimento direto com integrantes de uma organização criminosa – com ramificações em vários estados do País – e era namorada de um dos assaltantes do grupo que fez assaltos a bancos em Nova Mutum, em 2009 e 2010. Na ocasião dos assaltos, o grupo criminoso causou pânico em funcionários e clientes da agência, que foram feitos de reféns e usados como escudos humanos em frente ao banco durante os crimes.

Em janeiro de 2004, ela foi presa em flagrante durante investigação da Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos de Veículos Automotores de Cuiabá. A equipe policial da Derrfva investigava uma denúncia anônima, quando localizou em uma casa, em Várzea Grande, diversos produtos de crime, além de uma camionete modelo Hilux e um verdadeiro “arsenal de guerra”. Na casa ocupada por membros do bando, no bairro Pirineu, os policiais encontraram três fuzis automáticos de fabricação russa, modelo AK-47 e calibre 7.62, um fuzil calibre 5.56mm de fabricação norte-americana, modelo AR-15, três granadas de mão, uma pistola calibre 9 milímetros, 24 carregadores próprios para fuzis, 876 munições de diversos calibres, uma luneta de longo alcance e dois capuzes do tipo balaclava.

A mulher presa em Goiás estava, até 2018, custodiada na Penitenciária Ana Maria do Couto May, em Cuiabá, onde respondia a processo pelos crimes de receptação e porte ilegal de arma de fogo. Ela recebeu progressão de regime e saiu mediante alvará de soltura.

Após a prisão em Goiás, a mulher de 37 anos foi conduzida à autoridade policial da Delegacia de Polícia Interestadual de Goiânia e deverá permanecer à disposição da justiça.

Fonte: PJC MT

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana