conecte-se conosco


Economia

Lucro do BNDES foi de R$12,9 bi no trimestre

Publicado

source
Lucro do BNDES foi de R$12,9 bi no trimestre
Ivonete Dainese

Lucro do BNDES foi de R$12,9 bi no trimestre

O principal banco de fomento do País, o BNDES, viu mais uma vez os números financeiros avançando para recordes. No primeiro trimestre de 2022, o lucro líquido do BNDES foi de R$12,9 bilhões. O número foi 32% maior que o do mesmo período do ano passado.

De acordo com o comunicado, o desempenho foi influenciado pela reclassificação de JBS (R$ 5,8 bilhões), receita com dividendos da Petrobras (R$ 3,0 bilhões), resultado líquido das alienações de ações (R$ 1,3 bilhão) e saldo positivo de equivalência patrimonial de R$ 0,8 bilhão.

O BNDES também estruturou negócios, como os leilões de CODESA, Parque Nacional de Iguaçu e as PPPs de Iluminação Pública de Caruaru e Jaboatão dos Guararapes.

Já os desembolsos cresceram 31% no comparado de 12 meses. Foram R$ 14,8 bilhões, incluindo debêntures, outros ativos de crédito, operações de renda variável e não reembolsáveis.

MPMES e os créditos

As operações com Micro, Pequenas e Médias Empresas – MPMEs representaram 38,1% desse valor (R$ 5,6 bilhões), em linha com a política estratégica do banco. Ao todo, R$ 103 bilhões da carteira de crédito do BNDES estão destinados a essa parcela do mercado, o que equivale a 22,7% do total.

A intermediação financeira atingiu R$ 4,9 bilhões, aumento de 12% em comparação ao mesmo período de 2021, impactado pela elevação na taxa SELIC, que remunera a carteira de tesouraria.

“O resultado recorrente de R$ 5,5 bilhões no primeiro trimestre de 2022 apresentou aumento de 128% quando comparado ao mesmo período de 2021 (R$ 2,4 bilhões), refletindo a maior receita com dividendos/JCP e o acréscimo no produto da intermediação financeira. O resultado recorrente exclui operações de desinvestimento da carteira de renda variável e provisões para risco de crédito, dentre outros”, destacou o banco.

Ativos do BNDES

O ativo do Sistema BNDES totalizou R$ 749,7 bilhões em 31 de março de 2022, 1,7% a mais que em 31 de dezembro de 2021 (R$ 737,2 bilhões), decorrente, principalmente, do efeito da reclassificação do investimento em JBS e consequente reconhecimento da diferença entre o valor de mercado e o valor contábil das ações (R$ 6,7 bilhões). Soma-se a este efeito a valorização da carteira de participações societárias em não coligadas de cerca de R$ 7,2 bilhões no trimestre.

Carteiras de Crédito

A carteira de crédito e repasses, líquida de provisão, totalizou R$ 433,7 bilhões, representando 57,9% dos ativos totais no fim do primeiro trimestre e se manteve no mesmo patamar de dez/21 (decréscimo de 1,3%).

A carteira de crédito expandida totalizou R$ 442,9 bilhões em 31 de março de 2022, apresentando leve redução de 1,6% em relação ao fechamento do trimestre anterior.

Os desembolsos totais (que incluem debêntures, outros ativos de crédito, operações de renda variável e não reembolsáveis) chegaram a R$ 14,8 bilhões.

A carteira de participações societárias totalizou R$ 79,2 bilhões em 31 de março de 2022. A posição representa um acréscimo de 19% em relação a 31 de dezembro de 2021, em função dos efeitos da reclassificação do investimento em JBS e da valorização da carteira de não coligadas.

Inadimplência

A inadimplência (+ 90 dias), se manteve baixa, 0,21% em 31 de março de 2022, inferior ao nível do Sistema Financeiro Nacional (0,37% no segmento grandes empresas – dados de fevereiro/22).

O índice de renegociação atingiu 13,91% em 31 de março de 2022, em função das renegociações no âmbito dos programas emergenciais Standstill – COVID-19 e Setor Elétrico.

O Índice de Basileia oscilou de 40,2% ao final de dezembro de 2021 para 39,5% em março de 2022, acima dos 10% exigidos pelo Banco Central.

Se você gostou deste conteúdo e quer continuar por dentro do mundo dos investimentos, não se esqueça de clicar aqui

O post Lucro do BNDES foi de R$12,9 bi no trimestre apareceu primeiro em 1 Bilhão Educação Financeira .

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Economia

Cuiabá encerra a semana com 855 vagas de emprego com salários de até R$ 7 mil; veja funções e benefícios

Publicado

Para quem busca uma oportunidade no mercado de trabalho, o Sine Municipal, coordenado pela Secretaria de Agricultura, Trabalho e Desenvolvimento Econômico, disponibilizou nesta sexta-feira (19), mais de 850 vagas de emprego em diversas áreas de atuação.

As oportunidades são para os cargos de: agente de vendas de serviços, ajudante de obras, analista de planejamento financeiro, atendente de balcão, auxiliar de limpeza, balconista de açougue, borracheiro, carpinteiro, conferente de carga e descarga, eletricista, eletrotécnico, engenheiro civil, garçom, gerente comercial, motorista de caminhão, operador de caldeira, serralheiro, técnico de edificações, vendedor interno, entre outas vagas.

Para se candidatar basta baixar o aplicativo “Sine Fácil” ou acessar a página virtual do Emprega Brasil (empregabrasil.mte.gov.br). O candidato pode ainda se dirigir a unidade do Sine no Coxipó ou no Shopping Popular, com os documentos pessoais.

Nesta sexta-feira, a van do Sine da Gente, que integra o programa Pra Frente Cuiabá, leva atendimento aos moradores do bairro Altos do Parque. A equipe se posiciona no espaço da EMEB Clóvis Hugueney Neto, localizada na Avenida I, Quadra 21, Lote 30, oferecendo os serviços de encaminhamento de vagas de emprego, Carteira de Trabalho Digital e orientação no Seguro de Desemprego, das 9h às 12 e 13h às 16h.

Canais de atendimento Sine Municipal de Cuiabá:

Sine Shopping Popular: das 9h às 17h

Telefone e Whatsapp: (65) 3664-1503/ 99251-7480

Sine Coxipó: das 7h às 17h

Telefone e Whatsapp: (65) 3675-3113/ 99337-2799

Sine da Gente (Sine móvel): toda semana em um bairro diferente de Cuiabá.

Os empregadores que desejarem anunciar suas vagas no Sine podem entrar em contato pelos telefones (65) 3645–7216 ou (65) 3645-7237, pelo whats (65) 99255–2450 ou pelo e-mail [email protected].

PLANILHA DE VAGAS 19-08-2022

Continue lendo

Economia

Prosus adquire controle total do iFood por cerca de R$ 9,4 bilhões

Publicado

Prosus adquire controle total do iFood por cerca de R$ 9,4 bilhões
Sophia Bernardes

Prosus adquire controle total do iFood por cerca de R$ 9,4 bilhões

A gigante holandesa Prosus, controladora da Movile, fechou um acordo para adquirir os 33,3% restantes de sua participação no iFood, que pertencia ao acionista minoritário Just Eat Holding Limited. Com o negócio, a empresa passa a deter controle do total da plataforma de delivery brasileira.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

O acordo prevê o pagamento de € 1,5 bilhão em dinheiro mais uma contraprestação contingente de até € 300 milhões, também em dinheiro. Esse valor adicional pode ser pago a depender dos resultados do iFood nos próximos 12 meses.

A aquisição consiste na venda pela Just Eat de ações representativas de 33,3% do iFood e da IF-JE Holdings BV, que em conjunto detêm o negócio iFood. Como parte da transação, a Just Eat também adquirirá, sem contraprestação adicional, a participação de 49% da IF-JE Holdings BV na empresa espanhola El Cocinero a Cuerda SA.

A transação ainda está sujeita à aprovação de acionistas da Just Eat Takeway.com NV, da qual a Just Eat é subsidiária.

A Prosus investiu pela primeira vez no iFood por meio da Movile em 2013. A holandesa tem forte presença no mercado de delivery, com um portfólio que inclui o iFood na América Latina, Swiggy na Índia e Delivery Hero, que está presente em mais de 50 países.


Fonte: IG ECONOMIA

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana