conecte-se conosco


Policial

Líder do CV diz que foi traído e ameaçado e assume morte de colega de facção na PCE

Publicado

Suspeito disse que cometeu homicídio por medo de rival atentar contra sua vida

O detento Luciano Mariano da Silva, conhecido como “Marreta”, confessou em depoimento prestado à Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), na segunda-feira (18), que matou o colega de cela, Paulo César dos Santos, o “Petróleo”. O crime ocorreu no último dia 26 de outubro, dentro de uma cela na Penitenciária Central do Estado (PCE). A princípio, havia suspeita de suícido, que foi descartado.

‘Petróleo’ e ‘Marreta’ eram apontados como líderes do Comando Vermelho dentro da unidade prisional, e foram presos na “Operação Assepsia”, deflagrada em junho pela Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), duas semanas após um freezer com 86 aparelhos celulares, dezenas de carregadores, chips e fones de ouvido ter sido apreendido na PCE.

Acompanhado de um advogado, “Marreta” afirmou que cometeu o assassinato por suspeitar que “Petróleo” havia lhe traído, repassando informações sobre seus negócios fora da cadeia para policiais da Ronda Ostensiva Móvel Tática (Rotam). Ele teria tido a ‘confirmação’ de suas suspeitas, dois dias antes de executar o colega de cela, durante um depoimento no Fórum de Cuiabá. Segundo ele, o depoimento de outros envolvidos na operação em que foi apreendido o freezer com celulares, batia com tudo o que ele revelado para a vítima.

“Que não tinha dúvida de que Petróleo estava entregando, pois a versão das pessoas em juízo era exatamente a mesma daquilo que o interrogado havia conversado dentro de cela na companhia da vítima”, diz trecho do documento.

Após a audiência, no trajeto de volta à PCE, Marreta chegou a perguntar à vítima o motivo de ele estar o entregando. Petróleo teria respondido “depois da visita nós conversa (sic)”. Marreta acrescentou que a conversa não teve outro ouvinte, apenas ele.

Após a visita, os dois não conversaram mais e se declaram inimigos a partir dali. Afirmou ainda em seu depoimento que no dia do crime notou que quando todos já estavam deitados para dormir, “Petróleo” o observava, causando-lhe desconforto.

“Que como a vítima já teria ameaçado o interrogado, com expressão ‘depois da visita nós conversa’, o interrogado não teve dúvida de que naquele dia ‘seria a morte’. Que o interrogado também passou a ‘cuidar’ da vítima”, disse.

Marreta afirmou que já havia se sentido ameaçado pela vítima e que por isso, por volta das 23h, Marreta pegou o lençol da sua cama, foi até o banheiro e fez uma trança, fechando a cortina do banheiro. Ele levou um vidro de perfume e atacou Petróleo, passando a trança pelo seu pescoço e o imobilizando com o braço. Disse ainda que os outros três companheiros de cela não tiveram participação no crime. “Sim fui eu que matei para não morrer”, afirmou.

 

 

 

publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Policial

Polícia Civil flagra traficante transportando dois tabletes de maconha

Publicado


.

Assessoria/Polícia Civil-MT

Um traficante flagrado com dois tabletes de maconha foi preso em flagrante durante investigações da Delegacia Especializada de Repressão a Entorpecentes (DRE), da Policia Civil, realizadas nesta terça-feira (07.07), para reprimir o tráfico de drogas em Várzea Grande.

O suspeito foi flagrado no momento em que descarregava o entorpecente de dentro do seu veículo.

A equipe da DRE em investigações no bairro Jardim Imperial recebeu informações sobre um veículo Volkswagen Voyage que estava próximo a praça principal ao lado de um colégio público com grande quantidade de drogas.

Segundo as informações, a pessoa responsável pelo veículo estava negociando a venda da droga. Após monitoramento do local, os policiais flagraram o momento em que o veículo entrou em uma residência nas proximidades da praça, realizando a abordagem.

No momento em que os policias chegaram, o suspeito estava retirando um saco de ração do veículo, sendo encontrado dentro da sacola duas peças grande de maconha. Diante do flagrante, foi dado voz de prisão ao suspeito que foi encaminhado a DRE e autuado por tráfico de drogas.

Fonte: PJC MT

Continue lendo

Policial

Dois novos delegados são empossados na Polícia Civil

Publicado


.

Assessoria | Polícia Civil-MT

Mais dois novos delegados de polícia foram empossados na manhã desta terça-feira (07.07), após nomeação do Governo do Estado e publicada no Diário Oficial no dia 30 de junho de 2020. Eles se integram à turma de 27 profissionais nomeados no mês de junho e que  irão reforçar os trabalhos da Polícia Civil de Mato Grosso.

João Paulo Firpo Fontes e Amanda Menuci tomaram posse em solenidade na Diretoria Geral da Polícia Civil, em Cuiabá. O ato foi realizado respeitando as medidas de prevenção ao contágio pelo novo coronavírus (Covid-19).

Os dois novos delegados de polícia iniciam o 16º Curso de Formação Técnico-Profissional, promovido pela Academia de Polícia Civil, com duração de 740 horas/aula. Além da qualificação teórica na unidade de ensino, os novos profissionais desenvolveram atividades nas delegacias de polícia. 

No projeto de formação, ministrado pela Academia de Polícia Civil, os novos servidores alternarão aulas telepresenciais e presenciais, com os cuidados previstos para evitar a contaminação pelo coronavírus. 

O diretor da Acadepol, delegado Welber Batista Franco, deu as boas vindas aos novos delegados, que a partir de hoje passam a ingressar o quadro de carreira da instituição e destacou o esforço da atual gestão de sensibilizar o Governo  sobre a necessidade da nomeação dos profissionais. 

O diretor falou da importância de chegar com o coração aberto para aprender, e que prontos, capazes e preparados possam levar com segurança os ensinamentos da Acadepol. “Vocês estão de parabéns pela investidura no cargo de uma missão tão nobre. A Academia espera por vocês para o início dos ensinamentos e que com magnitude possam desempenhar as funções de forma honrosa”, destacou o diretor Welber Batista Franco.

O delegado-geral adjunto, Gianmarco Paccola Capoani, falou sobre a dimensão territorial de Mato Grosso, com cidades distantes e algumas com delegacias ainda fora das condições ideais.

“O interior é muito tranquilo e a melhor forma de iniciar a carreira, uma verdadeira escola de aprendizagem. Procurem sempre a sabedoria e a experiência, se relacionar bem e com respeito com a equipe formada por investigadores e escrivães, fundamentais para um trabalho de investigação com qualidade”, pontuou o delegado Gianmarco Capoani.

Para o delegado empossado João Paulo Firpo Fonte, natural do estado da Bahia, é com grande alegria que passa a integrar a Polícia Civil de Mato Grosso, após 14 anos atuando como escrivão da Polícia Federal.

“Sempre ouvi falar excepcionalmente bem da Instituição, e por toda essa receptividade que estou tendo, mesmo antes de ingressar na carreira, já percebi o nível de esforço e de integração da atual gestão da Polícia Civil em conseguir, no meio dessa pandemia a nomeação . Sempre foi um sonho e pelas referências que tive, tenho certeza que estou entrando na melhor Polícia Judiciária do Brasil. Quero poder contribuir, ajudar e servir à população”, agradeceu o empossado.

Participaram da solenidade os diretores Juliano Carvalho (Inteligência), Daniela Maidel (Execução Estraégica), Ana Paula de Faria Campos (Metropolitana) e o coordenador de Gestão de Pessoas, delegado Arnon Osny Mendes.

Fonte: PJC MT

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana