conecte-se conosco


Tecnologia

Instagram mira em OnlyFans e libera assinaturas pagas para criadores

Publicado


source
Instagram mira em OnlyFans e libera assinaturas pagas para alguns criadores
Felipe Vinha

Instagram mira em OnlyFans e libera assinaturas pagas para alguns criadores

O Instagram está testando modelos de assinaturas pagas em algumas contas nos EUA, no melhor estilo “OnlyFans”, e espera poder expandir a possibilidade para mais criadores em breve. A novidade está presente nos aplicativos de Android e iOS, permitindo que o usuário pague para assinar e consumir conteúdo exclusivo, em três possibilidades distintas.

De acordo com o Instagram, o criador pode decidir seu preço na hora de ativar o botão de assinatura. A partir daí o usuário tem a possibilidade de consumir três tipos de conteúdo exclusivo:

  • Lives exclusivas para inscritos pagos;
  • Stories que só podem ser vistos por quem assinar o perfil, com Sticker exclusivos;
  • Insígnias que ficam ao lado do nome da pessoa que comenta no perfil ou envia mensagem no inbox do criador.

O serviço é similar ao já existente no Facebook , que também deixa que usuários assinem páginas de criadores e contribuam com dinheiro. Na rede azul há alguns requisitos para ter o botão de inscritos: ter 10 mil seguidores, 600 mil minutos de vídeos vistos e ao menos cinco vídeos ativos na página.

Ainda não se sabe quais serão os requisitos para ter o botão de inscritos no perfil do Instagram, nem mesmo quando ele será liberado para um número maior de usuários.

Leia Também

Leia Também

Quem tem acesso no momento?

Um grupo de 10 influenciadores nos Estados Unidos já contam com o botão de inscrição paga. São pessoas com números de seguidores variáveis – de 60 mil a 500 mil – e também de assuntos diversos.

Alan Chikin Chow, por exemplo, é um ator e escritor asiático. As atletas Jordan Chiles e Sedona Prince também fazem parte do seleto grupo. Outros presentes são Lonnie IIV, Don Allen Stevenson III, Bunny Michael, Jack Jerry, Elliott Norris, Kelsey Cook e Aliza.

Curiosamente, ao entrar nestes perfis aqui do Brasil, nem mesmo o botão de inscrição está disponível, caso o usuário queira testar para ver como funciona. Resta mesmo aguardar para ver se e quando será liberado por aqui.

Outro detalhe que pode passar batido é que, segundo um dos criadores participantes, Elliott Norris, todo o dinheiro arrecadado pela assinatura vai para o dono do perfil, sem uma porcentagem dividida com o Facebook ou Meta. Norris comentou a respeito ao responde a pergunta de um fã brasileiro. Não se sabe se isso ainda é apenas durante a fase de testes ou se vai funcionar desta forma também quando o produto for lançado para o público geral.

Com informações: 9to5Mac .

Instagram mira em OnlyFans e libera assinaturas pagas para alguns criadores

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Tecnologia

Twitter lança nova forma de usuários ganharem dinheiro na rede social

Publicado

source
Twitter lança Super Follows Spaces
Unsplash

Twitter lança Super Follows Spaces

O Twitter anunciou nesta quinta-feira (19) mais uma forma de criadores de conteúdo ganharem dinheiro através da rede social. Trata-se do Super Follow Spaces.

O Super Follow é o recurso da plataforma que permite que usuários paguem para serem “super seguidores” de criadores de conteúdo, recebendo publicações exclusivas. Agora, a ferramenta foi expandida para as salas de áudio Spaces.

Isso significa que criadores de conteúdo podem criar Spaces exclusivos para conversarem com quem assina seus perfis. Confira:

O Super Follow Spaces já está disponível para todas as pessoas que têm o Super Follow acionado em suas contas do Twitter.

Continue lendo

Tecnologia

Elon Musk diz que vai monitorar Amazônia, mas sua empresa não faz isso

Publicado

source
Elon Musk e Jair Bolsonaro se encontram nesta sexta-feira (20)
Reprodução/YouTube – 20.05.2022

Elon Musk e Jair Bolsonaro se encontram nesta sexta-feira (20)

Em encontro com o presidente Jair Bolsonaro, o empresário Elon Musk afirmou que sua empresa SpaceX, através da internet via satélite Starlink, vai monitorar a Amazônia. Quando perguntando sobre como essa operação garantiria a preservação ambiental na região, Musk falou apenas da conectividade.

“Você pode produzir muitas imagens e vídeos para tentar entender o que está acontecendo. Você precisa dessa conectividade”, afirmou.

Mas o que a tecnologia da Starlink permite é somente conexão remota e envio de fotos e vídeos, como qualquer troca de arquivos, por exemplo, via Whatsapp.

Apenas o monitoramento – ou seja, uso de sistemas que façam a interpretação das imagens captadas a partir de um profundo conhecimento da área – permite a preservação, afirmam especialistas.

Esse monitoramento, cujos sistemas no Brasil têm enorme respaldo científico internacional, mostra que o desmatamento avança na Amazônia, ao contrário do que o presidente Bolsonaro sugeriu. “Contamos com Elon Musk para que a Amazônia seja conhecida por todos, no Brasil e no mundo. Mostrar a exuberância dessa região, como ela é preservada por nós e quanto malefício causa para nós aqueles que difundem mentiras sobre essa região”, afirmou o presidente.

Bolsonaro ainda disse que o acordo entre o governo federal e a SpaceX é “o início de um namoro que com certeza será um casamento”. O governo não informou como essa parceria seria viabilizada nem que contrapartidas exigiria.

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana