conecte-se conosco


Opinião

JOSÉ DE PAIVA NETO – Religião não rima com intolerância

Publicado

Em 21 de janeiro, celebra-se o Dia Mundial da Religião. Em artigo publicado na Folha de S.Paulo, na década de 1980, arguido por um leitor se não sectarizaria minha palavra o fato de, em meus escritos, dar muito valor à Religião, expande o que anteriormente havia registrado no primeiro volume de O Brasil e o Apocalipse (1984), que já esgotou várias edições.

Não vejo Religião como ringues de luta livre, nos quais as muitas crenças se violentam no ataque ou na defesa de princípios, ou de Deus, que é Amor, portanto Caridade, e que por isso não pode aprovar manifestações de ódio em Seu Santo Nome nem precisa da defesa raivosa de quem quer que seja. Alziro Zarur (1914-1979), dizia: “O maior criminoso do mundo é
aquele que prega o ódio em nome de Deus”.

Compreendo Religião como Fraternidade, Solidariedade, Entendimento, Compaixão, Generosidade, Respeito à Vida Humana, Salvação das Almas, Iluminação do Espírito que todos somos. Tudo isso no sentido mais elevado. Creio na Religião como algo dinâmico, vivo, pragmático, altruisticamente realizador, que abre caminhos de luz nas Almas e que, por essa razão, deve estar na vanguarda
ética
. Não a vejo como coisa abúlica, nefelibata, afastada do cotidiano de luta pela sobrevivência que sufoca as massas.

Não a entenderia se não atuasse também, de modo sensato, na transformação das realidades tristes que ainda atormentam os povos.
Estes, cada vez mais, andam necessitados de Deus, que é antídoto para os males espirituais, morais e, por consequência, os sociais, incluídos o imobilismo, o sectarismo e a intolerância degeneradores, que obscurecem o Espírito das multidões. (…) E de maneira alguma devem-se excluir os ateus de qualquer providência que venha beneficiar o mundo.

Deus, Sabedoria e Misericórdia

Religião, como sublimação do sentimento, é para tornar o ser
humano melhor, integrando-o no seu Criador, pelo exercício da Fraternidade e da
Justiça entre as Suas criaturas. O Pai Celestial é fonte inesgotável de Sabedoria e Misericórdia, quando não concebido como caricatura, estereótipo, ódio, vingança,
porquanto “Deus é Amor” (Primeira Epístola de João, 4:8), sinônimo de Caridade.

Com apurado senso de oportunidade, preconiza o Profeta Muhammad (570-632) — “Que a Paz e as bênçãos de Deus estejam sobre ele!” — no Corão Sagrado, Surata Al ´Ankabut (A Aranha), 29:46: “(…) Cremos no que nos foi revelado e no que vos foi revelado. Nosso Deus e vosso Deus é o mesmo. A Ele nos submetemos”.

Vêm-me à lembrança estas palavras de Santa Teresa d’Ávila (1515-1582): “Procuremos, então, sempre olhar as virtudes e as coisas boas que virmos nos outros e tapar-lhes os defeitos com os nossos grandes pecados”.

Religião na vanguarda

Tudo evolui. Ontem os homens diziam, por exemplo, que a Terra era chata. Afirmava-se que o nosso planeta seria o centro do Universo. Por que, então, as religiões teriam de estacionar
no tempo?
 Pelo contrário. Religião, quando sinônimo de Solidariedade e Misericórdia, tem de iluminar harmoniosamente a vanguarda de tudo: da Filosofia, da Ciência, da Política, da Arte, do Esporte, da Economia etc. É também por intermédio dela — a Religião — que Deus, que é Amor, nos manda os mais potentes raios da Sua Generosidade. (…)

Bem a propósito esta meditação do nada menos que cético Voltaire (1694-1778): “A tolerância é tão necessária na política como na religião. Só o orgulho é intolerante”.

Para amainar a frieza de coração

Cabe reiterar esta máxima abrangente de Zarur: “Religião, Filosofia, Ciência e Política são
quatro aspectos da mesma Verdade, que é Deus”.

Ora, querer conservar os ramos do saber universal confinados em departamentos estanques, em preconceituosa conflagração, tem sido a origem de muitos males que nos assolam, em especial tratando-se de Religião, entendida no mais alto sentido. É principalmente de sua área que deve provir o espírito solidário, que, faltando à Comunicação, à Filosofia, à Educação, à Economia, à Arte, ao Esporte, à Política e à própria Religião, resulta na frieza de sentimentos que tem
caracterizado as relações humanas, nestes últimos tempos.

(…) O milagre que Deus espera dos seres espirituais e humanos é que aprendam a amar-se,
para que não ensandeçam de vez, como na pesquisa para o uso bélico da antimatéria.

O melhor altar para a veneração do Criador são Suas criaturas. Torna-se
urgente que a humanidade tenha Humanidade.

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor. [email protected] www.boavontade.com

publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Opinião

LÍCIO MALHEIROS – O poder de propagação

Publicado

A chamada em questão não se trata de um sofisma (argumento ou raciocínio concebido com o objetivo de produzir a ilusão da verdade….); muito pelo contrário, tentaremos mostrar, que em tempos de Sars-CoV-2, responsável pelo aparecimento da Covid-19, doença respiratória cujos sintomas incluem febre, tosse e dificuldade para respirar.
Com a propagação desse maldito vírus no Brasil, o que é pior, com o  aumento considerável dos casos  de transmissão local. O governo brasileiro tomou conta da situação, capitaneado pelo presidente da República Jair Messias Bolsonaro, contando como o apoio maciço da brilhante equipe de Saúde Pública, tendo à frente da mesma, o competentíssimo Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.
Neste momento, a informação oficial  é o melhor remédio, e que a população,  fique atenta em relação a uma parte da mídia televisiva, em especial a toda poderosa, que não está de forma alguma, preocupada com  o Covid-19, e sim, tentando disseminar o  medo, o pavor na população, pensando em aferir lucros e dividendos a custa de milhões de brasileiros.
Brasileiros estes, que se não morrerem pela infecção desse maldito vírus; após o termino dessa pandemia, irão estar acometidos  infelizmente por uma fobia chamada  agorafobia, que está diretamente ligada a transtornos de ansiedade e síndrome do pânico.
Obviamente, cada vez que a toda poderosa, inicia um jornal ou outro programa qualquer, com suas aberturas triunfais, nossos corpos já  arrepiam, pois sabemos que irão chegar informações, tendenciosas e desconexas.
Para quem já está acometido pelo medo, pela incerteza, pela insegurança, na qual me incluo aquela chamada televisiva, causa pânico e terror, em função disso muitos irão desenvolver agorafobia.
As pessoas, com agorafobia sentem medo incontrolável de viver situações que irão lhe provocar crises de pânico ou sensação de falta de controle e constrangimento.
Pelo amor de Deus, não façam igual a toda poderosa, não invertam ou mudem o que estou  querendo dizer.
Não estou dizendo, que o Covid-19 não seja um vírus extremamente perigoso, causador de uma doença   preocupante, principalmente pelo fato do contágio  do mesmo acontecer de forma invisível, para evitá-lo, necessário se faz redobrar os cuidados básicos, com:  higiene, assepsia, e por ai vai. Nos casos dos idosos e pessoas com doenças preexistentes, e os de baixa imunidade, o melhor remédio ainda é o isolamento.
Agora, o que é discutível sob todos os aspectos é a forma acintosa e vergonhosa como essa emissora televisiva, vem conduzindo seus jornais e programas, criando na população ainda mais pânico, com um viés político, vergonhoso e imoral, querendo aumentar no país o medo e até mesmo a discórdia, entre os poderes constituídos, por isso, a chamada tem esse título, o poder de propagação dessa emissora televisiva, tendenciosa e inescrupulosa.
Pare o mundo, quero descer!

Professor Licio Antonio Malheiros é geógrafo

Continue lendo

Opinião

ROMILDO GONÇALVES – As grandes epidemias ao longo da história da humanidade

Publicado

O confinamento de doentes para enfermidades infectocontagiosas é uma prática antiga. a estratégia foi usada largamente em casos de hanseníase, tuberculose, peste bubônica… a desinfecção, incineração de objetos e pertences dos doentes também tem grandes significados, para evitar o alastramento desenfreado da ou das doenças especialmente as virais e contagiosas, são alternativas viáveis e bastante usadas. porém, sem alarde, alarmismo, panaceias … que não ajuda em nada.

Bactérias, vírus e outros microrganismos já mataram e causaram grandes estragos a humanidade, tanto quanto guerras, terremotos, tsunamis, erupções, vulcões… senão vejamos: a peste negra matou cinquenta milhões de mortos = Europa e Ásia de 1333 a 1351, contaminação: causada pela bactéria yersínia Pestis, comum em roedores como o rato.

. Cólera centenas de milhares de mortos – 1817 a 1824.  conhecida desde a antiguidade, teve sua primeira epidemia global em 1817. desde então, o vibrião colérico Vibrião cholerae, sofreu diversas mutações, causando novos ciclos epidêmicos de tempos em tempos.

Tuberculose 1 bilhão de mortos – 1850 a 1950, sinais da doença foram encontrados em esqueletos de 7 000 anos atrás. o combate foi acelerado em 1882, depois da identificação do bacilo de Koch, causador da tuberculose. nas últimas décadas, ressurgiu com força nos países pobres, incluindo o brasil, e como doença oportunista nos pacientes de aids.

. Varíola 300 milhões de mortos – 1896 a 1980, a doença atormentou a humanidade por mais de 3 000 anos. até figurões como o faraó egípcio Ramsés ii, a rainha maria II da Inglaterra e o rei Luís XV da França tiveram a temida “Bixiga”. a vacina foi descoberta em 1796;

. Gripe espanhola 20 milhões de mortos – 1918 a 1919. o vírus influenza é um dos maiores carrascos da humanidade. a mais grave epidemia foi batizada de gripe espanhola, embora tenha feito vítimas no mundo todo. no brasil, matou o presidente rodrigues Alves

. Tifo 3 milhões de mortos=Europa oriental e Rússia– 1918 a 1922. a doença é causada pelas bactérias do gênero Rickettsia. como a pobreza e insalubridade apresenta as condições ideais para a proliferação, o tifo está ligado a países do terceiro mundo;

. Febre amarela 30 000 mortos = Etiópia – 1960 a 1962. o flavivírus, que tem uma versão urbana e outra silvestre, já causou grandes epidemias na África e nas Américas

. Sarampo 6 milhões de mortos por ano – até 1963. da mortalidade infantil até a descoberta da primeira vacina, em 1963. com o passar dos anos, a vacina foi aperfeiçoada, e a doença foi erradicada em vários países

. Malária 3 milhões de mortos por ano – desde 1980.  em 1880, foi descoberto o protozoário plasmodium, que causa a doença. a OMS considera a malária a pior doença tropical e parasitária da atualidade, perdendo em gravidade apenas para a aids.

. Aids 22 milhões de mortos – desde 1981. a doença foi identificada em 1981, nos estados unidos, e desde então foi considerada uma epidemia pela organização mundial de saúde. fontesorganização mundial de saúde (OMS) e fundação Oswaldo cruz;

Os Coronavírus são uma família de vírus conhecida desde os anos 1960 e que circula entre animais. destes vírus, sabe-se que sete são capazes de saltar a barreira entre espécies e contaminar pessoas. eles podem causar desde um resfriado comum até problemas respiratórios graves que podem levar à morte. hoje, com a biotecnologia, rapidamente temos as ferramentas para confirmar casos.

Por fim, os infectologistas são unânimes em apontar outro motivo pelo qual é difícil comparar o atual surto com outros do passado: ainda é cedo. a chegada do coronavírus no brasil é muito recente estão sendo identificadas suas características para efetiva prevenção e combate. não podemos nos precipitar. é preciso ter cuidado e trabalhar com muita transparência e exatidão.

Romildo Gonçalves É biólogo Prof. Pesq. Em Ciências Naturais da UFMT/Seduc

 

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana