conecte-se conosco


Nacional

Governador de SC diz que usou até ‘remedinho de piolho’ contra Covid-19

Publicado


source
Governador de Santa Catarina, Carlos Moisés, disse que tomou remédios sem eficácia comprovada para se tratar da Covid-19
Agência Brasil

Governador de Santa Catarina, Carlos Moisés, disse que tomou remédios sem eficácia comprovada para se tratar da Covid-19

Carlos Moisés (PSL-SC), governador de Santa Catarina, disse que usou diversos medicamentos sem eficácia comprovada para se recuperar da infecção pelo novo coronavírus (Sars-Cov-2) . Segundo ele, mais de duas semanas após o diagnóstico, ainda não se sente 100% recuperado da doença.

“Sim, utilizei até os remedinhos para piolho, como diz um amigo (risos)”, disse o governador em entrevista ao portal NSC Total , quando perguntado se usou a hidroxicloroquina, remédio defendido pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Ao falar do “remedinho para piolho”, Moisés se referia à  ivermectina .

“A ivermectina, que já usei muito em animais, tanto na forma injetável quanto comprimidos. É usada para pessoas também. É um vermífugo, mas teria (diz com ênfase) um efeito antiviral. Da mesma forma a hidroxicloroquina , que usei por quatro dias, teria (com ênfase) um efeito antiviral em relação ao coronavírus. Assim como sulfato de zinco, que também teria (com ênfase) um efeito antiviral. Esses três, combinados com a azimotricina”, afirmou Moisés.

O governador defendeu o uso dos três remédios e informou que o ‘pacote’ está disponível na rede pública de saúde. Segundo ele, uso do ‘combo’ deve ser combinado entre o médico e o paciente.

“Em comum acordo com seu profissional, que pergunte se você quer usar ou o paciente demonstre interesse no uso, é importante que o médico dialogue, porque alguns pacientes não podem usar todos esses medicamentos”, disse.

“Os medicamentos já existem e estão aprovados para uso da população, não para a finalidade que se apregoa (covid-19). Mas não significa dizer que o estado não permite o uso e nem disponibiliza. É permitido o uso, desde que haja diálogo com seu médico. Eu não posso impor essa prescrição, é entre paciente e médico”, continuou  Moisés .

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nacional

Três PMs morrem em abordagem a falso policial civil em São Paulo

Publicado


source
pm
Reprodução

3 PMs foram mortos na ação nesta madrugada

Três policiais militares (PMs) morreram após serem atingidos por tiros disparados por um homem que fingiu ser um policial civil na madrugada deste sábado (8) em São Paulo. O suspeito também foi atingido e morreu.

Segundo relatos, um grupo com três homens abordou uma moto de maneira suspeita na Avenida Politécnica, no Butantã, Zona Oeste de São Paulo. Os PMs, que estavam passando pelo local, viram a cena e foram conferir a situação. Um dos três suspeitos, identificado como Cauê Doretto de Assis, de 24 anos, afirmou ser policial civil.

Os PMs então pediram a arma e um documento de identificação e, quando foram verificar a veracidade da informação, o suspeito Cauê sacou outra arma que estava escondida e começou a atirar.

Ele baleou um PM na cabeça, baleou o segundo e correu atirando para fugir. O terceiro PM que também foi atingido enquanto Cauê corria, consegui revidar e também o acertou. Tanto o PM atingido quanto Cauê foram socorridos e levados para o hospital, mas não resistiram aos ferimentos.

O acompanhante de Cauê que também estava no carro e único sobrevivente do tiroteio, Vitor Mendonça, foi levado para a delegacia para prestar depoimento.

Vitor disse que não se lembra porque eles abordaram a moto. Eles saíram de uma balada na madrugada e ingeriram bebiba alcoólica, o que pode explicar as ações inconsequentes. Sobre o amigo Cauê, que atirou nos PMs, ele afirmou: “Ele (Cauê) surtou, eu não entendi nada do que aconteceu, juro por Deus”.

A Polícia Militar divulgou uma nota de pesar, lamentando a morte dos três policiais militares.

Continue lendo

Nacional

Bispo Dom Pedro Casaldáliga morre aos 92 anos no interior de SP

Publicado


source
Pedro Casaldáliga
Reprodução

Pedro Casaldáliga morreu em Batatais, no interior de SP

O bispo emérito de São Félix do Araguaia, em Mato Grosso, Pedro Casaldáliga, conhecido pela luta a favor dos direitos humanos, morreu neste sábado (8), aos 92 anos, na cidade de Batatais, onde estava internado, em São Paulo. A informação foi divulgada pela Congregação dos Missionários Filhos do Imaculado Coração de Maria. A causa da morte não foi divulgada.

“D. Pedro Casaldáliga voltou para a Casa do Pai”, diz a nota divulgada em conjunto pela Prelazia de São Félix do Araguaia (Mato Grosso, Brasil), a Congregação dos Missionários Filhos do Imaculado Coração de Maria (Claretianos) e a Ordem de Santo Agostinho (Agostinianos), que informou ainda que o bispo estava na cidade de Batatais.

Dom Pedro Casaldáliga foi um bispo católico espanhol, radicado no Brasil desde 1968. Ao chegar no Araguaia, em 1968, o religioso realizou um trabalho na defesa da população desfavorecida, na luta pela posse da terra, contra o regime militar e, até mesmo, o Vaticano.

O velório ocorrerá em Batatais, neste sábado a partir das 15h, na capela do Claretiano – Centro Universitário de Batatais, unidade educativa dirigida pelos Missionários Claretianos. A missa de exéquias será celebrada, também em Batatais, neste domingo (9) às 15h.

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana