conecte-se conosco


Nacional

Homem mata esposa e atira na própria filha no Rio de Janeiro

Publicado

source
Homem mata esposa e atira na filha na Baixada Fluminense
Reprodução/Google Street View

Homem mata esposa e atira na filha na Baixada Fluminense

A Polícia Civil investiga uma ocorrência onde um homem atirou na esposa e na filha e depois se matou. O crime ocorreu na noite desta sexta-feira no bairro Santa Terezinha, em Mesquita, na Baixada Fluminense. Só a criança sobreviveu. O caso foi registrado na Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF).

De acordo com a Polícia Militar, agentes do 20º Batalhão (Mesquita) foram acionados para a Travessa Jurupoca, onde encontraram uma equipe do Corpo de Bombeiros que constatou a morte da mulher. O homem foi socorrido ao Hospital Geral de Nova Iguaçu, mas não resistiu.

A menina foi levada ao Hospital Adão Pereira Nunes, em Duque de Caxias, onde segue internada. O GLOBO ainda aguarda um posicionamento da secretaria municipal de Sáude de Caxias sobre o estado de saúde da menor.

Um revólver e uma pistola foram apreendidos. As investigações estão em andamento na DHBF para elucidar as circunstâncias do ocorrido e a motivação.

Índices de feminicídio assustam

De acordo com dados do Instituto de Segurança Pública do Rio, entre janeiro e abril de 2022 – meses que os dados já foram computados – 47 mulheres foram vítimas de feminicídio em todo o estado do Rio. No mesmo período, outras 108 foram vítimas de tentativa de feminicídio.

Nos mesmos meses do ano passado, 30 mulheres foram mortas por seus companheiros ou ex-companheiros. Outras 86 foram vítimas de tentativa de feminicídio.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Nacional

Deputada diz que 14 nomes estão ameaçados de morte no Vale do Javari

Publicado

Deputada diz que 14 nomes estão ameaçados de morte no Vale do Javari
reprodução/pf

Deputada diz que 14 nomes estão ameaçados de morte no Vale do Javari

Relatora da Comissão Externa da Câmara dos Deputados que acompanha as investigações sobre as mortes de Bruno Pereira e Dom Phillips, a deputada federal Vivi Reis, do PSOL do Pará, apresentou na tarde desta quarta-feira à Procuradoria-Geral da República uma lista de 14 pessoas que sofrem ameaças de morte na região do Vale do Javari.

A relação inclui indígenas, servidores da Fundação Nacional do Índio (Funai), integrantes da União dos Povos Indígenas no Vale do Javari (Univaja)e indigenistas.

O documento, que solicita que oito das vítimas de ameaças ingressem no Programa de Proteção a Defensores de Direitos Humanos, foi entregue à procuradora Eliana Torelly, coordenadora da 6° Câmara de Coordenação e Revisão do Ministério Público Federal (MPF), que acompanha a pauta indígena.

A iniciativa surgiu a partir de uma solicitação feita pela Univaja. Vivi Reis integrou a comitiva de parlamentares que na semana passada visitou os municípios de Atalaia do Norte e Tabatinga, no Amazonas, onde o indigenista e o jornalista inglês foram mortos, em 5 de junho.

Durante a visita, os parlamentares ouviram os relatos de indígenas e moradores da região, muitos dos quais ameaçados por pescadores ilegais que enriquecem a partir da pesca do Pirarucu, um peixe amazônico que pode pesar até 200 quilos, além da caça ilegal de antas, queixadas e tartarugas.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Nacional

Continue lendo

Nacional

Transporte hidroviário: SP reserva área para terminal atracadouro

Publicado

Transporte hidroviário: SP reserva área para terminal atracadouro
Divulgação/SMTUR

Transporte hidroviário: SP reserva área para terminal atracadouro

A Prefeitura de São Paulo publicou nesta quarta-feira, 6 de julho, decreto municipal declarando de utilidade pública a área em que será instalado o futuro Terminal Atracadouro Pedreira. Este é mais um passo para a implantação do Aquático SP, primeiro modo de transporte coletivo por embarcações na cidade.

O Aquático SP será um Sistema de Transporte Público Hidroviário na Represa Billings e deve beneficiar diretamente os moradores da Zona Sul com ganho na qualidade de vida, ao reduzir significativamente o tempo de deslocamento as regiões da Estrada do Cocaia e o bairro de Pedreira, além da região do Grajaú, já que para se deslocar entre estas regiões é preciso contornar toda a represa.

O novo sistema de transportes será totalmente integrado ao sistema de transporte já existente na cidade, inclusive aceitando pagamento via Bilhete Único, e contará com atracadouros e terminais que serão construídos para acomodar os ônibus das linhas que circulam nos bairros próximos e permitir a integração dos passageiros entre os ônibus e as embarcações para a travessia aquática.

A primeira fase de implantação do Aquático está prevista no Plano de Metas 2021-2024. O projeto também está previsto no Plano Diretor Estratégico do Município.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Nacional

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana