conecte-se conosco


Esportes

Hamilton vence GP da França de ponta a ponta com nova dobradinha da Mercedes

Publicado

Lance

Lewis Hamilton venceu outra na Fórmula 1%2C desta vez no GP da França
FORMULA 1 / Divulgação

Lewis Hamilton venceu outra na Fórmula 1, desta vez no GP da França

Lewis Hamilton venceu de ponta a ponta o Grande Prêmio da França de Fórmula 1 , conquistando sua quarta vitória consecutiva e a quinta da temporada 2019 da princpal categoria do automobilismo, em mais uma dobradinha da Mercedes.

Confira mais notícias de Fórmula 1 no iG Esporte

Depois de duas corridas sem a dobradinha, a Mercedes voltou aos dois primeiros lugares do pódio, apesar de Bottas receber a quadriculada mais de 15 segundos atrás de Hamilton , seu companheiro de equipe.

Charles Leclerc, da Ferrari , completou o pódio na terceira posição em seu terceiro pódio do ano. O monegasco se aproximou perigosamente de Bottas nos estágios finais da corrida em Paul Ricard, mas não conseguiu ultrapassar o finlandês.

Max Verstappen fez uma corrida tranquila para terminar na P4, enquanto seu companheiro de Red Bull, Pierre Gasly, terminou fora da zona de pontuação em 11º.

Sebastian Vettel, sétimo colocado no grid de largada, ganhou duas posições durante a corrida para terminar em quinto. Somando 11 pontos, já que garantiu o ponto extra pela volta mais rápido no último giro em Paul Ricard.

A McLaren seguiu seu forte desempenho na França, e parecia que terminaria na P6 e P7, mas Lando Norris teve problemas em sua caixa de câmbio nas voltas finais e acabou caindo para a 10ª posição.

Carlos Sainz foi o sexto colocado, à frente de Daniel Ricciardo, Kimi Raikkonen e Nico Hulkenberg.

Foi outro dia complicado para a Haas, responsável pelo único abandona da corrida, quando Romain Grosjean voltou com sua VF-19 aos boxes e parou. Kevin Magnussen também sofrer com a falta de ritmo em Paul Ricard, e terminou apenas na 17ª posição.

A Racing Point superou a Toro Rosso na classificação final, enquanto Sergio Perez terminou mais de cinco segundos à frente de seu companheiro de equipe Lance Stroll. Daniil Kvyat foi o 14º a Alexander Albon o 15º.

A Fórmula 1 retorna na próxima semana com o Grande Prêmio da Áustria, 9ª etapa da temporada 2019 da F1. 

Confira o resultado final do GP da França:

Classificação do GP da França de F1 em 2019
MOTORSPORT/REPRODUÇÃO

Classificação do GP da França de F1 em 2019

1) Lewis Hamilton (Mercedes)
2) Valtteri Bottas (Mercedes)
3) Charles Leclerc (Ferrari)
4) Max Verstappen (Red Bull/Honda)
5) Sebastian Vettel (Ferrari)
6) Carlos Sainz Jr. (McLaren/Renault)
7) Daniel Ricciardo (Renault)
8) Kimi Räikkönen (Alfa Romeo/Ferrari)
9) Nico Hülkenberg (Renault)
10) Lando Norris (McLaren/Renault)
11) Pierre Gasly (Red Bull/Honda)
12) Sergio Pérez (Racing Point/Mercedes)
13) Lance Stroll (Racing Point/Mercedes)
14) Daniil Kvyat (Toro Rosso/Honda)
15) Alexander Albon (Toro Rosso/Honda)
16) A.Giovinazzi (Alfa Romeo/Ferrari)
17) Kevin Magnussen (Haas/Ferrari)
18) Robert Kubica (Williams/Mercedes)
19) George Russell (Williams/Mercedes)
20) Romain Grosjean (Haas/Ferrari)

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esportes

Ginasta usa tecnologia para acompanhar treino da seleção em Portugal

Publicado


.

A seleção brasileira de Ginástica Artística inicia a terceira semana de dois meses de treinos previstos para a equipe dentro da Missão Europa do Comitê Olímpico do Brasil (COB), na cidade de Sangalhos, a pouco mais de 230 km de Lisboa. O grupo é formado por 10 atletas, mas uma ausência é muito sentida: Déborah Medrado, 18 anos, campeã dos Jogos Pan-americanos Lima 2019 e uma das principais lideranças do conjunto brasileiro.

Isto acontece porque a atleta aproveitou a pandemia do novo coronavírus (covid-19) e o adiamento dos Jogos Olímpicos de Tóquio para realizar uma cirurgia no segundo metatarso dos pés esquerdo e direito.

Contudo, mesmo não estando em Portugal com as companheiras de equipe, a capixaba acompanha as atividades. “Desde o início da quarentena, nossos treinos eram virtuais. Infelizmente a Déborah não veio. Porém, para ela continuar conosco a colocamos no computador para fazer o mesmo treino”, explica Beatriz Linhares, que, assim como Déborah, conquistou um ouro (3 arcos e 2 maças) e dois bronzes (geral e 5 bolas) nos Jogos de Lima no ano passado.

“Estamos aqui, todas juntas novamente, e ela deve ficar um pouco sentida. Não queremos que ela desanime e estamos tentando, ao máximo, mesmo de longe, trazê-la para perto”, completa Bia, 17 anos, e que é natural de Florianópolis (SC).

Em relação aos trabalhos da equipe dentro do ginásio, apesar do longo tempo afastada, a seleção já nota uma evolução técnica e física. “Tivemos algumas dores musculares, o que é normal, mas [o retorno] não está sendo tão difícil pelo fato de estarmos muito empolgadas. Foi apenas uma pausa, agora voltamos aos treinos e estamos focando no nosso objetivo, que é lutar pela vaga olímpica”, declara Duda Arakaki, 16 anos, que esteve nos Jogos Olímpicos da Juventude de 2018, em Buenos Aires (Argentina).

Edição: Fábio Lisboa

Continue lendo

Esportes

Maringá anuncia fim da equipe de vôlei masculino

Publicado


.

Na noite desta segunda-feira (3), através de nota oficial, o Maringá anunciou o encerramento da equipe de vôlei masculino. O time, que disputou as últimas sete edições da Superliga, anunciou o encerramento dos trabalhos e a entrega da vaga no campeonato.

O ex-levantador, campeão olímpico, bicampeão mundial e gestor do projeto, Ricardinho, afirmou que a falta de apoio foi fatal: “Infelizmente, em um campeonato formado por gigantes, não tivemos o suficiente para brigar de igual para igual. Fizemos bonito, chegamos à sexta posição no primeiro ano, e nos outros dois tivemos uma boa atuação. Porém, sem patrocinadores, as edições seguintes foram marcadas por lutas constantes em busca de apoio da iniciativa privada e dos governos municipal e estadual”.

Ricardinho destacou que a torcida do município paranaense fez o seu papel. Sendo escolhida, segundo ele, como a “maior torcida do Brasil” em todos os anos. Desta forma, segundo o agora dirigente, enalteceu o nome de Maringá e do Paraná no âmbito nacional e internacional.

“Mas, infelizmente, faltou a famosa atenção ao esporte dos poderes públicos e do incentivo da classe empresarial. Isso poderia ter mudado a história do vôlei maringaense, que dificilmente voltará a atuar entre os 12 melhores time de vôlei do Brasil”, lamentou.

Edição: Fábio Lisboa

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana