conecte-se conosco


Cuiabá

Hospital Referência dispõe de 15 leitos de UTI para pacientes com Covid-19 nesta quinta-feira

Publicado


.

Dos 20 novos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Referência à Covid-19, entregues pelo prefeito Emanuel Pinheiro na última segunda-feira (13), cinco estavam ocupados, até o censo realizado na madrugada desta quinta-feira (16). A contagem de leitos ocupados e, consequentemente, dos disponíveis para a Central de Regulação de Urgência e Emergência, é feita três vezes ao dia. A contagem mais recente será finalizada agora pela manhã. 

Conforme a Central de Regulação, que também faz a contagem de pessoas a espera de uma vaga de UTI três vezes ao dia, às 7 horas desta quinta-feira (16), havia 12 pacientes na fila, sendo três de Cuiabá. A expectativa é de que até por volta de meio-dia este número já tenha mudado, pois as pessoas de Cuiabá já terão sido transferidas para as vagas disponibilizadas no Hospital Referência. Quem mora no interior encontra uma dificuldade maior pois, além da vaga de UTI, a Central de Regulação precisa viabilizar o transporte dessas pessoas, seja uma ambulância com UTI móvel ou mesmo transporte aéreo. 

Atualmente, a rede municipal de saúde de Cuiabá conta com 115 leitos exclusivos para Covid-19, o que representa 43,39% do total de leitos de UTI para Covid-19 na rede pública de Mato Grosso. Desses 115 leitos, 75 estão no Hospital Referência, sendo 60 adultos e 15 pediátricos e 40 no Hospital São Benedito. 

De acordo com Elaine de Souza, coordenadora de regulação do Município de Cuiabá, a Central de Regulação de Urgência e Emergência atua com servidores municipais e estaduais, que atuam em conjunto. A central é responsável por atender as demandas de todas as unidades de Mato Grosso, o que se dá da seguinte forma: os médicos das unidades locais telefonam para a central de regulação, onde são atendidos por outros médicos. Ambos conversam sobre o caso clínico do paciente que aguarda por um leito de Unidade de Terapia Intensiva. 

Dentre os critérios avaliados estão a idade do paciente, se tem comorbidade, a localização geográfica, se é gestante (pois, nesse caso, é preciso que a unidade que vai receber a paciente precisa ter também uma UTI neonatal), se precisa de UTI aérea, dentre outros. Assim como ocorre com a triagem nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), por exemplo, o critério não é pela ordem de chegada, mas sim pela gravidade do paciente. A diferença é nas UPAs a triagem é feita por enfermeiro e na Central de Regulação a triagem é feita por médico, com uma avaliação bem mais minuciosa.

 

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cuiabá

Multas aplicadas pela Secretaria de Ordem Pública durante a pandemia chegam a quase R$ 300 mil

Publicado


.

Ao longo da Operação Integrada de Prevenção à Covid-19, que teve início em 23 de março, com a decretação do estado de emergência em Cuiabá por conta da pandemia, a Secretaria Municipal de Ordem Pública já lavrou 1.161 instrumentos fiscais, dos quais 423 são autos de infração que somam R$ 294.809,50 em multas, registradas até o dia 31 de julho.

Foram 638 autos de notificações em atividades comerciais, industriais ou de prestação de serviço. Em março, foram duas ocorrências; em abril, 220; em maio, 141; em junho, 213 e em julho, 62 autos de notificação. Quanto aos autos de infração lavrados contra o mesmo ramo, foram 401 ao longo da operação, sendo 48 em abril, 134 em maio, 142 em junho e 77 em julho. Em valores, os autos de infração somam R$ 275.320,53 em multas.

Entre abril e julho deste ano, a SORP também lavrou 40 termos de suspensão ou redução de atividade em atividades comerciais, industriais ou de prestação de serviço. Em abril foram 5 termos; em maio, três; em junho, 11 e em julho, 21 interdições. 

Com relação ao comércio ambulante, os agentes de regulação e fiscalização da Secretaria de Ordem Pública emitiram 49 autos de notificação, sendo 11 em abril, 22 em maio, 13 em junho e três em julho. Também foi necessário emitir 17 autos de infração com relação a esse tipo de atividade econômica, sendo três autos em abril, cinco em maio e nove em junho. Os autos de infração correspondem a R$ 16.139,30 em multas.

Os trabalhos de combate à poluição sonora também continuaram durante a pandemia, mesmo com todas as linhas direcionadas para o Disque-denúncia da Operação Integrada de Prevenção à Covid-19. Entre abril, maio e junho, foram 6 autos de notificação por poluição sonora. Já entre maio, junho e julho, houve a lavratura de quatro autos de infração pelo mesmo motivo, que somam R$ 2.436,12 em multas.

Fiscalização em obras e edificações em geral renderam cinco autos de notificação entre abril, maio e junho e um auto de infração, registrado em julho, no valor de R$ 913,55 em multa.

O secretário municipal de Ordem Pública, coronel Leovaldo Sales, destaca que a proteção da saúde e da vida de toda a população tem sido o combustível de todos os envolvidos na operação e ressalta que nenhum fiscal tem prazer em multar nenhuma pessoa. “Durante toda a operação integrada de fiscalização, a SORP nunca deixou escapar a essência predominantemente preventiva em suas ações. Não lavramos nenhuma multa com prazer, muito pelo contrário, a cada auto de infração lavrado, o sofrimento também era nosso como agentes públicos em meio a uma população já grandemente penalizada. As multas só foram impetradas porque o diálogo não foi suficiente para conscientizar o infrator e resolver a questão”, afirma.

O secretário ainda lembra que, ao longo de todo o trabalho de fiscalização nesta pandemia, a pasta perdeu um de seus fiscais, que estava na linha de frente, tentando evitar que mais pessoas fossem infectadas e tivessem que precisar de um leito de UTI, como ele precisou.  “Perdemos um servidor exemplar, Benedito Edmar, que foi vencido pelo coronavírus, e a maneira que encontramos de superar a perda e a tristeza foi trabalhando mais e com maior ânimo e assim iremos até que venha o ‘novo normal’ e essa pandemia acabe”, diz Sales.

 

Continue lendo

Cuiabá

Marido e esposa revivem, com encantamento, os momentos da cerimônia do Casamento Social 300 Anos

Publicado


.

Há um ano, 300 enamorados realizaram o sonho de dizer o “Sim”, durante a cerimônia do Casamento Social 300 Anos realizado pela Prefeitura de Cuiabá e idealizado pela primeira-dama Márcia Pinheiro e diversos parceiros. Após um ano, as recordações do grande dia puderam ser revistas por meio do álbum de fotografias especialmente preparado para os noivos.

Quem esteve presente, pode recordar e mais uma vez agradecer pelas bênçãos que tem recebido foi o casal Ana Amélia e Ananias Batista. Quem acompanhou a história sabe e lembra muito bem do momento vivenciado pelos dois na época do casamento. Dona Amélia estava com câncer, passando pelo tratamento da quimioterapia. Apesar das dificuldades, ela contava que seu único desejo era oficializar a união com o fiel companheiro de jornada. E conseguiu. Hoje ela está curada e conta que a oficialização do matrimônio foi motivo de forças para continuar. “Estamos muito felizes. Se já éramos unidos, agora muito mais. A palavra que resume o nosso momento e a rica oportunidade é gratidão”, contou a noiva.

Já a história dos noivos Mônica Malaquias e Jhonne Pereira, apesar de parecer um pouco diferente, tem também um tom especial. Força e superação também foram as marcas do casal selecionado. Quando  a história foi comentada, algumas pessoas chegaram a duvidar, mas foi a mais pura verdade. No dia do evento, faziam apenas três dias que Mônica tinha passado por uma cesária. Hoje o bebê que na época era recém-nascido está com um ano de vida. “Jamais poderia deixar de realizar meu grande sonho. Tenho certeza que em todo tempo Deus me amparou e deu forças pra aguentar até o fim. Hoje, vendo esse álbum de fotos, estamos fazendo uma viagem no tempo. Como foi bom. Valeu a pena”, contou o casal, emocionados e gratos pela rica oportunidade.

E quem é que diz que pra casar precisa ter até certa idade? Prova disso foi o casal  Arici Borrasi, 83 anos e Gilmar Borassi, 61. Após 23 anos juntos, eles finalmente puderam oficializar a união. Por ser um pouco tímida, seu Gilmar tomou a frente e disse que o que já era bom, ficou muito melhor. “Não tenho palavras pra agradecer. Somos duas pessoas abençoadas. Nesse um ano que passou, tive a plena convicção de que ela é a mulher da minha vida. O nosso muito obrigado. Que mais anos sejam ainda comemorados por nós”, contou ele.

A entrega dos álbuns foi feito por meio de um ato simbólico, em virtude da pandemia do novo Coronavírus, a fim de evitar aglomeração. Apenas dez casais foram selecionados para reopresentar os demais e puderam receber das mãos da primeira-dama, o tão esperado álbum de recordações. O restante será entregue pela coordenação das 14 unidades dos Centros de Referência de Assistência Social (Cras).

O dia 03 de agosto de 2019, data da celebração do evento que ficará eternamente guardado na memória dos casais, dos familiares e de toda população cuiabana. “É com muita satisfação, que estamos aqui entregando mais esse presente e encerrando mais essa etapa na vida desses 300 casais, o álbum de fotografias. A emoção tomou conta, pois graças ao apoio de todos os parceiros, pudemos realizar esse grande evento, especialmente preparado. Histórias de casais que já conviviam há mais de 30 anos juntos e não eram casados, por falta de condições financeiras. O nosso muito obrigado. Que o evento Casamento Social, passe a fazer parte do calendário oficial de eventos do Município”, disse a primeira-dama, Márcia Pinheiro.   

O Casamento Social foi uma ação da Prefeitura Municipal de Cuiabá por meio da Secretaria de Assistência Social e Desenvolvimento Humano juntamente com o Núcleo da Primeira-dama, tendo como público alvo famílias de baixa renda, de até um salário mínimo.

 

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana