conecte-se conosco


Política MT

Julgamento é retirado de pauta no STF e empresário acusado de fraude de R$ 30 milhões segue em liberdade

Publicado

José Kobori já tem dois votos favoráveis para que ele volte para a prisão

O julgamento do habeas corpus do empresário José Kobori, ex-diretor-presidente da EIG Mercados, foi retirado da pauta de votação do Supremo Tribunal Federal (STF), na quarta-feira (11) pela ministra Rosa Weber, relatora do caso.  Kobori é acusado de envolvimento em um esquema de fraudes que desviou R$ 30 milhões do Departamento de Trânsito de Mato Grosso (Detran-MT), entre os anos de 2009 a 2015.

O julgamento virtual do caso teve inicio da sexta-feira (6) e se encerraria nesta quinta-feira (12), e já tinha os votos da própria Rosa Weber e do ministro Alexandre de Moraes, os dois contrários o HC, e consequentemente, para que o empresário volte para a prisão. Weber atendeu a um pedido da defesa de Kobori para que o habeas corpus impetrado em favor dele fosse realizado de forma presencial e não virtual, e por isso, o recurso foi retirado da pauta do STF.

Agora, o processo será enviado para a Procuradoria Geral República (PGR), que deverá manifestar, em até cinco dias, se mantém ou não o parecer para uma nova decretação de prisão.

Leia Também:  Servidores da educação decidem manter paralisação mesmo com corte de ponto e querem apoio da ALMT

As fraudes em que Kobori é acusado foram alvos da segunda fase da “Operação Bereré”, “denominada Bônus”, deflagrada em maio de 2018 pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado). Na operação, ele foi detido, porém foi solto em 27 de julho do mesmo ano, por decisão do ministro do STF, Dias Toffoli.

Além de Kobori, são alvos da operação o ex-secretário de Casa Civil, Paulo Taques, seu irmão, o advogado Pedro Zamar Taques, o ex-deputado Mauro Savi e os empresários Anildo Reinheimer e Claudemir Pereira dos Santos. No último dia 22, todos eles tiveram recursos negados pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) e seguem como réus no processo.

 

publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Política MT

Dr. Eugênio visitou cinco cidades e atendeu como médico pelo Araguaia Cidadão

Publicado

Foto: DIEGO SAPORSKI

O deputado estadual Dr. Eugênio (PSB) visitou cinco cidades e participou, como médico, do programa Araguaia Cidadão.  A expedição, que teve início no dia 6 de novembro, em Santa Terezinha, e de lá pra cá percorreu mais de 5 mil quilômetros, passando por Luciara, São Félix do Araguaia, Novo Santo Antônio e encerrando os trabalhos no dia 14 de novembro em Cocalinho, contou com a participação do parlamentar com atendimentos em clínica geral  “Atender como médico já foi um prazer muito grande. Ver as pessoas saindo satisfeitas e com sorrisos no rosto foi mais prazeroso ainda”, disse o deputado. 

O programa Araguaia Cidadão, que acaba de encerrar sua segunda fase pela região, é uma parceria entre o Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), prefeituras municipais, Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) e voluntários. O programa realizou atendimentos de cidadania, tais como: registro tardio, resolução de conflitos sociais, reconhecimento da paternidade, habilitação para adoção, consultas médicas, oftalmológicas e odontológicas, vacinação, confecção de documentação, cadastro biométrico, alistamento eleitoral, emissão de título de eleitor, entre outros.

Leia Também:  Empresário denuncia uso de laranjas e defende 'devassa' contra postos e distribuidoras de combustíveis irregulares

Além dos atendimentos de cidadania, o programa realizou casamentos comunitários em alguns municípios, como em Santa Terezinha. A equipe e voluntários do programa prepararam o ginásio poliesportivo municipal com flores para realizar o sonho de diversos casais. “A emoção foi muito grande e eu tive o prazer de participar desta cerimonia tão linda”, disse o deputado.

Nos próximos dias, o Tribunal de Justiça de Mato Grosso vai apurar e divulgar os dados totais e oficiais de atendimentos realizados durante os dias de trabalho da segunda fase do programa.  
 

Fonte: ALMT
Continue lendo

Política MT

Fávero participa de palestra sobre escola cívico-militar em Jangada, nesta 2ª

Publicado

Foto: JLSIQUEIRA / ALMT

O deputado estadual Silvio Fávero, a convite de lideranças comunitárias e políticas, participa hoje (18), em Jangada, de uma palestra que irá tratar da importância da escola cívico-militar. O evento será realizado às 18h30, na Escola Estadual Arnaldo Estevão de Figueiredo. O parlamentar tem visitado os municípios de Mato Grosso para discutir o assunto; a próxima cidade será Sinop, a "Capital do Nortão", no dia 28 deste mês, a convite do vereador Hedvaldo Costa.           

Fávero, autor da Lei nº 10.920/2019 (Veja a íntegra aqui ), que facilita a implantação e construção de escolas cívico-militares nos município, explicou que os colégios serão implementados em uma ação conjunta das secretarias de Estado de Educação (Seduc) e de Segurança Pública (Sesp). O intuito é que haja mecanismos que favoreçam educação de qualidade, policiamento comunitário e o enfrentamento da violência no ambiente escolar, visando à promoção da cultura de paz e pleno exercício de cidadania.

De acordo com Fávero, a expectativa é que nos 141 municípios mato-grossenses tenha pelo menos uma unidade de ensino nessa modalidade. Atualmente, o estado conta com apenas oito escolas militares, sendo sete comandadas pela Polícia Militar em Cuiabá, Confresa, Juara, Sorriso, Nova Mutum, Lucas do Rio Verde e Rondonópolis e uma pelo Corpo de Bombeiro Militar, em Alta Floresta.

Leia Também:  Exclusivo: Casa Civil articula Faissal na MT PAR, abre espaço para Oscar na AL e traz o PV para base do Governo

Segundo Fávero, o intuito é oferecer excelência no ensino, além de transmitir valores morais, disciplina, amizade, patriotismo, o respeito à família, à pátria e o incentivo ao esporte. “Respeito ao professor, inclusive, que tem sido alvo de violência em sala de aula”.

A secretária estadual de Educação, Marioneide Kliemaschewsk, ressalta que o modelo de gestão e de ensino respalda as unidades cívico-militares. “O grande argumento que respalda a escola militar é a qualidade dos resultados que ela tem trazido à sociedade. A educação é direito de todos, dever do Estado e da família”, salientou a chefe da pasta.

Segundo o diretor de Ensino, Instrução e Pesquisa (Deip) da Polícia Militar, coronel Ronelson Jorge Barros, a diferença do colégio militar é o projeto político-pedagógico que tem como base o modelo paramilitar, ou seja, a organização particular de cidadãos não armados, mas fardados e sem pertencerem às forças militares regulares. “Nosso foco é o bom resultado, a disciplina, a motivação para o estudo contínuo e não apenas o estudar para a prova, além, claro de passar valores”, disse o coronel.

Leia Também:  STF anula lei municipal que restringe horários para entrega de correspondências em Cuiabá

Sinop – No dia 28 de novembro, o deputado Silvio Fávero participará de uma audiência pública, na Câmara Municipal de Sinop, para debater a implantação de uma escola cívico-militar na "Capital do Nortão".

Fonte: ALMT
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana