conecte-se conosco


Geral

Maioria dos presos por embriaguez são homens, habilitados e que ganham até R$ 2 mil

Publicado

Estudo analisou 224 flagrantes gerados nas edições da Operação Lei Seca, no período de janeiro de 2015 a maio de 2019, de um universo de 324 inquéritos policiais

A cena se repete a cada edição da Lei Seca em Cuiabá e Várzea Grande: motoristas presos por colocar a própria vida e a dos outros em risco por dirigir bêbados. Mas qual o perfil destas pessoas? A monografia dos capitães da PM Lucas Maciel e Diego John Guindani Silva analisou 224 flagrantes gerados nas edições da Operação Lei Seca, no período de janeiro de 2015 a maio de 2019, de um universo de 324 inquéritos policiais de alcoolemia instaurados na Delegacia Especializada de Delitos de Trânsito.

A conclusão é de que 92% dos infratores são homens, de 31 a 40 anos, habilitados e com renda de até R$ 2 mil por mês. O que chama atenção é que a infração por dirigir sob influência do álcool é gravíssima e a multa é de R$ 2.934,70, bem acima da renda do infrator. Em caso de reincidência, em torno de 10% dos inquéritos, o valor é dobrado e a CNH é cassada.

“Isso reforça a teoria de que os homens são mais propensos à prática de dirigir sob efeito do álcool, acrescido da cultura de que os homens estão mais predispostos a conduzir um veículo sozinhos durante à noite do que as mulheres. Essa é uma explicação da predominância quase totalitária de homens flagrados na operação”, analisa o capitão PM Lucas Maciel, integrante do Gabinete de Gestão Integrada (GGI) da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp).

Em relação a idade, 33% tem idade de 31 a 40 anos, seguido de 26% na faixa etária de 26 a 30 anos e 24%, acima dos 40 anos. Outros 17% tem até 25 anos. O estudo concluiu que a idade não é fator determinante no comportamento de dirigir sob efeito de álcool caso a faixa de meia idade seja considerada como jovem, tendo por base a atual expectativa de vida da população brasileira, de 80 anos para homens, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE).

Vinte e um por cento dos indiciados pelo crime de dirigir bêbados não tinham habilitação e outros 79% tem a Carteira Nacional de Habilitação. Isso significa, que a maioria tem conhecimento da legislação de trânsito.

“Também demonstra que a criminalização, por lei, do hábito de consumir bebida alcóolica e dirigir não foi bem aceita socialmente. Os números de pessoas habilitadas flagradas na prática desviante evidenciam isso”, destaca Lucas Maciel.

Em relação à renda, 42% dos inquéritos são referentes a motoristas que ganham até R$ 1 mil, 40%, entre R$ 1 mil a R$ 2 mil, e 18% ganham mais de R$ 2 mil mensais. Cerca de 90% nunca foram flagrados pela blitz por conduzir veículos bêbados e 10% são reincidentes.

Para o pesquisador, as medidas preventivas de educação no trânsito devem considerar esse perfil afim de impactar o público alvo das operações Lei Seca e garantir a mudança de hábito que evite o crime tipificado no artigo 306 do Código de Trânsito Brasileiro.

“O enfoque deve ser o de explicar o desdobramento das operações e as consequências reais sofridas por quem incide na tipificação penal do Art. 306, do Código de Trânsito Brasileiro, com o apoio da imprensa como meio indispensável ao devido e amplo alcance da população”.

Redução de mortes

A Lei nº 11.705/2008, que institui a Lei Seca no país, nasceu de um clamor por políticas públicas de combate à violência no trânsito. Apesar de todos os avanços alcançados pela normativa supracitada, sua manifestação mais efetiva conseguiu ser alcançada apenas no ano de 2012, com o advento da Lei nº 12.760/2012, conhecida como a “Nova Lei Seca”.

A mudança trouxe mais severidade e teve no embrião de sua formatação o anseio de corrigir divergências da norma anterior, como a ocorrida no Artigo 306 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), não engessando o agente fiscalizador quanto a comprovação do estado de embriaguez, ocasionando em melhor enquadramento dentro do ordenamento jurídico.

Em Mato Grosso, a necessidade de criar mecanismos para a aplicação da Lei 11.705/08 culminou no termo de cooperação técnica interinstitucional n°052/2014/SESP/MP. Foi por meio dela que se instituiu os entes que participam da ação como Detran, Sesp, Politec, Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros Militar, Politec, Semob, Guarda Municipal de Várzea Grande e, agora, o Sistema Penitenciário.

 

 

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Várzea Grande passa a marca de cinco mil curados do novo coronavírus

Publicado

No início da noite desta sexta-feira, foi registrado o número exato de 5.005 mil curados residentes no município

A prefeita Lucimar Sacre de Campos e o Comitê de Enfrentamento ao Novo Coronavírus comemoraram no princípio da noite desta sexta-feira (14) a marca de 5.005 mil residentes em Várzea Grande curados da COVID 19.
“Em tempos de pandemia, uma notícia alvissareira como essa é sempre bom de ser comemorada e nos estimula a continuar enfrentando a doença e alguns setores que tentam politizar um assunto tão sério e que afeta a
todos indistintamente “, disse Lucimar Sacre de Campos assinalando que muitos apontam os dedos, mas são poucos que arregaçam as mangas para trabalhar em prol do povo.
Ela ponderou que diariamente medidas estão sendo adotadas, mas dentro da nova realidade, pois a COVID 19 ainda é uma enfermidade que tem seus caminhos pouco conhecidos e que provoca reações diferentes em cada pessoa, em cada ser humano.
Lucimar Campos voltou a defender de forma paulatina e responsável, a retomada de setores da economia que acabaram estagnados por causa do momento vivenciado e ponderou que já está comprovado que se pode flexibilizar as medidas desde que todos se conscientizem de que facilitar a retomada econômica, não pode vir acompanhada de se relaxar as medidas de biossegurança como o uso constante de máscaras, de meios de higienização, de distanciamento e de outras medidas que evitam a propagação da doença.
“Volto a frisar que este momento é importante, pois temos menos de 5,9 mil casos e mais de 5.005 curados e isto demonstra que melhoramos nosso desempenho, avançamos no combate a doença e estamos também paulatinamente, tentando adotar novas medidas que ajudem a população, o comércio e a indústria a retomarem sua normalidade”, disse a prefeita de Várzea Grande.
Ela lamentou que existem setores considerados importantes como o das escolas que ainda não poderão voltar a funcionar, mas isto será passageiro e vai ser superado, mas com responsabilidade.
“Vamos vencer a pandemia porque nos unimos e buscamos o bem comum de todas as pessoas, pois a COVID 19 não vê cor, raça, religião e, portanto, estamos estimulados para vencer mais este obstáculo que afeta a cidade e todas as pessoas indistintamente”, disse Lucimar Sacre de Campos.

 

 

 

 

Continue lendo

Geral

Mato Grosso registra 72.141 casos e 2.336 mortes por coronavírus; quase 50 mil pacientes estão recuperados

Publicado


Nas últimas 24 horas foram notificadas 34 mortes e 1.433 novos casos de covid

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde desta sexta-feira (14), 72.141 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 2.336 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado. Nas últimas 24 horas. foram registradas 34 mortes e 1.433 novas confirmações de coronavírus no Estado. Dos 72.141 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 20.096 estão em monitoramento e 49.709 estão recuperados. 

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 275 internações em UTIs públicas e 279 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 70,98% para UTIs adulto e em 31,56% para enfermarias adulto.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19, estão: Cuiabá (14.883), Várzea Grande (5.782), Rondonópolis (4.681), Lucas do Rio Verde (3.658), Sorriso (3.568), Tangará da Serra (3.194), Sinop (2.573), Primavera do Leste (2.248), Nova Mutum (1.670) e Campo Novo do Parecis (1.405). 

A lista detalhada com todas as cidades que já registraram casos de coronavírus em Mato Grosso pode ser acessada por meio do Painel Interativo Covid-19, disponível neste link.

Os dados ainda apontam que um total de 66.106 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e que, atualmente, restam 1.873 amostras em análise laboratorial. 

Cenário nacional

Na última quinta-feira (13), o Governo Federal confirmou 3.224.876 casos da Covid-19 no Brasil e 105.463 óbitos oriundos da doença. No levantamento do dia anterior, o país contabilizava 104.201 óbitos e 3.164.785 casos confirmados de pessoas infectadas pelo coronavírus. 

Até o fechamento deste material, o Ministério da Saúde não divulgou a atualização desta sexta-feira (14).

Recomendações

Atualmente, não existe vacina para prevenir a infecção pelo novo coronavírus. A melhor maneira de prevenir a infecção é evitar ser exposto ao vírus. Os sites da SES e do Ministério da Saúde dispõem de informações oficiais acerca do novo coronavírus. A orientação é de que não sejam divulgadas informações inverídicas, pois as notícias falsas causam pânico e atrapalham a condução dos trabalhos pelos serviços de saúde.

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo coronavírus. Entre as medidas estão:

– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;

– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;

– Evitar contato próximo com pessoas doentes;

– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;

– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana