conecte-se conosco


Geral

Governo Federal vai montar força tarefa para conter Covid-19 nas aldeias Xavantes

Publicado

O secretário Robson Santos da Silva, da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), anunciou a possibilidade de implantação de uma “força tarefa” para conter a disseminação do Covid-19 entre os Xavantes. A informação é do senador Wellington Fagundes (PL-MT) que participou, hoje (2) de reunião da Frente Parlamentar Mista em Defesa dos Direitos dos Povos Indígenas. Robson Santos deverá fazer uma visita a Barra do Garças neste sábado.

Segundo o senador, a situação é alarmante. Há informações de que pelo menos 13 indígenas já morreram em consequência do vírus e mais de 200 estariam contaminados. O prefeito de Barra do Garças, Roberto Farias, confirma o alto índice de casos e relata a superlotação do sistema público de saúde.

Na terça-feira, Fagundes se reuniu com a ministra Damares Alves, da Mulher, Família e Direitos Humanos  para pedir apoio à instalação de um Hospital de Campanha em Barra do Garças exclusivamente para atender aos indígenas e desafogar as UTIs do município, que se encontram superlotadas. A questão também foi discutida pelo senador do PL, na semana anterior, com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello.

“Já levamos o problema ao Ministério da Saúde, Funai, Sesai, Casa Civil, Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos e já pedi uma agenda para falar sobre o assunto com o próprio presidente Jair Bolsonaro”, diz o senador Wellington Fagundes. “No sábado, é possível que a ministra Damares também venha até Barra do Garças”, conta.

Na reunião desta quinta-feira, a presidente da Frente Parlamentar, deputada federal Joenia Wapichana (Rede-RR), diz que o número de mortes pode chegar a 30. “O índice de letalidade do Covid entre os Xavantes é de 11,7%. Enquanto o índice nacional é de 4,5%”, relata.

Entre os fatores que facilitam a contaminação estão a baixa imunidade dos indígenas, o alto índice de diabetes e alcoolismo, além de questões culturais, como o hábito de se deslocarem em grupo. No caso dos Xavantes, as aldeias estão muito próximas das cidades, onde vão buscar recursos financeiros e comprar alimentos. Como têm dificuldades no uso da máscara e do distanciamento social, acabam se contaminando e levando o vírus para as aldeias.

Durante a reunião da Frente Parlamentar, lideranças indígenas também relataram casos de Covid-19 em outras etnias como os Umutina e Bororo.

A opinião da maioria é de que seja montada uma força tarefa para conter a disseminação do vírus, que deve incluir a implantação de novas estruturas de saúde (hospitais de campanha), a realização de testes, uma campanha de orientação das formas de prevenção e a instalação de barreiras sanitárias montadas pelo Exército para isolar as aldeias.

“Essa situação foi anunciada. O novo coronavírus pode dizimar todo o povo Xavante. Sabíamos que, se o vírus chegasse às aldeias, seria um problema muito sério”, disse a deputada federal Rosa Neide Sandes (PT-MT).Coordenador da bancada federal de Mato Grosso, o deputado Neri Geller confirmou o esforço de todos para encontrar uma solução para o problema.

“Este é o momento de união de todos. Não é o caso de dividir as atribuições, mas de somar os esforços”, disse o chefe da Casa Civil de MT, Mauro Carvalho, que representou o governador Mauro Mendes na reunião.

Ezequiel Roque do Espírito Santo, secretário-adjunto da Secretaria Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, que representou a ministra Damares na reunião, confirmou a decisão do Governo Federal em montar um plano emergencial para contenção do vírus nas aldeias.

Nesta quinta-feira, o Supremo Tribunal Federal determinou que o presidente Jair Bolsonaro se manifeste, em 48 horas, sobre ação proposta pela Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib) e por vários partidos políticos pedindo a instalação de barreiras sanitárias em terras indígenas.

 

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Unidades do Detran abertas ao público realizam apenas serviços não disponíveis online

Publicado


Os serviços que estão disponíveis no site da Autarquia ou aplicativo MT Cidadão, não serão realizados presencialmente

Os cidadãos que buscarem atendimento nas 43 unidades do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MT) que estão abertas para o público, além da necessidade de fazer o agendamento prévio para ser atendido, também deve conferir se o serviço que deseja está disponível de forma online, no site da Autarquia (www.detran.mt.gov.br) ou pelo aplicativo MT Cidadão.

Isso porque as unidades que estão abertas no Estado estão realizando apenas os serviços exclusivamente presenciais, que não estão disponíveis online. “Essa é uma forma de evitar aglomerações além de reduzir a demanda nas unidades com serviços que podem ser feitos via site ou aplicativo”, reforçou o presidente do Detran-MT, Gustavo Vasconcelos.

Nas 43 cidades que estão com o atendimento ao público em funcionamento, os cidadãos podem realizar os seguintes serviços:

Na área de Veículos: transferência de propriedade, emplacamento, emissão de CRV, segunda via de CRV, mudança de característica de veículo, vistoria, mudança de categoria do veículo, inclusão e baixa de financiamento, substituição, gravação e regravação de motor; gravação e regravação de chassi, comunicação de venda, baixa definitiva, troca de placa para Mercosul, serviços de controle veicular (recebimento e liberação de veículos no pátio), auditoria dos processos e serviços de infrações (recurso de defesa e Jari).

Na área de Habilitação: coleta de imagem, primeira habilitação, mudança e adição de categoria, alteração de dados, registro de estrangeiro, transferência de UF/Ciretran, retirada de CNH, indicação de real condutor, exames teóricos digitais (com agendamento próprio).

Como forma de garantir a segurança dos usuários e servidores, o Detran-MT disponibilizou kit contendo máscara, luva e álcool em gel para todos os servidores, bem como álcool 70% na entrada da unidade para os usuários com atendimento agendado. Também está sendo respeitado o distanciamento mínimo para contato entre usuários e servidores.

Agendamento

Nas unidades que estão em funcionamento, o cidadão será atendido somente por agendamento, para evitar aglomeração. Para isso, deve acessar o site do Detran-MT (www.detran.mt.gov.br) e clicar na mensagem de tela (pop up), que irá direcionar à página de agendamento.

Ao entrar na página, deve preencher o formulário com os seus dados pessoais, escolher qual das 43 unidades deseja ser atendido e agendar a data e o horário para o atendimento presencial.

 

 

Continue lendo

Geral

Municípios da região Médio-Norte recebem 39,3 mil testes rápidos de covid-19

Publicado

Testes foram distribuídos para as 16 prefeituras da região, que passa por Sinop, Sorriso e Lucas do Rio Verde [Foto – Christiano Antonucci]

O Governo de Mato Grosso enviou 39,3 mil testes rápidos de covid-19 para os 16 municípios que compõem a região Médio-Norte do estado, a exemplo de Sinop, Sorriso e Lucas do Rio Verde (veja a lista completa ao final da matéria).

Todos os testes já foram recebidos pelas prefeituras, que devem encaminhá-los para a atenção básica de Saúde. No total, o Estado adquiriu 400 mil testes rápidos, sendo que 300 mil estão sendo distribuídos para os 141 municípios de Mato Grosso.

Os outros 100 mil estão à disposição do Centro de Triagem Covid-19, na Arena Pantanal, e dos hospitais administrados pelo Executivo. Além destes, mais 100 mil testes foram doados por uma empresa.

“Sabemos que há uma dificuldade muito grande dos municípios para a aquisição, e por isso o Estado têm dado mais essa contribuição”, afirmou o governador Mauro Mendes.

O governador ressaltou que a testagem auxilia as pessoas com sintomas leves a iniciarem o tratamento de forma precoce. A base de cálculo usada para a distribuição é de 8,5% da população de cada município.

“Com o teste rápido disponível já na UPA, na policlínica ou no PSF, o paciente que estiver contaminado já consegue descobrir a doença no início e partir para o tratamento precoce. Isso evita que a situação se agrave e ele venha a precisar de uma UTI. É uma ferramenta que ajuda a salvar vidas”, destacou.

Para o secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo, a iniciativa é uma forma do Governo de Mato Grosso incentivar a testagem e reforçar a atuação da atenção primária à Saúde, “que é uma responsabilidade dos municípios”.

“Além de fornecer testes, o Estado também atua fortemente no Centro de Triagem da Covid-19, que amplia consideravelmente o número de diagnósticos realizados da Baixada Cuiabana e facilita o acesso ao tratamento precoce”, pontuou Figueiredo.

Os testes adquiridos pelo Governo custaram até 11 vezes mais baratos que os adquiridos em outros estados. Enquanto os preços praticados nos demais estados variaram entre R$ 55 a R$ 199 por cada teste, o Governo de Mato Grosso conseguiu adquirir diretamente de uma fabricante chinesa por U$S 3 dólares, ou seja, R$ 17,83, considerando frete e o valor do dólar pago nas aquisições.

Santa Rita do Trivelato; São José do Rio Claro; Sinop; Sorriso; Tapurah; União do Sul; Vera.

Confira a quantidade distribuída para cada um dos 16 municípios da região médio-norte:

MUNICÍPIO TESTES DISTRIBUÍDOS
CLÁUDIA 1.025
FELIZ NATAL 1.200
IPIRANGA DO NORTE 650
ITANHANGÁ 575
LUCAS DO RIO VERDE 5.575
NOVA MARINGÁ 725
NOVA MUTUM 3.850
NOVA UBIRATÃ 1.025
SANTA CARMEM 375
SANTA RITA DO TRIVELATO 300
SÃO JOSÉ DO RIO CLARO 1.750
SINOP 12.150
SORRISO 7.675
TAPURAH 1.175
UNIÃO DO SUL 300
VERA 950
TOTAL 39.300

 

 

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana