conecte-se conosco


Economia

iFood dobra taxa de entrega em pleno isolamento e impacta negócios

Publicado


source
entregador do ifood
Divulgação/iFood

A taxa de entrega do iFood dobrou no último mês, segundo empreendedores

O aplicativo de entrega de comidas iFood tem aumentado suas taxas de entrega. Segundo relatos de donos de negócios do ramo alimentício, o valor dobrou neste mês. “Antes, nossa taxa entrega era de R$ 3,99 e agora varia entre R$ 6,99 e R$ 7,99”, diz o gestor de um restaurante no centro de São Paulo, que não quis se identificar. 

O entrevistado diz também que o aumento nesse mês pode ter sido um dos fatores para a queda no movimento do negócio. “Nosso rendimento de maio certamente não vai chegar ao que tivemos em abril”, afirma. Nas redes sociais, houve também reclamações sobre a mudança de valores por empreendedores do setor.

O que o iFood fez em plena quarentena com os bares e restaurantes funcionando só com delivery? Dobrou o valor de todas…

Posted by Raphael Vidal on  Thursday, May 14, 2020


Procurado pelo iG, o iFood afirmou que desde sexta-feira passada (15), “alguns parceiros tiveram diminuição e outros aumento” em suas taxas de entrega e que “os valores acompanharão o dinamismo do mercado, levando em consideração fatores, como por exemplo, cidade e raio de entrega.”

Sobre o dinamismo de mercado, o iFood esclareceu que um dos fatores para aumento de taxa pode ser o balanço entre oferta e demanda  da quantidade de entregadores disponíveis e restaurantes. Se houver poucos entregadores para fazer o percurso entre o estabelecimento e a casa do cliente, a taxa sobe. 

Segundo a empresa, os restaurantes cadastrados em sua plataforma podem acessar o Portal de Parceiros do iFood e optar por participar de ações de entregas grátis. Além disso, o iFood afirma que criou quatro projetos de ajuda aos restaurantes durante a crise, que podem ser acessados em seu  site institucional. 

Projeto de Lei inclui tema de delivery na pandemia

Nesta semana, o tema dos deliveries também foi discutido no Senado, com o projeto de lei 1.179/2020. 

O texto tinha sido aprovado em abril no Senado, seguiu para a Câmara – onde sofreu mudanças – e retornou ao Senado. As mudanças excluíam o tema dos aplicativos de viagem e delivery, mas a alteração foi rejeitada pelos senadores e agora o texto irá para sanção presidencial.

Os senadores retomaram o trecho que obriga empresas de aplicativos de entrega e transporte individual, como o iFood, a reduzir em 15% o percentual cobrado de motoristas e entregadores por cada viagem até 30 de outubro, aumentando os valores repassados a eles.

A senadora Simone Tebet (MDB-MS) disse que esse dispositivo tinha sido inserido no texto por emenda do senador Fabiano Contarato (Rede-ES), para garantir que, até 30 de outubro deste ano, as empresas repassassem aos motoristas e entregadores ao menos 15% a mais em cada viagem realizada, reduzindo proporcionalmente os valores atualmente retidos por elas.

A emenda também proibia o aumento dos preços cobrados nas viagens, como forma de evitar que o ônus fosse repassado aos usuários do serviço.

“Não existem fatos novos que possam sustentar, a meu ver, uma mudança de posicionamento da maioria já formada a respeito do assunto”, declarou Tebet sobre a alteração feita pela Câmara.

publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Economia

Instituto Êxito doará 5 toneladas de alimentos para barraqueiros em Recife

Publicado


source

O Instituto Êxito de Empreendedorismo, instituição sem fins lucrativos, com apoio do Centro Universitário Maurício de Nassau (Uninassau), realiza a partir desta segunda-feira (25) a entrega de cinco toneladas de cestas básicas para barraqueiros da praia de Boa Viagem, em Recife (PE). 

Janguiê Diniz
Instituto Êxito/Divulgação

Presidente do Instituto Êxito, o empresário Janguiê Diniz é responsável pela campanha Êxito Solidário

A distribuição das cestas básicas será feita a partir das 8h, na sede da Uninassau Boa Viagem, nos dias 25, 26 e 27 de maio. Ação faz parte da campanha Êxito Solidário, que está arrecadando cestas básicas para ajudar micro e pequenos empreendedores impactados pela pandemia da Covid-19 .

Nos três dias de entrega, 500 famílias serão beneficiadas com cestas básicas de 10 quilos, totalizando 5 toneladas de alimentos.

“Nós não poderíamos fechar os olhos para o que está acontecendo com quem mais precisa. É nossa obrigação ajudar e faremos isso com muita determinação. Não vamos parar por aqui. A campanha Êxito Solidário tem objetivo de arrecadar e distribuir 50 mil cestas básicas e faremos isso”, relata o presidente do Instituto Êxito de Empreendedorismo, Janguiê Diniz.

“É com muita alegria que vamos conseguir proporcionar esse momento de alento para os barraqueiros da praia de Boa Viagem. Desde quando começou a pandemia e a população teve que se isolar socialmente para se proteger do contágio do coronavírus, esses profissionais tiveram que parar as suas atividades e ficaram sem fonte de renda “, finaliza o CEO da Ser Educacional, mantenedora da Uninassau, Jânyo Diniz.

Como ajudar

A campanha Êxito Solidário pretende arrecadar 50 mil cestas básicas por meio de doações que podem ser feitas neste site . No endereço, o doador escolhe com quantas cestas quer contribuir – cada kit custa R$ 50 – e realiza o pagamento online, por meio de cartão de crédito ou boleto bancário.

A medida visa dar apoio a profissionais e famílias que estão com a renda comprometida devido às medidas de isolamento social adotadas no combate ao novo coronavírus. Além de Pernambuco, o Estado de São Paulo também já recebeu diversas doações por meio da Fundação Amor Horizontal e do movimento Transforma Brasil.

Sobre o Instituto Êxito

O Instituto Êxito de Empreendedorismo é uma instituição sem fins lucrativos e seu principal plano de ação está em oferecer uma plataforma de cursos on-line e gratuitos , além de realizar diversas ações voltadas para o fomento ao empreendedorismo.

Segundo seu fundador, o empresário Janguiê Diniz, o instituto tem a filosofia de que, independente da classe social e econômica, qualquer pessoa pode transformar suas ideias em ações que mudem e melhorem a realidade e a comunidade na qual vive.

“Por isso, nasceu com o objetivo de estimular o dom empreendedor dos jovens, especialmente os de escolas públicas, onde há muitos talentos escondidos e boas ideias a serem impulsionadas”, declara por nota. 

“É o resultado de um sonho que envolve empreendedores visionários dos mais variados segmentos do Brasil. Hoje, já conta mais com mais de 400 sócios que compactuam de um mesmo propósito: fazer do empreendedorismo a turbina para impulsionar vidas e histórias”, conclui.

Serviço:

Entrega de cestas básicas Êxito Solidário
Data: 25, 26 e 27 maio
Horário: 08h às 12h
Local: R. Jonatas de Vasconcelos, 316 – Boa Viagem, Recife (UNINASSAU Boa Viagem)
Beneficiados: barraqueiros da orla de Boa viagem cadastrados pela prefeitura
Doação/iniciativa: Instituto Êxito de Empreendedorismo
Apoio: Uninassau

Continue lendo

Economia

Luciano Hang, dono da Havan, perde processo contra reitor da Unicamp

Publicado


source
hang
Divulgação

Empresário publicou fato mentiroso sobre acadêmico da Unicamp

Luciano Hang, empresário dono da rede de loja de departamentos Havan, perdeu o processo contra o reitor da Universidade de Campinas, Marcelo Knobel.

Hang terá de indenizá-lo em R$ 20,9 mil, além de “publicar, em sua conta no Twitter, retratação […] da mesma forma (escrita) como foi publicada e com o mesmo número de linhas, em dez dias contados do trânsito em julgado, sob pena de multa diária […] em R$ 1 mil”, segundo sentença do juiz Mauro Iuji Fukumoto, da 1ª Vara da Fazenda Pública de Campinas, publicada no último dia 19.

O processo tem a ver com um post no Twitter de Hang, de 24 de julho de 2019, em que o empresário escreveu que o reitor da Unicamp havia gritado “Viva la Revolução” durante uma cerimônia de formatura, conforme lhe contara um amigo. 

“E depois dizem que nossas universidades não estão contaminadas? Vá pra Venezuela Reitor FDP”, escreveu ainda Hang.

Mas o fato nunca aconteceu. Segundo constatou o juiz, o reitor Marcelo Knobel não estava sequer presente na celebração. “Não compareci a nenhum evento de formatura no final do ano de 2018, e também não proferi o citado chavão em nenhuma ocasião”, afirmou Knobel, além de expressar que acredita que o caso se trate de “fake news”.

A argumentação da defesa de Hang citou “liberdade de manifestação do pensamento” e, sobre o xingamento (“FDP”), a defesa expressou: “mero dissabor cotidiano a que todos estão sujeitos”.

O juiz não aceitou a arguição e entendeu que Hang quis atribuir “pecha de radical e extremista [a Knobel], alguém que em um evento acadêmico manifesta uma posição política sem qualquer relação com o contexto, sendo incapaz de dissociar sua suposta opção ideológica dos deveres inerentes ao cargo que ocupa.” No entanto, ainda cabe recurso.

Leia ainda:  Querendo reabrir como essencial, Havan começa a vender arroz e feijão

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana