conecte-se conosco


Esportes

Joanna Maranhão ironiza processo de Felipe França: “Estou ca****”

Publicado


Joanna Maranhão
Reprodução/ CBDA

Joanna Maranhão ironizou o fato de Felipe França tê-la processado

A ex-nadadora Joanna Maranhão ironizou, neste sábado (4), o fato do também nadador Felipe França tê-la processado por conta de uma discussão que os dois tiveram no Twitter, no dia 20 de março.

França acusou Joanna de ofendê-lo moralmente durante o bate-boca. Nas redes sociais, ela voltou a falar sobre o caso e  relembrou o fato de ter sido abusada sexualmente ainda na infância.

“Ser processada pelo cara que enfiou a mão no teu maiô, te bolinou e te despiu na cama da própria esposa… ouvi-lo dizer na audiência ‘eu não fiz nada, ela quer acabar com minha vida, eu sou um pai de família’ e ter que ficar calada, digerindo isso e seguir nadando…”, iniciou.

“Portanto, estou cagando pra processo de Felipe França e pra quem mais duvidar de tudo isso. Eu tenho um puta orgulho de ter chegado até aqui, sabe? E isso tem que significar muito pra mim e pra mais ninguém”, acrescentou a ex-nadadora.

Leia Também:  Neymar no Silvio Santos tem saia justa por conta de Anitta e derrota de lavada

Relebre o início da discussão

No dia 20 de março, a Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) aprovou provas de 50m nos estilos para os Campeonatos Brasileiros Infantil de Inverno e Verão de natação. Joanna, então, comentou a decisão, a qual ela é contrária.

“Pior decisão possível. Incentivo às provas não olímpicas e especialização precoce (um de nossos maiores problemas). Qual país estimula isso na base? Nenhum”, escreveu em seu Twitter.

Logo depois, uma seguidora respondeu com ironia para concordar com Joanna, mas França não entendeu e respondeu.

“Para isso eles não têm resposta, né? Que pena. Acredito que precise ter tudo sim. A maioria de medalha em mundiais é nas provas de 50 metros. Em vez de ajudarem, essas pessoas [que criticam] só atrapalham”, escreveu o nadador paulista, que foi rebatido por ela.

“Ah, França, tu és tão burro que não entende que o ‘método sumida’ [seguidora que fez a postagem] estava concordando comigo. Tu és incapaz de desenvolver um raciocínio lógico, quanto mais entender o que é bom para natação a longo prazo”, tuitou a pernambucana.

Leia Também:  Mas já? Oito dias após ser anunciado como reforço, Keirrison deixa o CSA

A próxima resposta de França foi a que fez Joanna mais se irritar. Ele criticou o fato dela ter ido a um programa da Xuxa e ela entendeu como uma ironia ou desconfiança sobre o relato de abuso na infância.

“E você entende o que é bom para natação a longo prazo? Para acabar que nem você, de atleta que é contra pedofilia foi parar no programa da Xuxa, que quando mais nova fazia atos sexuais com crianças. Me poupe, Joanna, para de xingar os outros e cuida da sua família um pouco”, disse França.

“França, vai tomar no c… Tu és burro e um filho da p… de marca maior. Xuxa foi abusada na infância. Mas do que adianta pedir empatia e compreensão de evangélico fundamentalista que mal sabe escrever português? Não me dirija a palavra e vá à merda. Não se meta no meu trabalho”, afirmou Joanna.

“Não sei se é você mesma ou uma assessoria escrevendo por você, Joanna . Mas é deste jeito que você quer que seja o futuro da natação? Todos com boca suja e mal-educados? Com certeza não será e eu não vou deixar”, finalizou França, que não recebeu mais respostas.

publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Esportes

Fluminense abre mão de Marcão e anuncia Odair Hellmann para 2020

Publicado

Ex-comandante do Internacional deve assinar contrato de um ano com seu novo clube

Terra – O Fluminense anunciou nesta quarta-feira (11) a contratação do técnico Odair Hellmann, ex-Internacional, para a temporada de 2020. De acordo com o clube tricolor, ele chegará às Laranjeiras com contrato que terá a duração de um ano e virá acompanhado do auxiliar técnico Maurício Dulac.

Hellmann ocupará a função que vinha sendo exercida por Marcão desde a conturbada demissão de Oswaldo de Oliveira. Sob o comando de Marcão, o Fluminense conseguiu uma reação na reta final e escapou do rebaixamento à segunda divisão, terminando o Brasileiro na 14ª colocação. Mesmo assim, a recuperação não foi suficiente para mantê-lo no cargo em 2020.

“O Fluminense agradece por toda a dedicação, lealdade e entrega de Marcão, cujo aproveitamento dignificou sua história e a do clube. Marcão, um dos melhores profissionais da nova geração de técnicos brasileiros, seguirá no clube como responsável pela equipe Sub-23 e manterá suas funções no departamento de futebol profissional como auxiliar técnico”, disse o Fluminense, em nota.

Também integrante da nova geração de técnicos do futebol brasileiro, Hellmann foi auxiliar-técnico na conquista do ouro inédito para a Seleção Brasileira de futebol nos Jogos Olímpicos Rio 2016 e comandou a volta do Internacional à primeira divisão em 2017. No ano seguinte, levou o clube colorado à terceira colocação do Brasileiro e às quartas da Libertadores em 2019 e vice da Copa do Brasil no mesmo ano. Em quase dois anos, comandou o time do Beira-Rio em 116 jogos com aproveitamento de 60% – 61 vitórias, 27 empates e 28 derrotas.

 

Leia Também:  Copa do Brasil: Chapecoense volta a vencer o Criciúma e se classifica
Continue lendo

Esportes

Cruzeiro perde no Mineirão e disputa a Série B junto com o Cuiabá em 2020

Publicado

Apesar da fé e do apoio vindo das arquibancadas, o Cruzeiro perdeu para o Palmeiras, por 2 a 0, no Mineirão, em Belo Horizonte (MG) e foi rebaixado no Campeonato Brasileiro. O único gol da partida foi marcado por Zé Rafael, no início do segundo tempo. O PLACAR FI acompanhou TUDO em tempo real.

A missão dos mineiros para escapar da Série B era difícil. O Cruzeiro entrou em campo sendo obrigado a vencer o vice-líder Palmeiras, além de torcer por derrota do Ceará para o Botafogo, no Rio de Janeiro. Na teoria, resultados possíveis de acontecer. Porém, na prática, o futebol apresentado em campo não iludia o esperançoso torcedor celeste.
O rebaixamento tira o Cruzeiro do rol de times que nunca haviam sido rebaixados à Segunda Divisão do Campeonato Brasileiro. Situação esta que hoje só pertence a Flamengo, São Paulo e Santos. Importante dizer que além do Cruzeiro, a Chapecoense também foi rebaixada e consequentemente conheceu em 2019 o primeiro descenso de sua história.

POUCOS CHUTES E TUDO IGUALdestaque
O primeiro tempo esteve longe de ser o ideal para que o Cruzeiro conseguisse abrir o placar e mantivesse vivo o destaquecarrocelsonho de permanecer na Série A. Logo no primeiro minuto, Marcos Rocha cobrou lateral na área e o zagueiro Léo desviou contra o próprio gol. Fábio se esticou todo e mandou para escanteio.

Leia Também:  Neymar no Silvio Santos tem saia justa por conta de Anitta e derrota de lavada

Melhor tecnicamente, o Palmeiras apostou nas jogadas em profundidade e quase abriu o placar aos 15 minutos. Zé Rafael saiu em velocidade e invadiu a área. O meia finalizou cruzado e Fábio desviou para escanteio. Uma defesaça.
Numa das raras oportunidades de gol, aos 23 minutos, Marquinhos Gabriel tabelou com Jadson e o meia cruzou para Pedro Rocha, que finalizou de primeira, mas pela linha de fundo. Curiosamente, o time mineiro impôs ritmo maior quando foi avisado da derrota parcial do Ceará para o Botafogo, no Rio de Janeiro, mas insuficiente para balanças as redes do Mineirão.

DRAMA CRUZEIRENSE
Sem efetividade no campo ofensivo durante os primeiros 45 minutos, o Cruzeiro voltou para o segundo tempo com Sassá, que já vinha sendo pedido pela torcida na primeira etapa. Porém, o Palmeiras seguiu com mais posse de bola e levando mais perigo ao gol cruzeirense.

Aos 12 minutos, Weverton lançou Dudu, que ganhou na corrida do jovem zagueiro Cacá. O atacante cruzou rasteiro na área e Zé Rafael, com a perna esquerda, superou o goleiro Fábio. Gol que complicou ainda mais o Cruzeiro na luta contra o rebaixamento, mas que manteve o time paulista na segunda posição do campeonato.

Leia Também:  Brasil tem vitória em noite de abertura dos Jogos Pan-Americanos

Não bastasse o gol palmeirense, o Ceará também acabou empatando o duelo contra o Botafogo, no Rio de Janeiro, dificultando ainda mais a situação do Cruzeiro. O gol de Raphael Veiga veio como uma ducha de água fria, desanimando os jogadores para seguir acreditando na fuga contra o rebaixamento.

O rebaixamento do Cruzeiro foi sacramentado aos 37 minutos do segundo tempo, quando Bruno Henrique cruzou na área e o baixinho Dudu, sem marcação, cabeceou no ângulo de Fábio. Segundo gol que selou a derrota e consequentemente o descenso do Cruzeiro à Série B.

CONFUSÃO NAS ARQUIBANCADAS
Minutos antes do segundo gol do Palmeiras, torcedores do Cruzeiro entraram em confronto com a Polícia Militar nas arquibancadas do Mineirão. Muitas bombas e correria em alguns dos setores do estádio. O jogo foi paralisado aos 40 minutos e, por ordem da Polícia Militar, o árbitro encerrou a partida.
FICHA TÉCNICA

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana