conecte-se conosco


Política MT

João Nicolau Petroni pode dar nome a trecho da rodovia MT-246

Publicado


Foto: MARCOS LOPES / ALMT

Foi protocolado na Assembleia Legislativa (ALMT), o Projeto de Lei n° 409/21 que altera o dispositivo da lei nº 11342 de 26 de abril de 2021, que denomina João Nicolau Petroni a Rodovia MT-246 no trecho que especifica a proposta encaminhada pelo deputado estadual Paulo Araújo (PP).  O objetivo é alterar o caput do art.1º da lei, passando a vigorar com a seguinte redação, fica denominado João Nicolau Petroni o trecho da rodovia MT-246, compreendido entre os municípios de Jangada e Barra do Bugres.

O parlamentar destacou que João Nicolau Petroni foi fundador e primeiro presidente do Sindicato das Indústrias Sucroalcooleiras de Mato Grosso (Sindalcool-MT) por 17 anos.  “O empresário conquistou a admiração da classe, sendo reconhecido com um homem que uniu o talento para empreender e prosperar, a preocupação em garantir o desenvolvimento social e econômico à sua volta, Era uma pessoa extremamente integra e bastante respeitado nacionalmente pelo seu trabalho incessante em prol do desenvolvimento do setor sucroenergético”, justificou Paulo Araújo.

De acordo com Gustavo de Oliveira, presidente da Federação das Indústrias de Mato Grosso (Fiemt), João Petroni tinha um olhar social e uma preocupação genuína para com as pessoas mais necessitadas, em um país onde a desigualdade afetam tantas pessoas. “Ele foi um ser humano fantástico, as qualidades dele como empresário e industrial estão claramente materializadas em sua obra empresarial, notadamente na Barralcool, e em todas as outras atividades que gravitam em torno desse importantíssimo empreendimento dentro de Mato Grosso”, destacou Gustavo de Oliveira.

“É uma honra e uma imensa alegria para nossa família ver e receber esta homenagem e o reconhecimento por toda luta trabalho e dedicação do meu pai, João Nicolau Petroni, para o desenvolvimento da região de Barra do Bugres. Homem de fé, que sempre teve Deus em todas suas atitudes e projetos. Tinha visão além do seu tempo, sempre se colocou na luta para ver crescer a cada pessoa que cruzaram seu caminho e, até quem ele não podia alcançar de forma objetiva, tentava ajudar”, disse a filha de Petroni, a psicóloga Ana Cássia Petroni Rangel.

Ana Cassia aproveitou para agradecer ao deputado Paulo Araújo e a toda sua equipe, pela honrosa ideia do projeto de lei. “Nossa muito obrigada por essa iniciativa que deixará impresso no chão desta terra, que meu pai adotou como sua, o nome dele colocado na rodovia que dá acesso à Barra do Bugres, honra, alegria e gratidão a todos os envolvidos.”, finalizou.

Morador há mais de 34 anos em Barra do Bugre, professor Júlio César Geraldo ressaltou que a rodovia receber o nome do Sr. João Nicolau Petroni significa muito para Barra do Bugres. “Quero parabenizar o deputado por essa iniciativa.  A rodovia é de suma importância para a cidade, o Sr. João Nicolau Petroni, sempre olhou para as pessoas de uma maneira igual e nunca fez distinção de ninguém e isso o fez um homem respeitado na cidade, uma pessoa que todos admiravam, foi uma perda muito grande para todos daqui quando ele nos deixou. Por isso, essa homenagem é muito justa pelo legado que ele deixou”, afirmou o professor.

História – Nascido e criado na roça, em Birigui (SP), João Nicolau Petroni desde muito cedo teve que ajudar os pais na lavoura de café que possuíam. Essa necessidade o fez abandonar a escola antes de iniciar o segundo ano. Em 1943, já morando em um sítio na localidade de Murutinga, distrito de Andradina, a família constrói um pequeno engenho de rapadura. O menino de 12 anos não poderia imaginar o quanto a experiência de transformar a cana-de-açúcar seria decisiva no futuro dele. Pouco depois, junto ao irmão Reinaldo, assume os negócios da família e passam a investir em pecuária.

Em 1969, mudou-se para Cuiabá, iniciando suas atividades empresariais em Mato Grosso, com a criação de gado. Sem abandonar a pecuária, João Nicolau Petroni viria a se tonar um dos grandes expoentes da região, com a criação da Usina Barralcool e o cultivo da cana-de-açúcar. Em 1980, João Nicolau Petroni participa da fundação da Barralcool, sendo eleito diretor-presidente da empresa. Com uma atuação diferenciada, foi responsável pela manutenção da empresa mesmo em períodos de crise, quando na década de 90 diversas usinas fecharam as portas.

Visionário, decidiu distribuir os lucros da empresa aos associados em forma de insumos, para incentivar o plantio e garantir a matéria-prima, o que era essencial para a competitividade dos negócios. Também foi um dos responsáveis por fazer da Barralcool a primeira exportadora para o mercado andino, pioneira, também no aproveitamento do bagaço de cana para geração de energia, cujo excedente passou a abastecer a cidade de Barra do Bugres. A produção da usina marcou um divisor histórico na economia e no desenvolvimento social da cidade.

Sua preocupação com os funcionários e comunidade sempre foi um dos diferenciais da empresa, que tem entre as preocupações, doar o material escolar para os filhos dos trabalhadores, como forma de incentivo aos estudos. Há 12 anos, a Barralcool mantém o projeto Doce Vida, que atende 200 crianças e adolescentes (em contraturno escolar) matriculadas; e oferece em torno de 16 oficinas, atendendo nesse sistema mais de 480 alunos.

Petroni também assumiu os cargos de diretor no período de 1988 a 1994 e de vice-presidente no período de 1994 a 2003, da Federação das Indústrias de Mato Grosso (Fiemt), entre outras iniciativas.

Fonte: ALMT

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política MT

Dal Molin destaca importância de atuação conjunta para resolução de problemas agrários

Publicado


Foto: Marcos Lopes

O deputado estadual Xuxu Dal Molin (PSC) representou a Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) no 2º Seminário Agelider/Cidesa, realizado nesta quinta-feira (25), em Sorriso. Com o tema: “Selo de Inspeção Municipal e Regularização Fundiária”, o encontro contou com a participação de representantes de 13 municípios que compõe o Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento Econômico e Social (Cidesa), além do deputado estadual, Gilberto Cattani (PSL), e do secretário Especial de Assuntos Fundiários do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Luiz Antônio Nabhan Garcia.

 Ao garantir apoio para as ações de fortalecimento dos municípios da região, Dal Molin anunciou a celebração de um convênio que prevê a cessão de servidores do Instituto de Terras de Mato Grosso (Intermat) ao Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra).

“Há alguns meses estivemos no Incra, mas não para criticar ou reclamar do órgão, mas sim, para propormos algumas medidas a fim de dar celeridade ao processo de regularização dos assentamentos de Mato Grosso. Ao identificarmos a demanda, neste caso a ausência de servidores em número suficiente, apresentamos uma indicação por meio da Frente Parlamentar de Agropecuária (FPA) ao qual tenho a honra de coordenar”, disse Dal Molin, ao afirmar que “compete ao poder público a solução do problema. Independentemente de qual seja a esfera; municipal, estadual ou federal. Se existe um problema, temos a obrigação de resolvê-lo. O trabalhador rural não pode ficar à mercê da inércia do estado”, afirmou.

 O prefeito de Sorriso e presidente do Cidesa, Ari Genésio Lafin, também ressaltou a importância da atuação conjunta de municípios e o programa Agelíder. Este último formado por membros da sociedade civil organizada que atuam voluntariamente em busca de soluções para as demandas regionais.

 “O objetivo principal dos prefeitos é fazer com que o consórcio discuta as ações com os secretários municipais de desenvolvimento, economia e social em todos os sentidos (…). Sorriso já tem a descentralização e a velocidade é enorme. Agora temos que trabalhar para que os outros municípios tenham essa ferramenta em mãos”, pontua.

 “Os governos anteriores fizeram uma reforma agrária de forma inconsequente e irresponsável. Deixaram as pessoas jogadas ao léu. Encontramos inúmeras famílias abandonadas numa situação catastrófica”, lamentou Nabhan Garcia.

 Segundo o representante do governo federal, o número de títulos entregues em três anos já superou aqueles entregues nas últimas três décadas. Isso mesmo diante das dificuldades enfrentadas no órgão responsável pela regularização.

“Pegamos um Incra falido, sem recursos, sem estrutura técnica e totalmente contaminado por uma ideologia política. Sem alternativa, o governo partiu para as parcerias com as prefeituras dando surgimento ao programa Titula Brasil que já conta com 86 municípios mato-grossenses devidamente cadastrados”, comemorou.

Fonte: ALMT

Continue lendo

Política MT

Estado cumpre calendário e paga folha salarial de novembro aos servidores nesta terça-feira

Publicado

Folha de pagamento de novembro chega a R$ 535 milhões

O Governo do Estado paga, nesta terça-feira (30), os salários e proventos do mês de novembro dos servidores públicos ativos, inativos e pensionistas. A folha de pagamento líquida deste mês, segundo a Secretaria Adjunta do Tesouro Estadual, da Secretaria de Fazenda, foi de R$ 535.376.562,46.

Desse total R$ 350.816.123,91 destinam-se ao pagamento dos servidores ativos e R$ 184.560.438,55 para inativos e pensionistas. Vão receber salários e proventos cerca de 115 mil pessoas. As ordens de pagamento foram encaminhadas ao Banco do Brasil nesta segunda-feira (29).

Até meio dia de terça-feira todos os depósitos já terão sido processados pelo Banco do Brasil. Os valores estarão liberados tanto para quem tem contas no Banco do Brasil, como para aqueles que fizeram portabilidade a outros bancos.

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana