conecte-se conosco


Mato Grosso

Governo altera data de inauguração do Plantão 24 horas da Mulher

Publicado


.

A inauguração do Plantão de Atendimento à Vítimas de Violência Doméstica e Sexual, que seria nesta sexta-feira (07.08), será remarcada. A nova data deverá ser anunciada nos próximos dias.

Toda a obra foi conduzida pela primeira-dama Virginia Mendes. Ela foi a responsável pela arrecadação de doações e recursos financeiros junto à sociedade, para a reforma da unidade. E também encampou a luta pela indicação de delegadas para compor o quadro de atendimento às vítimas de violência doméstica.

O plantão de atendimento às vítimas funcionará ao lado da 2ª Delegacia da Capital, 24 horas, ininterruptamente, na avenida Dante Martins de Oliveira, no bairro Planalto.

Fonte: GOV MT

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mato Grosso

Combate e controle dos focos de incêndios estão concentrados na Região Sul do Pantanal

Publicado


Dando continuidade as ações de combate aos incêndios florestais em Mato Grosso, o Governo de Estado concentra a atuação na região Sul do Pantanal, já que as demais foram consideradas sob controle, conforme último levantamento Centro Integrado Multiagências (Ciman-MT), apresentado durante reunião nesta terça-feira (29.09) com as instituições e secretarias que integram o grupo.

Esta é a terceira reunião ordinária, cujo objetivo é apresentar um panorama da situação de combate aos incêndios florestais, assim como o andamento da operação Pantanal II, iniciada há 54 dias. As informações são baseadas no monitoramento feito pelo satélite AQUA-M-T, provido pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

A região tem difícil acesso terrestre por estar em mata fechada e o deslocamento das equipes é feito com uso de aeronave. Representam estes pontos a Serra das Araras, Serra de Santa Bárbara, Parque Nacional do Pantanal, Estação Ecológica Taiamã, Parque Estadual Encontro das Águas e Meandros do Araguaia.

“O Governo do Estado busca congregar essas ações para que tenhamos mais efetividade nas ações. No mês de setembro, reforçamos as equipes em campo com o apoio da Força Nacional, recursos do Governo Federal e efetivo do Corpo de Bombeiros. Hoje as equipes estão mais voltadas para à região sul, onde o fogo evoluiu nos últimos 10 dias em área de acesso mais restrito. Nos outros biomas e demais regiões do Estado os trabalhos seguem com menor intensidade”, explicou o coordenador adjunto do Ciman, tenente coronel Gledson Bezerra.

Segundo o coordenador ainda não há previsão para que o trabalho termine no Pantanal, pois a expectativa para a precipitação de chuvas é somente para o mês de novembro. 
“Neste período a concentração do Ciman é coordenar recursos para as frentes de incêndio, e apesar de haver um controle na região norte, ainda temos muita preocupação na região sul”, concluiu.

Cerca de 20 dos 43 militares enviados pela Força Nacional estão atuando na área protegida RPPN Estância Dorochê. Há ainda um grupo designado para auxiliar no combate aos focos entre o Pantanal mato-grossense e o Pantanal em sul mato-grossense.

O trabalho em conjunto envolve o combate direto ao fogo, monitoramento, perícia, efetivo de bombeiros, brigadistas, e outro profissionais, aporte para uso e aquisição de equipamentos veículos, aeronaves e resgate de animais silvestres na Transpantaneira. O Sesc Pantanal é um dos parceiros nesta atuação e vem auxiliando no suporte das equipes de combate e também em pesquisas que envolvem o número de espécies de anfíbios, répteis, aves e mamíferos no Pantanal e Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN).

“Umas das preocupações com avanço em áreas extensas do Pantanal é a gente documentar essa ocorrência e compreender esta dinâmica dos incêndios – seus impactos na fauna, na flora, nas populações pantaneiras e paisagem como um todo. Há mais de 20 anos o Sesc vem desenvolvendo pesquisas e iniciamos no mês passado o levantamento sobre os impactos do fogo, em parceria com várias instituições de ensino e pesquisa”, destacou Cristina Cuiabália, gerente de pesquisas do Sesc. 

Poconé é um dos principais municípios monitorados e onde há equipes distribuídas para conter os focos de calor em áreas de preservação e conservação do Pantanal. Além dele, o Estado também acompanha atualmente 1.905 mil focos existentes nos municípios de Cáceres, Colniza, Cocalinho, Barão de Melgaço, Aripuanã, Cotriguaçu, Santa Terezinha e Peixoto de Azevedo.

Estiveram representadas na reunião o Exército Brasileiro,Sema, Sesp, Defesa Civil de Mato Grosso, Polícia Militar Ambiental, Politec, ICMBIO, Delegacia Especializada de Meio Ambiente (DEMA), Funai, Sesc Pantanal e Agência Brasileira de Inteligência (ABIN).

Fonte: GOV MT

Continue lendo

Mato Grosso

Empaer lança primeira versão de aplicativo dedicado ao produtor rural

Publicado


Nesta quinta-feira (01.10), será lançada a primeira versão do aplicativo que está sendo desenvolvido pela Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer).

O técnico em Administração Sistêmica da Empaer, Eder Antônio da Silva, explica que ao todo serão seis etapas de desenvolvimento, e essa primeira versão será de uso exclusivo interno para coletar dados dos produtores rurais. O objetivo do aplicativo é levar tecnologia ao campo e tornar o contato com o técnico da Empaer mais fácil e rápido.

Conforme Eder, a ferramenta estará interligada com o Sistema de Acompanhamento e Gerenciamento das Atividades da Empaer, o Sagae, que já é utilizado via web pelos técnicos da empresa para cadastrar as informações dos serviços prestados ao público alvo, além de avaliar o ganho social dos produtores rurais e o trabalho executado pelos técnicos. Ele explica que o Sagae foi desenvolvido no ano de 2019 e, ao todo, já foram cadastrados 35 mil produtores em 128 municípios do Estado.

A primeira versão do aplicativo, integrará também a versão mobile do Sagae. Ou seja, além de realizar atendimentos ao público externo pelo aplicativo, o técnico também poderá acessar e alimentar o Sagae usando essa mesma ferramenta.

As informações de atendimento geradas pelo aplicativo serão armazenadas de forma automática no banco de dados do Sagae na plataforma web. Eder destaca que o aplicativo está sendo criado em parceria com a Empresa Mato-Grossense de Tecnologia da Informação (MTI), responsável por desenvolver a versão que será utilizada pelos produtores rurais e sociedade em geral para solicitar atendimento, e que estará disponível na plataforma MT Cidadão, do Governo do Estado. Esta será a segunda etapa do aplicativo, com expectativa de ser lançada no mês de novembro.

Eder explica que com a primeira versão, o técnico, o extensionista e o pesquisador já poderão armazenar dados dos produtores atendidos e analisar os resultados da assistência técnica quanto à melhoria produtiva e rentabilidade, adequação ambiental e infraestrutura produtiva das propriedades rurais, além de registrar informações de eventos promovidos para capacitação e fomento junto ao produtor rural.

Com a inserção de informações pelos técnicos, o Governo do Estado terá um banco de dados de todas as cadeias produtivas. Eder fala que a plataforma também contará com indicadores e cita como exemplo a cadeia da bovinocultura de leite. Os trabalhos apresentados vão mostrar a evolução do rebanho no Estado, os métodos de trabalho, a produção por município, o tipo de pastagem e outras informações relevantes para compreensão e acompanhamento da cadeia como um todo.

Para agilizar o lançamento do aplicativo, foram contratados três analistas de desenvolvimento com recursos do Programa REDD+ For Early Movers (REM). Eder explica que, com todas as etapas do aplicativo finalizadas, o produtor poderá acessar o histórico de solicitações e todos os dados relacionados a sua propriedade, acompanhando inclusive a evolução da produção, com indicadores importados do Sagae. “Essa ferramenta vai facilitar o acesso do agricultor aos serviços oferecidos pela Empaer”, salienta.  

Segundo Silva, com o aplicativo o produtor poderá tirar dúvidas sobre assuntos diversos, como crédito rural e administração da propriedade, obter informações técnicas sobre culturas e criações e solicitar visitas para atendimento in loco na propriedade rural. Além dos produtores, os moradores urbanos, feirantes, diretores de escolas, ou qualquer outra pessoa que tenha alguma dúvida relacionada ao trabalho rural também poderá entrar em contato para obter orientação. Tudo isso diretamente pelo celular

 

Fonte: GOV MT

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana