conecte-se conosco


Política Nacional

Grupo Parlamentar Brasil-EUA é instalado e elege comissão executiva

Publicado

Foi instalado nesta quarta-feira (4) o Grupo Parlamentar Brasil-Estados Unidos da América, composto por senadores e deputados. O senador Roberto Rocha (PSDB-MA) foi eleito para o cargo de presidente. O grupo também aprovou o regulamento que servirá de base para a condução dos trabalhos do colegiado.

A comissão executiva será composta pelo senador Flávio Bolsonaro (sem partido-RJ) e Tasso Jereissati (PSDB-CE) que ocupam os cargos de vice-presidentes. Para secretários do grupo foram eleitos os senadores Antonio Anastasia (PSDB-MG), Eduardo Gomes (MDB-TO), Izalci Lucas (PSDB-DF), Irajá (PSD-TO). Os senadores Esperidião Amin (PP-SC), Arolde de Oliveira (PSD-RJ), a deputada Angela Amin (PP-SC) e o deputado Eduardo da Fonte (PP-PE) também formarão o Grupo Parlamentar Brasil-EUA. Outros parlamentares poderão aderir a composição do grupo parlamentar por meio dos termos de adesão, que estão disponíveis nos portais do Senado e da Câmara.

Roberto Rocha destacou a relevância do Acordo de Salvaguardas Tecnológicas entre o Brasil e os Estados Unidos (PDL 523/2019) para o avanço das relações entre os países. O Acordo permite a participação dos Estados Unidos em lançamentos a partir do Centro Espacial de Alcântara, no Maranhão. O senador afirmou que o Brasil usufrui das tecnologias dos EUA.

— Em verdade não é nem o Brasil que autoriza os Estados Unidos, os Estados Unidos que autoriza o Brasil a operar na base brasileira com a tecnologia americana — disse.

O senador destacou que a base de Alcântara pode identificar de imediato os focos de incêndio na Amazônia, mas que para o combate é preciso de suportes que não existem no Brasil. Ele declarou que o Senado encaminhou um ofício para os Estados Unidos solicitando a doação de três helicópteros Chinook para ajudar não só no combate às queimadas no Amazônia, mas em outras ações.

— O Brasil não tem nenhum desses helicópteros, se a Amazônia é do mundo, a gente pede para que os Estados Unidos vejam a possibilidade de doar para o Brasil, para as forças brasileiras três aparelhos desses, pode ser usado, não precisa ser novo. Pela grandeza dos helicópteros servirão para levar pessoas e até mesmo tratores quando necessário — destacou.

O Diretor do Departamento de Estados Unidos do Ministério das Relações Exteriores, embaixador Benoni Belli, que esteve presente à reunião, afirmou que a economia entre os países reflete o interesse da sociedade e do setor privado. Disse ainda que por existirem grupos parlamentares de amizades nos dois países será acessível a exploração do setor de excelência e de inovação dos EUA.

— As forças vivas da sociedade no relacionamento Brasil-Estados Unidos vão muito além do que os executivos das embaixadas e o Ministério de Relações Exteriores podem fazer, sem a parceria de todas as forças vivas da sociedade nós não conseguiríamos concretizar metade do que foi concretizado até hoje — destacou.

O vice-chefe de Missão na Embaixada dos EUA em Brasília, William Popp, declarou que o grupo será de extrema importância para o avanço das relações entre os países. Ele afirmou que as duas maiores democracias começaram a se relacionar a aproximadamente dois séculos e que a ligação vive até hoje nas relações de segurança, saúde, economia e democracia.

O grupo parlamentar foi instituído pela Resolução 32 de 2019 e tem como finalidade incentivar e desenvolver as relações bilaterais entre seus Poderes Legislativos.

De Maria Helena, sob supervisão de Paola Lima

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política Nacional

CPI ouve nesta quarta sócio da Precisa Medicamentos sobre Covaxin

Publicado


A CPI da Pandemia vai ouvir nesta quarta-feira (23), a partir das 9h, o empresário Francisco Emerson Maximiano, sócio da Precisa Medicamentos. O depoente deve esclarecer se houve algum tipo de irregularidade no processo de compra da vacina Covaxin, produzida pelo laboratório indiano Barath Biotech.

A convocação obedece ao requerimento de autoria do senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), que quer saber dos “exatos termos das tratativas” entre a Precisa Medicamentos e o Ministério da Saúde para aquisição da Covaxin “apurando-se eventual beneficiamento ilícito”. Esse contrato foi o único realizado pelo Brasil que contou com a intermediação de uma empresa.

Uma das linhas de investigação da CPI é a apuração da negociação entre o empresário e o governo brasileiro sobre possível benefício para a aquisição de um imunizante que apresentava um preço quatro vezes maior, por exemplo, do que as vacinas que já estavam em tratativas no país, como a AstraZeneca. Os senadores buscam esclarecer também se houve alguma pressão para que a Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizasse o uso do imunizante no Brasil. A compra e inclusão do imunizante no Plano Nacional de Imunização (PNI) foram realizadas antes mesmo da sua aprovação pela Anvisa.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Continue lendo

Política Nacional

Vídeo: CPI da Covid faz um minuto de silêncio pelas mais de 500 mil mortes

Publicado


source
CPI da Covid faz 1 minuto de silêncio pelos 500 mil mortos vítimas da Covid-19
Reprodução/Youtube

CPI da Covid faz 1 minuto de silêncio pelos 500 mil mortos vítimas da Covid-19

CPI da Covid começou nesta terça-feira, 22, fazendo um minuto de silêncio pelas mais de 500 mil mortes da pandemia no Brasil e em respeito às famílias que perderam parentes. A solicitação pelo ato foi feita pelo senador Rogério Carvalho (PT-SE).

“Nós estamos aqui tentando justificar aquilo que nós não conseguimos justificar para o mundo: 502.817 brasileiros mortos. Neste momento, essa comissão tem que pedir um minuto de silêncio em homenagem a todas as vidas perdidas. Nós estamos de luto. São mais de 500 mil mortes no Brasil. Antes de começarmos qualquer coisa, queria pedir um minuto de silêncio em sinal e respeito às famílias que se desfizeram pela dor da perda, irreparável”, pediu Carvalho. Veja:

O pedido foi acatado pelo presidente da comissão, senador Omar Aziz (PSD-AM), que decretou a execução de um minuto de silêncio na sequência. Todos os senadores ficaram de pé durante um minuto, em silêncio. Alguns levantaram cartazes. Humberto Costa (PT-PE) segurava a palavra “responsabilidade”; Eliziane Gama (Cidadania-MA), Randolfe Rodriges (Rede-AP) e Otto Alencar (PSD-BA) seguravam cartazes escrito “vacina”; e o próprio Rogério Carvalho “mais de 500 mil mortes”.


Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana