conecte-se conosco


Internacional

Luis Lacalle Pou será o novo presidente do Uruguai

Publicado

O candidato de centro-direita Luis Lacalle Pou obteve a maioria dos votos nas eleições presidenciais do Uruguai. Após a revisão dos votos do pleito, realizado no último domingo (24), Lacalle venceu em uma disputa muito acirrada contra Daniel Martínez, candidato da coalizão de esquerda – Frente Ampla. A posse será dia 1º de março de 2020.

A alternância de poder com a vitória por um resultado tão apertado, definido voto a voto, mostra que o Uruguai está dividido. Quase metade dos uruguaios preferia a continuação do governo de esquerda exercido pela Frente Ampla, partido de Martínez, no poder há 15 anos.

Quem é

Lacalle Pou, do Partido Nacional, tem 46 anos e é formado em Direito, mas nunca advogou. Desde os 24 anos se dedica à política e já foi deputado e senador.

National Party presidential candidate Luis Lacalle Pou looks on after the second-round presidential election, in Montevideo, Uruguay November 25, 2019. REUTERS/Mariana Greif

Novo presidente do Uruguai, Lacalle Pou tomará posse dia 1º de março   REUTERS/Mariana Greif/Direitos Reservados

Opositor ferrenho do atual governo, Lacalle Pou vem de uma família de políticos. É filho do ex-presidente do Uruguai Luis Alberto Lacalle, que governou de 1990 a 1995 e da ex-senadora Julia Pou. É bisneto de Luis Alberto de Herrera, um dos políticos mais influentes da história do Partido Nacional.

Lacalleu Pou concorreu à presidência nas últimas eleições, em 2014, quando perdeu, em segundo turno, para Tabaré Vázquez, da Frente Ampla.

Adiamento

O resultado parcial das eleições, publicado ainda no domingo (24), apontava para um empate técnico.  Lacalle havia recebido 48,71% dos votos (1.168.019 votos), enquanto Daniel Martínez, 47,51% (1.139.353 votos).

Mas, no Uruguai existe uma segunda contagem, mais demorada, que é a dos votos observados. Assim como no Brasil, cada eleitor deve votar em um colégio eleitoral específico. No entanto, quando isso não é possível, o cidadão tem o seu voto observado. É o caso de uma pessoa que foi convocada a trabalhar de mesária em um colégio eleitoral diferente daquele em que está habilitada a votar. É um procedimento especial para que a validade do voto possa ser confirmada posteriormente.

Os votos observados nessa eleição eram 35.229. A diferença de votos entre Lacalle e Martínez era de 28.666 votos. Hoje, com o avanço da apuração dos votos observados, Luis Lacalle Pou adicionou 3.090 votos, o que confirmou sua vitória numérica sobre Daniel Martinez.

Edição: Kleber Sampaio
publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Internacional

França tem manifestações contra a obrigatoriedade da vacina da Covid-19

Publicado


source
Manifestantes franceses marcham contra vacinação obrigatória
Reprodução/Twitter

Manifestantes franceses marcham contra vacinação obrigatória


Manifestantes marcham contra a obrigatoriedade da vacina, neste sábado (31), na França. No último dia 12, o presidente francês Emmanuel Macron determinou que todos os profissionais da saúde devem se vacinar até 15 de setembro. Caso contrário, não poderão exercer a profissão ou receber remuneração.

Segundo publicação do perfil Révolution Permanente, várias pessoas se reuniram na cidade de Marselha por iniciativa de militantes sindicais, políticos e ambientalistas. Os manifestantes marcham contra o que eles chamam de “política de saúde autoritária” e  “colapso social de Macron”.


O perfil La Plume Libre mostrou uma concentração de pessoas contra a obrigatoriedade da vacina também em Paris e informou que outros três eventos devem acontecer na capital francesa.


Em atualização

Fonte: IG Mundo

Continue lendo

Internacional

Assédio sexual: Funcionário filma colegas no banheiro do escritório

Publicado


source
Funcionário da Activision filmou colegas no banheiro do escritório
Karol Albuquerque

Funcionário da Activision filmou colegas no banheiro do escritório

A Activision Blizzard enfrenta um processo na Califórnia por assédio sexual e discriminação. Agora, um ex-funcionário de tecnologia da informação da companhia confessou ter montado uma câmera embaixo da pia, apontando para um banheiro do escritório da empresa em Minnesota, em 2018, mostram os registros do tribunal.

Tony Ray Nixon confessou ser culpado de interferência com a privacidade, uma contravenção grave. Ele foi preso preventivamente, mas acabou violando a liberdade condicional e acabou recebendo o “tratamento de agressor sexual conforme as instruções”.

O ex-funcionário da Activision tinha a intenção de espionar os funcionários enquanto usavam o banheiro, segundo os registros judiciais. Ainda de acordo com os autos, um funcionário, anônimo, disse ter recebido um e-mail do departamento de recursos humanos informando que o dispositivo de monitoramento não autorizado havia sido instalado no banheiro unissex. A companhia fazia uma investigação interna.

Quando a polícia foi ao local, a gerência informou que um funcionário encontrou duas câmeras instaladas no banheiro, sob as pias. A gerência removeu os dispositivos e enviou para o escritório de Santa Monica, na Califórnia, para análise. Nas investigações, a polícia descobriu que Nixon comprava os cartões micro SD, baterias e câmeras à prova d’água.

O ex-funcionário admitiu que as câmeras capturaram as imagens, mas disse que apagaram os vídeos. Em resposta à revista Vice , a Activision Blizzard disse que removeu os dispositivos assim que o incidente foi relatado e notificou as autoridades.

“Assim que as autoridades e a empresa identificaram o autor do crime, ele foi demitido por sua conduta abominável. A empresa forneceu conselheiros de crise para os funcionários, no local e virtualmente, e aumentou a segurança”, completa a nota. Atualmente, a companhia é processada pelo estado da Califórnia por violar leis trabalhistas e servir como um “terreno fértil para o assédio”.

Riot Games também é processada

Outra desenvolvedora também foi processada pelo mesmo órgão que agora move a ação contra a Activision Blizzard. A Riot Games é processada por discriminação salarial, assédio sexual e retaliação. A ação legal foi tomada pela primeira vez por funcionários da companhia em 2018.

Via: Vice / PC Gamer

Fonte: IG Mundo

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana