conecte-se conosco


Política MT

Grupo de empresários do ramo de revenda de veículos declara apoio a Kalil Baracat

Publicado

Grupo é liderado pela empresária Miriam Hazama

Lideradas pela empresária Miriam Hazama, do Auto Shopping Fórmula, os mais de 60 empresários de 46 lojas e que comercializam em média 2 mil veículos por mês e empregam cerca de 500 trabalhadores diretos e outros 1.000 indiretos aderiu a campanha de Kalil Baracat e José Hazama para prefeito e vice-prefeito de Várzea Grande.

Miriam Hazama é irmã de José Hazama e assinalou que a participação do mesmo no mandato da prefeita Lucimar Sacre de Campos foi fundamental.

“Não se tem como deixar de reconhecer os avanços da administração da prefeita Lucimar Sacre de Campos que está sendo uma gestora além do seu tempo, uma verdadeira demonstração de como fazer o bem sem olhar a quem”, disse Miriam Hazama ao se reunir com Kalil Baracat, José Hazama e o senador Jayme Campos.

Para o candidato a prefeito Kalil Baracat é importante e fundamental destacar que em todos os setores têm os bons e os maus indivíduos e temos empresários e comerciantes de respeito como Miriam Hazama e milhares de outros empresários e comerciantes.

“Temos muitos comerciantes e empresários de bens que pagam seus impostos assim como os contribuintes que honram com suas obrigações, diferentes de muitos, que pregam honestidade, mas se quer honram com suas obrigações e estão sendo acionados pela Justiça por fraude, por sonegação de impostos. As obras públicas são realizadas com os recursos desses impostos e taxas pagas pelos empresários, comerciantes e cidadãos de bens, que diferentes de alguns detratores só criticam, mas não são cumpridores de suas obrigações”, disse Kalil Baracat.

O vice-prefeito e candidato, José Hazama, lembrou que o apoio de Miriam Hazama é mais do que um simples apoio a uma candidatura e um aceno da irmã, mas também de uma empresária de sucesso, respeitada em Várzea Grande, em Mato Grosso e no Brasil e que vê o conjunto da sociedade e da importância de se continuar o atual trabalho da prefeita Lucimar Sacre de Campos.

“Sou uma pessoa agradecida e engrandecida por estar participando de uma gestão que tem realização, que trabalha todos os dias, a toda hora, por amor a Várzea Grande, a sua gente e que sempre vai morar aqui, sempre vai ter negócios aqui, gerando emprego e renda, gerando oportunidade para todos indistintamente. Aqueles que nos apontam o dedo, não tem o que demonstrar de bom, só querem crescer nas criticas e olhando para o próprio umbigo, diferente das pessoas lideradas pelo senador Jayme Campos e pela prefeita Lucimar Sacre de Campos que trabalham incansavelmente por uma Várzea Grande melhor e mais humana para todos”, disse José Hazama.

O senador Jayme Campos assinalou que Várzea Grande tem empresários de bem, pessoas que assim como ele e a Lucimar querem o bem da cidade e de sua gente.

“Várzea Grande é uma cidade formada por pessoas de bem, mas como em todo lugar e profissão existem os bons e os maus e aqui não seria diferente, mas são pessoas como a Miriam Hazama, que nos estimula a seguir em frente, trabalhando, no unindo as pessoas de bem para que possamos continuar fazendo e transformando nossa cidade. Não me canso de dizer que nasci, sempre morei e vou ficar por toda minha vida nessa grandiosa cidade que me deu tudo que eu tenho de mais valor, minha família e quero vou continuar trabalhando muito por Várzea Grande e sua população e o melhor caminho a seguir é com Kalil e Hazama, dois jovens promissores, trabalhadores e principalmente pessoas de bem, diferente de alguns que estão por ai vendendo dificuldade para colher facilidades”, frisou Jayme Campos.

Miriam Hazama reafirmou seu compromisso com a candidatura Kalil e Hazama, apontando que os mesmos representam a continuidade de um belíssimo trabalho feito até agora por Lucimar Sacre de Campos, uma grande mulher de grandes feitos, que precisam ser continuados.

“Muitos, inclusive alguns que eu conheço bem, vendem soluções, mas isto não passa de ilusão, por isso temos que ter como certo os nomes daqueles que são novos, vão continuar trabalhando e tem compromisso com uma Várzea Grande ainda melhor e mais próspera para todos e não para poucos”, disse Miriam Hazama.

 

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política MT

Sindicatos emitem nota contra Abílio Júnior e classificam ataques à imprensa em Cuiabá como “anti-democrática”

Publicado

O candidato Abílio Júnior, que esta semana, teve desentendimentos com jornalistas

Sindicatos de várias categorias de trabalhadores emitiram na tarde desta quarta-feira (25) uma nota de repúdio contra o vereador e candidato a prefeito de Cuiabá, Abílio Júnior (Podemos), devido ao tratamento que deu à imprensa na reta final de campanha. A postura de Abílio foi classificada como “anti-democrática” e ele foi definido como uma pessoa de “temperamento instável e imaturo emocionalmente”.

A nota destaca as situações em que o candidato teve atrito com profissionais da imprensa nesta semana. Na primeira, durante uma entrevista on line com jornalistas do portal Gazeta Digital. Ao ser questionado se receber o apoio de Roberto França, não iria contra o discurso dele de anticorrupção, Abílio respondeu que “se soubesse que estaria sendo entrevistado por alguém que apoia o outro lado, não teria vindo para a entrevista..”

O outro embate foi na noite de terça-feira (23) após o debate promovido pela Fecomércio, quando Abílio, questionado novamente sobre o apoio recebido no segundo turno e a contratação de novos profissionais para a sua campanha, “sacou” seu celular e começou a fazer uma “live” na “tentativa de intimidar os jornalistas”.

“As centrais sindicais e Sindicatos de Trabalhadores Públicos e Privados repudiam as falas grosseiras, anti-democráticas, difamatórias e criminosas do candidato Abilio Jr, conhecido por seu temperamento instável e imaturo emocionalmente. Respeitar o jornalismo e o jornalista, é dever de todos e, sobretudo, de quem se arvora a ser candidato”.

Veja a nota na íntegra:

As Centrais Sindicais e os Sindicatos abaixo relacionados assinam a presente NOTA DE REPÚDIO contra o candidato Abílio Júnior, e ao mesmo tempo externamos nosso total APOIO E SOLIDARIEDADE para com os jornalistas atacados e difamados pelo referido candidato.

Na semana que antecede o segundo turno das eleições para a prefeitura de Cuiabá, com os candidatos Abílio Jr e Emanuel Pinheiro, o candidato Abílio Jr., em DUAS OCASIÕES de entrevistas, desrespeitou e caluniou os Jornalistas que tentavam entrevistá-lo.

Na primeira ocasião, na em Live do site Gazeta Digital, do Grupo Gazeta, o candidato, ao ser perguntado pelo jornalista Khayo Ribeiro sobre o discurso anti-corrupção e a contradição de ter ao seu lado condenados e acusados por corrupção, como Roberto França e o Governador Mauro, este sem qualquer trava ou ponderação, atacou o jornalista dizendo que: “…se soubesse que estaria sendo entrevistado por alguém que apoia o outro lado, não teria vindo para a entrevista..”. Mesmo jovem, o jornalista demonstrou maturidade de jornalistas experientes e deixou a entrevista seguir, ao que foi novamente constrangido pelo candidato que pedia para ele não votar no seu adversário, pois este seria cúmplice se o fizesse.

Na segunda ocasião, na data de ontem, ao chegar atrasado para o debate na Fecomércio MT, este foi questionado pelo Jornalista Pablo Rodrigo do jornal Gazeta Digital, sobre os apoiadores para o segundo turno do referido candidato. Irritado com a contradição apontada de forma inteligente pelo Jornalista, pois quem prega exaustivamente combate a corrupção se aliar a um condenado pela justiça federal a prisão por corrupção, e a outro que responde a vários processos também por improbidade, não seria o mais coerente da parte do candidato. Neste momento, “sacou” de seu celular e começou a fazer uma “live” na tentativa de IMTIMIDAR o jornalista e constrangê-lo diante do seu secto de seguidores de rede social. Tentou ainda “ensinar” o jornalista a fazer perguntas, dizendo a ele o que deveria perguntar (sic), como se fosse obrigação do jornalismo perguntar somente aquilo que agrada ao entrevistado, ledo engano!. Não parou por aí, alegou SEM PROVAS, o que configura crime de DIFAMAÇÃO, que o Grupo Gazeta haveria se “vendido” para o grupo do outro candidato.

Ainda teve tempo de agredir a moral de outro jornalista, Sr Max Aguiar, e o veículo de comunicação para o qual trabalha (site olhar direto), quando este questionou sobre seus gastos de campanha, já que contratara marqueteiro renomado e, que cobra caro, para o segundo turno. De forma destemperada e sem qualquer controle emocional, respondeu que não seria o site que trabalha o jornalista que estaria pagando, insinuando que o mesmo era “vendido”. Depois das confusões partiu para o debate enquanto a imprensa trabalhava na cobertura.

As centrais sindicais e Sindicatos de Trabalhadores Públicos e Privados REPUDIAM as falas grosseiras, anti-democráticas, difamatórias e criminosas do candidato Abilio Jr, conhecido por seu temperamento instável e imaturo emocionalmente.

Respeitar o jornalismo e o jornalista, é dever de todos e, sobretudo, de quem se arvora a ser candidato. Pois só existe democracia onde há imprensa livre para perguntar e questionar o assunto que for. Cercear perguntas da imprensa é querer domesticá-la e assim, perder-se completamente o pilar que a sustenta, que é a imparcialidade.

Repudiamos ainda o ataque rasteiro ao Grupo Gazeta de Comunicação, que tanto faz pelo jornalismo investigativo de Mato Grosso, bem como o ataque ao site “Olhar Direto”, conhecido pelo seu jornalismo sério, imparcial e antenado com os fatos mais importantes para a sociedade.

Prestamos pela presente NOTA, toda nossa SOLIDARIEDADE E APOIO aos jornalistas covardemente atacados e, nos pomos a disposição com nossos Advogados e estrutura sindical, caso entendam por bem interpelar judicialmente o candidato para que prove o que alegou sobre os jornalistas, vez que isso pode manchar a imagem de jornalistas sério como os que fizeram as entrevistas.

O Jornalista é um trabalhador como qualquer outro, embora com um papel relevante e fundamental para toda sociedade. Não se pode adotar a prática do ídolo do candidato, o mandatário do palácio do planalto, que agride verbalmente jornalistas quando confrontado com perguntas indigestas, mas de interesse público.

O bom jornalismo é pilar da democracia. O jornalista é o mesmo trabalhador que, como todos, vêm sendo massacrados em seus direitos mais básicos, de modo que, permitir o assédio moral de autoridades públicas como os casos em questão, nos obriga enquanto entidades de classe, de grau superior e de base, a nos insurgir e REPUDIAR, para que novos eventos como esses não se repitam.

Cuiabá, 25 de novembro de 2020

 

Entidades que assinam a presente nota:

1-Central dos Sindicatos Brasileiros Seccional MT/CSBMT

2-Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil/CTB

3-Central única dos Trabalhadores/CUT

4-Força Sindical/FS

5-Nova Central Sindical/NSC

6-Federação dos Servidores do Estado de MT/FESSPMT

7-Sindicato dos Profissionais da Área Meio do Poder Executivo/SINPAIGMT

8-Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Cuiabá/SISPUNC

9-Sindicato dos Agentes de Regulação e Fiscalização de Cuiabá/SINDARF

10-Sindicato dos Auditores Fiscais e Inspetores de Tributos de Cuiabá/SINAFIT

11-Sindicato dos Trabalhadores de Combate as Endemias de MT/SINTRACEMT

12-Executiva Regional do Centro Oeste da Federação Nacional dos Farmacêuticos/FENAFAR

13-Sindicato dos Papiloscopistas e Técnicos em Necrópsia de Mato Grosso/SINPP

14-Sindicato dos Trabalhadores no Comércio de Minérios e Derivados de Petróleo do Estado de MT/SINTRADEPEMT

15- Sindicato dos Trabalhadores do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso/SINTTCONTAS

16- Sindicato dos Servidores de Nova Ubiratã/SINSEP

17- Sindicato dos Servidores da Saúde de MT/SISMAMT

18-Sindicato dos Servidores Municipais de Araputanga/SISMARA

19-Sindicato dos Servidores Municipais de Alta Floresta/SINPUMAF

20-Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias extrativas de Minério MT

21-Associação dos Gestores Governamentais do estado de MT

22-Associação dos Servidores da Agência Reguladora de MT/ASSAGER

23- Sindicato Regional dos Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate às Endemias da Região Leste de Mato Grosso – SINDACSE-MT

24-Sindicato dos Trabalhadores em Rádio e TV de MT/SINTERTMT

25- Sindicato dos Trab. Nas Ind. do Vestuário e Textil no Estado de MT. STIVET/MT

26-Sindicato dos Servidores do Desenvolvimento Econômico e Social/SINDESMT

27- Federação dos Trabalhadores nas Indústrias MT/FETIEMT

28-Sindicato dos Servidores Municipais de Tangará da Serra/SSERP

29- Sindicato dos trabalhadores nas indústrias de material plástico e reciclagem de Mato Grosso/STIPLAST

30-Associação dos Auditores do Estado de Mato Grosso/ASSAE

 

 

 

Continue lendo

Política MT

Abílio voltar a falar sobre o “caso paletó” e conclama eleitores para reta final da campanha

Publicado

Abilio e o vice Felipe Wellaton, que subiram o tom contra Emanuel Pinheiro na TV [Foto Assessoria]

Candidato do Podemos a prefeito de Cuiabá, Abílio Júnior, e o seu vice, vereador Felipe Wellaton (Cidadania), vieram com um discurso duro contra o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), candidato à reeleição, no horário eleitoral desta quarta-feira (25). Abílio e Wellaton argumentam que venceram a primeira batalha, e que agora precisam do apoio para vencer a guerra contra a corrupção.

“Estamos lutando para tirar o paletó há três anos”, diz Wellaton. “Nós já batemos uma parte da meta, você já tirou onze paus mandados. Agora falta o chefe do bando, que já virou réu na Justiça Eleitoral”, completa Wellaton.

“Neste domingo, o juiz é você, e vamos tirar o paletó de lá”, conclama o candidato Abílio Júnior. “Vamos mandar embora o governo vergonha nacional”, completa o candidato a vice-prefeito no vídeo exibido no horário eleitoral.

O programa eleitoral de Abílio Júnior mostrou imagens da delação do ex-governador Silval Barbosa, e do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), recebendo maços de dinheiro das mãos do ex-chefe de gabinete de Silval, Sílvio Corrêa. O trecho usado faz parte de reportagem do Jornal Nacional divulgada quando ocorreu o escândalo de propina a deputados de Mato Grosso.

Mostrou também trechos de depoimentos de Sílvio Corrêa na Câmara de Cuiabá, quando interrogado por Abílio e pelo o vereador Marcelo Bussiki (DEM), sobre o caso, afirmando que era propina o valor entregue ao prefeito cuiabano.

 

 

 

 

 

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana