conecte-se conosco


Carros e Motos

KTM divulga teaser que adianta as novas Duke e motores, de 490 cc e 890 cc

Publicado

source
KTM arrow-options
Divulgação

As novas KTM terão a missão de retomar o forte desempenho de vendas que perdeu ao longo dos anos

Após notícias de que a KTM já desenvolve dois novos motores (490 cc e 890 cc), a fabricante austríaca lança um teaser que adianta novidades para o dia 5 de novembro. Além disso, a fabricante vai lançar os modelos Duke em 2020, que virão para renovar a linha e aumentar o leque de ofertas também ao Brasil. Entre os modelos flagrados na Europa, estão o 390 Duke e o 790 Duke. E no vídeo teaser abaixo tudo indica que o modelo que aparece é o 1.290 Super Duke,  ao considerar os itens em fibra de carbono e o braço oscilante.

LEIA MAIS: Nova KTM 390 Duke alia diversão à versatilidade

Para o novo motor de 890 cc, que terá dois cilindros (conforme o que já foi revelado pelo CEO da KTM Stefan Pierer), espera-se um desempenho animador, que ficará por volta de 105 cv. Para o “irmão” menor, de 490 cc, as únicas informações são de que a indiana Bajaj contribui para o seu desenvolvimento — algo que sugere um custo de produção mais reduzido e, consequentemente, preços mais baixos para o(s) modelo(s) que virão equipados com ele.

Já há um tempo sem grandes atualizações, as novidades farão barulho na estréia. Para o Brasil, será uma boa oportunidade para a KTM se inserir novamente em segmentos que um dia já teve destaque, mas perdeu forças ao longo dos anos, culminando no fim da esportiva RC8, da bigtrail Adventure e da Supermoto em 2010, além da Super Duke em 2017. Apesar dos novos modelos serem apenas da linha KTM Duke, os novos motores também serão destinados às outras categorias, provocando uma renovação da marca como um todo.

Leia Também:  Chega ao Brasil a Triumph Bobber Black, com melhorias e visual “dark”

LEIA MAIS: Conheça a nova KTM 200 Duke ABS

Para os modelos de competição, por outro lado, as novidades não irão interferir muito. Mesmo que o segmento off-road seja o grande foco da marca — evidente pela quantidade ofertada ser muito maior — não consideram que estão ficando para trás em tecnologia. O projeto dessas motos é diferenciado das opções de rua, além de que não sofrem tanto com a concorrência de outras marcas e por vezes são limitadas pelos regulamentos das competições de Enduro, Trial, Freestyle, Super Cross e outras.

As KTM mais vendidas no Brasil

KTM arrow-options
Divulgação

KTM 200 Duke: Modelo de entrada é uma das motocicletas de custo-benefício quando o assunto é esportividade

Os modelos mais procurados são as Duke 200 (R$ 17.900) e 390 (R$ 23.990). Com apenas 130 kg, a primeira vem equipada com motor de 199,5 cc que gera 26 cv e 1,96 kgfm, mas roda apenas com gasolina. O painel, por sua vez, inclui pelo computador de bordo, que mostra tempo de condução, velocidade média, indicador de marcha, consumo instantâneo, autonomia, quilometragem até a próxima manutenção, hodômetro total e parcial.

Leia Também:  Fiat lança versão HGT do Cronos. Veja as primeiras impressões

LEIA MAIS: Conheça detalhes de 5 motos esportivas seminovas de até R$ 15 mil

Além disso, suspensão dianteira é do tipo telescópica invertida, com a traseira monoamortecida, os freios a disco nas duas rodas (300 mm na frente e 230 mm atrás) e seu chassi tubular de aço é construído no formato treliça. Isso favorece uma condução mais ágil, garantindo que o condutor tenha sempre bastante sensibilidade.

Enquanto isso, a Duke 390 tem a proposta de entregar ainda mais desempenho, com 44 cv e 3,8 kgfm. Conta com quadro com sub-frame destacável, disco único dianteiro de 320 mm com pinças da marca ByBre (da Brembo), e suspensões White Power (da própria KTM), com garfo invertido na dianteira.

KTM arrow-options
Divulgação

KTM 390 Duke: Opção para quem procura mais desempenho, abaixo dos R$ 25 mil

Quanto à conectividade, além do mesmo computador de bordo da “irmã” menor, oferece um painel de instrumentos com tela colorida de 5,2 polegadas que pode se conectar a um smartphone, por meio do Bluetooth. Na tela da KTM , pode-se ver e controlar funções do telefone por meio de botões no punho esquerdo, necessitando, nesse caso, de um intercomunicador Bluetooth no capacete para ouvir as músicas do celular.

Fonte: IG Carros
publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Carros e Motos

Pioneiro no Brasil, VW Golf “Mk3” inovou em segurança

Publicado

source

Motor Show

VW Golf arrow-options
Divulgação

VW Golf da terceira geração foi a primeira a chegar ao Brasil oficialmente, em meados dos anos 90

Como parte da contagem regressiva para o lançamento do novo Golf, a Volkswagen começou a relembrar na Europa os destaques de cada uma das gerações do modelo. Lançado na Europa em 1991, o Golf de terceira geração foi o primeiro a chegar oficialmente ao Brasil e inovou com uma série de equipamentos de segurança.

LEIA MAIS: VW Golf ganha três versões de despedida da atual 7ª geração

O VW Golf Mk3, como é popularmente conhecido, foi o primeiro a contar com airbags frontais e a opção das bolsas infláveis laterais. Outra novidade foi o motor VR6, o primeiro seis cilindros usado no hatch. O carro vendido na Europa foi ainda o primeiro equipado com freios ABS de série em todas as versões.

VW Golf arrow-options
Divulgação

VW Golf III vinha com airbag duplo de série, algo que seria obrigatório nos modelos nacionais a partir de 2014

No Brasil, o Golf Mk3 foi lançado em 1994. Importado do México, era trazido inicialmente apenas na versão esportiva GTI de duas portas, que trazia um motor 2.0 de 115 cv. No ano seguinte, a linha cresceu com a adição da versão de luxo GLX (que trazia o mesmo motor do GTI) e do básico GL, equipado com um motor 1.8 de 90 cv e que, curiosamente, foi trazido da Alemanha em seu primeiro ano no mercado brasileiro. Uma raridade eram as versões GTI VR6 , que traziam o motor 2.8 de 174 cv.

Leia Também:  Fiat lança versão HGT do Cronos. Veja as primeiras impressões

LEIA MAIS: Avaliamos o VW Golf GTE, versão híbrida com autonomia de até 900 km

A terceira geração do VW Golf hatch ficou em linha até 1997 (Europa) e 1999 (México). Já o conversível Cabrio seguiu até 2002, tendo recebido um facelift para ficar parecido com o hatch de quarta geração. No mercado brasileiro, o Mk3 foi substituído em 1998 pelo Mk4, que inicialmente era importado mas acabou se tornando o 1º a ganhar produção local.

Fonte: IG Carros
Continue lendo

Carros e Motos

Pioneiro no Brasil, VW Golf “Mk3” inovou em segurança

Publicado

source

Motor Show

VW Golf arrow-options
Divulgação

VW Golf da terceira geração foi a primeira a chegar ao Brasil oficialmente, em meados dos anos 90

Como parte da contagem regressiva para o lançamento do novo Golf, a Volkswagen começou a relembrar na Europa os destaques de cada uma das gerações do modelo. Lançado na Europa em 1991, o Golf de terceira geração foi o primeiro a chegar oficialmente ao Brasil e inovou com uma série de equipamentos de segurança.

LEIA MAIS: VW Golf ganha três versões de despedida da atual 7ª geração

O VW Golf Mk3, como é popularmente conhecido, foi o primeiro a contar com airbags frontais e a opção das bolsas infláveis laterais. Outra novidade foi o motor VR6, o primeiro seis cilindros usado no hatch. O carro vendido na Europa foi ainda o primeiro equipado com freios ABS de série em todas as versões.

VW Golf arrow-options
Divulgação

VW Golf III vinha com airbag duplo de série, algo que seria obrigatório nos modelos nacionais a partir de 2014

No Brasil, o Golf Mk3 foi lançado em 1994. Importado do México, era trazido inicialmente apenas na versão esportiva GTI de duas portas, que trazia um motor 2.0 de 115 cv. No ano seguinte, a linha cresceu com a adição da versão de luxo GLX (que trazia o mesmo motor do GTI) e do básico GL, equipado com um motor 1.8 de 90 cv e que, curiosamente, foi trazido da Alemanha em seu primeiro ano no mercado brasileiro. Uma raridade eram as versões GTI VR6 , que traziam o motor 2.8 de 174 cv.

Leia Também:  Chega ao Brasil a Triumph Bobber Black, com melhorias e visual “dark”

LEIA MAIS: Avaliamos o VW Golf GTE, versão híbrida com autonomia de até 900 km

A terceira geração do VW Golf hatch ficou em linha até 1997 (Europa) e 1999 (México). Já o conversível Cabrio seguiu até 2002, tendo recebido um facelift para ficar parecido com o hatch de quarta geração. No mercado brasileiro, o Mk3 foi substituído em 1998 pelo Mk4, que inicialmente era importado mas acabou se tornando o 1º a ganhar produção local.

Fonte: IG Carros
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana