conecte-se conosco


Opinião

LICIO MALHEIROS – Indeferimento

Publicado

Faltando poucos dias, para realização da eleição suplementar para o Senado; em função da cassação, do mandato da ex-senadora Selma Arruda e de seus dois suplentes por caixa 2 e abuso do poder econômico na campanha de 2018, pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Obviamente, com o surgimento das primeiras pesquisas de intenções de votos para esta cobiçada vaga ao Senado Federal; com ela tem-se início, a um grande acirramento e tentativas de implosões, destas ou daquelas candidaturas e Coligações.

Tanto é verdade, que na tentativa de prejudicar a qualquer custo seus oponentes a candidata ao Senado, Coronel Rúbia Fernanda (Patriota), que compõe a Coligação “Meu Partido é o Brasil, nossa Missão é Mato Grosso” entrou com pedido judicial para que fosse retirada do rádio a propaganda eleitoral do Sargento Elizeu Nascimento (DC) da Coligação “Agora é a Vez do Povo 27-DC/PSL”, por não conter a locução do nome de seus suplentes. Porém, o pedido foi negado pelo Juiz auxiliar Ciro José de Andrade Aparecida, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

No documento protocolado contra a coligação “Agora é a Vez do Povo 27-DC/PSL” foi relatado que a situação proposta, caso fosse confirmada seria uma afronta as regras dispostas no Artigo nº 12 da Resolução do TSE de número 23.610/2019.

“A representante pede a concessão de medida liminar para a imediata suspensão de todas as inserções impugnadas”, diz trecho do documento. O magistrado plantonista, no entanto, não viu nenhuma irregularidade na propaganda feita pela chapa de Elizeu, desse modo, o pedido de liminar não foi deferido, ou seja, não foi aceito por ele, como membro e representante plantonista do TSE.

Obviamente, entende-se tais alternativas pouco ortodoxas, deselegantes e sem fundamentação jurídica, por parte de alguns postulantes ao cargo; isso tem um nome “desespero”.

Pelo simples fato, de um emergente oriundo de um bairro periférico, Altos da Serra, servidor público da nossa gloriosa Polícia Militar, por 17 anos de serviços prestados com louvor, a essa gloriosa instituição, sem nenhuma  mácula em seu nome, mesmo estando todo esse tempo na linha de frente, no enfrentamento de bandidos, assassinos gente da pior espécie possível.

Essa representação impetrada pela Coronel Rúbia Fernanda (Patriota), que compõe a Coligação “Meu Partido é o Brasil, nossa Missão é Mato Grosso”, infelizmente, nela está intrínseca, normas e ações hierárquicas que existem nas instituições militares, tendo como premissa básica as questões das patentes.

Porém, aqui fora o que pesa são os trabalhos prestados, atuações no meio político há anos a fios, com apresentação de projetos exequíveis, executados em prol da população, assim como  afinidade com a população, principalmente a mais carente.

Uma outra situação de desespero vivida pela opositora, trata-se da última pesquisa realizada hoje dia 13 de outubro, por um renomado  site da Capital, na pesquisa estimulada ao Senado, continua aparecendo o Procurador Mauro (PSOL) em primeiro lugar com 17,3%, em segundo Elizeu Nascimento  (DC) 9,7%, e em sétimo lugar com 3% das intenções de votos, a Coronel Rúbia Fernandes (Patriota).

Professor Licio Antonio Malheiros é geógrafo

 

publicidade
1 comentário

1 comentário

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Opinião

WILSON FUÁH -Somos o que somos

Publicado

Cada dia a vida nos oferece um prêmio e às vezes um castigo, por isso devemos comemorar as conquistas e aprender com as derrotas, como é bom dizer: não tenho nada a aprender hoje, porque o meu dia foi vitorioso.

Mas, nem tudo acontece seguindo pelos caminhos da nossa vontade, por isso, temos que estar preparados para aceitar os resultados das metas planejadas, pois ela vem sempre com a possibilidade de dois resultados, e são eles que nos darão o prazer de estar vivos, por isso não devemos assumir por antecipação os compromissos apenas com exclusividade do êxito, mas também, aceitar as coisas como elas precisam acontecer, só assim você terá os dias aceitáveis, acatando a realidade e as verdades da sua vida, sabendo que nem tudo que esperamos acontece como queremos.

Devemos entender que o que mais nos perturba, não são os fatos e os atores dos fatos, mas sim o julgamento que fazemos deles, temos que entender que em nossas vidas existem fatos que surgem e nos surpreendem, mas que não temos poder de interferir, porque somos surpreendidos o tempo todo, por isso é interessante, que em nosso viver, possamos saber usar as coisas que estão aos nossos alcances, porque muitas outras não estão.

Não devemos esquecer que no mundo em que vivemos está cheio de surpresas e que às vezes nos inspiram e outras vezes nos desanimam pelas etapas da vida, que estão cheias de obstáculos.

O importante é entender a vida como ela, é, deixá-la seguir em frente, por isso, temos que usar os nossos pensamentos e nossos impulsos para decidir pela vontade do “querer ou não querer” de tudo que está a nosso favor, e acima de tudo, saber usar as sequências dos nossos passos em busca dos objetivos propostos, e aproveitando das nossas  experiências que são necessárias e indispensáveis para o entendimento das viradas que a vida dá, e essa vontade de vencer deve estar ancorada em nossas crenças e na fé em Deus.

Devemos estar conscientes que existe uma força suprema e inteligente disposta a nos auxiliar através da fé, e que é infinitamente superior aos nossos medos, dúvidas e inseguranças, pois na verdade somos o que somos, pelo resultados  das nossas obras, do nossos trabalhos  e das ações positivas em busca do crescimento material e espiritual.

Econ. Wilson Carlos Fuáh – É Especialista em Recursos Humanos e Relações Sociais e Políticas.

Fale com o Autor: [email protected]    

                                          

    

 

 

Continue lendo

Opinião

LICIO MALHEIROS – Tentativa de cerceamento da liberdade de escolha

Publicado

A política está relacionada diretamente com a vida em sociedade, no sentido de fazer com que cada indivíduo expresse suas diferenças e conflitos sem que isso seja transformado em um caso social.

Das 18 capitais brasileiras, nas quais irá acontecer o segundo turno; Cuiabá apresenta situação sui generis em função do confronto acirrado, entre Emanuel Pinheiro (MDB) e Abílio Júnior (Podemos).

Nesta última semana vem acontecendo um festival de denúncias, algumas infundadas e inconsistentes, outras pautadas na verdade e credibilidade, tendo em vista, a consistência e veracidade dos fatos.

A chamada em questão tem como vertente à liberdade de escolha, a mesma, está assegurada no Art. 5º, todos somos iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros, uma gama de direitos o principal deles a inviolabilidade do direito à vida. Neste caso específico direito à liberdade, principalmente a de escolha, ao candidato A ou candidato B.

Nos dias atuais as redes sociais vêm se tornado um aliado da população brasileira, pois tudo que acontece, tanto as boas notícias como as ruins são gravadas e divulgadas, nas redes sociais.

Agora quando este vazamento acontece em relação a órgãos públicos, aí a coisa muda de figura, como aconteceu em 2016, quando o presidente da Metamat Elias Neto, “em um áudio, no qual um homem diz que o governador estava convocando todos os servidores de cargos comissionados para uma reunião. E de forma incisiva e com tão de ameaça dizia que quem não fosse seria exonerado da função no dia seguinte”.

Acreditávamos piamente, que esses métodos pouco ortodoxos e vergonhosos teriam sidos extirpados de vez das nossas vidas, porém eis que surge outro áudio, desta feita, com a fala da senhora Miriam Pinheiro no qual ela diz “nós agora temos que unir tá? Porque cada um daqui de vocês, sei que a maioria aqui não é concursado, mesmo aqueles que são concursados dependem do “plus” que recebem a mais tá? Então gente, se agente não lutar aqui com unhas e dentes, como falei lá, eu vou ser uma pedra no sapato de todos aqui, vocês me desculpem, porque sou estressada sou prática   eu sou ligeira, eu não gosto de nada enrolado, vamos para a rua às 18 horas todo mundo, todo mundo precisa do cargo aqui, não é pressão psicológica, uma já lá na reunião já falou que não vai, foi sincera, então assim, já sei que com ela não poderei contar, tá? Também, é uma “consequência” dela, né?! Ela quem esta falando! Então quero a ajuda de vocês, sinceridade…………..”, como o áudio é muito prolixo resumi.

Não estou aqui criando nenhum factoide, estou apenas pautando pela verdade doa a quem doer, pois esse tipo de manobra independentemente de se tratar de: direita, centro ou esquerda; esse tipo de manobra sórdida e vergonhosa  tem que acabar, pois vivemos em um país democrático, cada qual, tem o direito de escolher e votar em quem lhe convier, isso tem que acabar.

Pare o mundo, quero descer!

Professor Licio Antonio Malheiros é geógrafo  

 

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana