conecte-se conosco


Mato Grosso

Governo distribui 361 mil kits de alimentação escolar às famílias de estudantes da rede estadual

Publicado

 

.

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) segue entregando kits de alimentação escolar aos alunos matriculados na rede estadual de ensino. Desde o mês de maio, quando começaram as entregas nas escolas, 361,3 mil kits, que contêm itens da cesta básica, frutas, leite, biscoitos, frango congelado, entre outros, são distribuídos às famílias.

Em junho ocorre a segunda etapa de distribuição dos alimentos para os estudantes que necessitam da merenda escolar nesse período em que não são ofertadas as aulas presenciais. Ao todo, são distribuídos 300 mil kits, sendo um para cada família dos estudantes, com investimentos na ordem de R$ 13,5 milhões em recursos federais e estaduais.

A distribuição dos kits é feita diretamente pelas escolas, conforme orientativo encaminhado pela Seduc. As unidades de ensino organizam o cronograma de distribuição observando os protocolos da Organização Mundial de Saúde (OMS), ou seja, respeitando as medidas de segurança epidemiológica e sem causar aglomeração de pais nas unidades.

O pagamento dos kits com os alimentos é feito com os recursos do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), conforme Artigo 2º da Resolução nº 02 de 2020 do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Pelo menos 30% do recurso é destinado para a aquisição de produtos da agricultura familiar.

Na Escola Estadual Alcebíades Calhao, localizada no bairro Quilombo, foram entregues 205 kits nesta segunda etapa. A escola se organizou, fazendo o agendamento com os pais para evitar aglomeração, e a entrega foi realizada em dois dias.

O diretor da escola, Thiago Baldrigh, explica que a comunicação para avisar aos pais sobre a entrega dos kits foi feita via whatsapp. “Aqui na escola nós temos 21 grupos de whatsapp, que foram divididos por turmas e todos os pais estão adicionados nesses grupos. Dos 600 alunos que atendemos, 205 famílias se manifestaram solicitando a cesta com os alimentos”.

Para o diretor, possibilitar a entrega dos kits às famílias dos alunos foi muito importante e gratificante. “Os sorrisos e os agradecimentos que recebemos mostraram que, nesta época de pandemia, contribuir é o melhor que podemos fazer”, ressaltou o diretor.

Na Escola Professora Paciana Torres de Santana, localizada no bairro Residencial Coxipó, em Cuiabá, foram entregues 520 kits. Segundo o diretor da escola, Emanuel Frank de Oliveira, um carro de som percorreu todo o bairro avisando a comunidade da entrega dos kits.

“Sem dúvida nenhuma a entrega desses kits foi a melhor coisa que o governo fez nesse momento para a comunidade escolar, pois ajudou muito. A nossa comunidade é muito carente e já estava passando necessidades”, observou o diretor.

Para os estudantes que moram na zona rural ou em comunidades indígenas, locais de difícil acesso, a Seduc está entregando os kits in loco.

A equipe da superintendência de Políticas de Diversidades Educacionais (Sude) da Seduc não mede esforços para atender todos os 12 mil alunos matriculados nas 71 escolas indígenas, que atendem todas as 43 etnias que vivem no Estado.

“Quase sempre, é preciso percorrer quilômetros de estrada de chão e de barco para chegar até as localidades onde ficam os alunos. É um esforço que vale a pena para não deixar nenhum aluno sem o kit”, destaca a superintendente da Sude, Lucia Santos.

É o caso da etnia Guató, localizada na região do Pantanal.  A Seduc leva os kits até Porto Jofre, em Poconé (a 100 quilômetros de Cuiabá), percorrendo 275 quilômetros de carro, sendo 150 quilômetros de estrada de chão, e depois mais 60 quilômetros de barco. “Um caminho percorrido por asfalto, terra e água até chegar à casa dos alunos”, completa a superintendente.

Primeira Etapa

Na primeira etapa de entrega dos kits, que foi realizada no mês de maio, o Governo do Estado entregou 55,7 mil kits de alimentação escolar a estudantes da rede pública estadual de ensino. Para tanto, foram investidos R$ 2,7 milhões, recurso estadual que foi disponibilizado exclusivamente para a aquisição dos kits.

Além do recurso estadual, também foram investidos mais R$ 537 mil de recurso do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), que já estavam disponíveis nas contas do Conselhos Deliberativos da Comunidade Escolar (CDCE), totalizando a entrega de 61.358 kits.

Fonte: GOV MT

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mato Grosso

Emanuele de Almeida é nomeada e assume a Presidência do Indea-MT

Publicado


A servidora Emanuele Gonçalina de Almeida (39 anos) foi nomeada presidente do Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (INDEA MT). A nomeação foi publicada em edição extra do Diário Oficial desta quarta-feira (20.01).

Ela é advogada, concursada e trabalha há sete anos no órgão de defesa, exercendo anteriormente o cargo de diretora administrativa.

A nova presidente tem como objetivo dar continuidade ao trabalho iniciado no Indea na gestão do governador Mauro Mendes, valorizar o servidor do Instituto e trabalhar de forma democrática com a área técnica.

Emanuele também pretende seguir coma implantação das ações administrativas, focando na desburocratização e descentralização do órgão, dando mais agilidade às demandas dos produtores rurais mato-grossenses.

Fonte: GOV MT

Continue lendo

Mato Grosso

Homicídio ocorrido no dia de Natal, em Cuiabá, é esclarecido e autora presa

Publicado


A Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa de Cuiabá (DHPP) esclareceu o homicídio de José Carlos Ribeiro, 50 anos, ocorrido no dia 25 dezembro, no bairro Altos da Glória, na capital. A pessoa investigada como autora do crime, de 30 anos, foi presa na segunda-feira (18) pela Polícia Militar, no Residencial José Carlos Guimarães, em Várzea Grande, em cumprimento a um mandado de prisão preventiva expedido pela Comarca da Capital.

A vítima foi encontrada morta na cama, em sua residência, e o corpo apresentava lesões causadas por instrumentos contundente e cortante. Um pedaço de madeira, com um prego na ponta, foi encontrado no local.

Com o início das investigações abertas pela DHPP, a equipe coordenada pelo delegado Caio Fernando Albuquerque coletou informações de que no dia do crime uma pessoa monitorada por tornozeleira eletrônica esteve na residência da vítima.

Após ser identificada, a investigada foi ouvida em depoimento na DHPP e declarou como cometeu o crime. Segunda ela, três meses antes do fato, quando ainda não tinha relacionamento íntimo com José Carlos, estava tomando cerveja com a vítima junto com a sobrinha dela, de 14 anos. Logo após, saiu da casa para comprar e fazer uso de entorpecentes, quando momento depois sua sobrinha a procurou chorando e dizendo que a José Carlos havia tentado violentá-la sexualmente.

A investigada retornou então à casa da vítima para tomar satisfação do ocorrido, mas o homem negou o ato de violência, embora a adolescente tenha confirmado o abuso. Após isso, ainda segundo depoimento da investigada, ela decidiu que mataria a vítima e pediu que a adolescente não comentasse a ninguém o ocorrido e que resolveria a situação.

Conforme narrado no depoimento, vendo que a vítima tentava uma aproximação, a investigada começou a ter encontros amorosos com José Carlos e afirmou ao delegado que passou a fazer isso para aproveitar a oportunidade e vingar o que ocorreu com sua sobrinha. Em um dos encontros, após se relacionarem, ela golpeou a vítima com o pedaço de madeira e com uma faca.

“Os elementos de prova colhidos durante as diligências comprovam que não houve homicídio privilegiado – quando a vítima provoca o cometimento do crime pouco antes de sua prática. Mas sim, que o crime foi motivado por vingança, configurando a qualificadora de torpeza na medida em que, premeditadamente, o autor planejou a ação homicida cerca de três meses depois do referido comportamento da vítima. Além disso, ficou configurada a qualificadora de impossibilidade de defesa pois, ao que tudo indica, ao contrário da versão da investigada, a vítima dormia quando foi golpeada”, explicou o delegado Caio Albuquerque.

Com base nos elementos coletados na investigação, o delegado representou à Justiça pela prisão preventiva da investigada. O inquérito segue para conclusão e ela será indiciada por homicídio qualificado.

Fonte: GOV MT

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana