conecte-se conosco


Mulher

Gorda de top, sim! Jovem costura fecho de sutiã em bandana para seguir tendência

Publicado

source

Uma das últimas tendências que ainda está bombando no mundo da moda é usar bandana  como top ou cropped . A ideia é amarrar o tecido em torno do busto e das costas, dando aquele nó para prendê-lo a corpo. A questão, porém, é que esses lenços no geral possuem um tamanho único e os corpos das mulheres não — afinal, há uma diversidade de biotipos por aí.

top de bandana arrow-options
Reprodução/Twitter/@unidunite_c

Eduarda viralizou no Twitter após mostrar tutorial do top inclusivo, feito com uma bandana e o fecho de um sutiã velho

Para tornar essa moda mais inclusiva, Eduarda Crespo, de 18 anos, resolveu inovar: ela colocou um fecho de sutiã velho na parte de trás da bandana  como um “expansor”. “Ok Twitter, eu fiz um negócio: Sabe aquela coisa que meninas magras fazem, de amarrar uma bandana no corpo e usar de blusa? Eu queria MUITO um daqueles, mas eu sou GORDA. Então eu cortei um sutiã velho e FIZ UMA PRA MIM”, escreveu no Twitter. 

Em entrevista ao Delas , a estudante de artes visuais, que mora em Campo Grande, Mato Grosso do Sul, contou que a ideia surgiu quando estava limpando o guarda-roupa viu um sutiã velho entre as roupas. Como não conseguia amarrar o lenço no corpo, mas sempre sentiu a vontade de seguir essa tendência  , viu ali uma oportunidade. 

“Sempre fui gorda  e sempre gostei de me vestir bem, mas como o mercado da moda não é muito inclusivo com o meu tipo de corpo, acabei aprendendo a dar um jeito pra conseguir usar as coisas que eu queria. A primeira tentativa ficou toda tortinha, mas funcionou”, disse.

Leia também: Blogueira plus size recria looks de celebridades para mostrar moda inclusiva

Como criar o seu próprio top usando uma bandana?

A postagem recebeu 25,1 mil curtidas na rede social e foi compartilhada mais de 2 mil vezes. Por causa desse sucesso, Eduarda  ainda completou a ideia com um tutorial em cinco passos que reproduzimos abaixo. Primeiro de tudo: o que você vai precisar de: 

  • Uma bandana, claro
  • Um sutiã velho
  • Linha e agulha
  • Uma tesoura

O primeiro passo é dobrar o tecido no meio, medir no seu corpo, cortar o fecho do sutiã (maior do que você acha que vai precisar) e medir mais uma vez. Depois, vai ajustando até ficar de um tamanho confortável e que dê para amarrar.

As próximas etapas é posicionar o fecho em um dos lados, prestando atenção nas medidas para conseguir prender e costurar. Faça o mesmo com o outro lado e pronto! 

Para as meninas que têm seios maiores, a estudante recomenda colocar alças usando um cordão. A diferença, nesse caso, é que a ponta do lenço vai ficar presa no seu pescoço ao invés de solta na barriga. Por isso, é preciso passar um ponto no tecido para prender as pontas e, por último, passar o fio nessa costura. 


Leia também: Plus size: a importância de ter mulheres gordas em mercados padronizados

Por uma moda mais inclusiva

Para Eduarda, ser gorda não significa estar fora de moda e foi pensando nessa questão inclusiva que ela compartilhou o tutorial com o top de bandana

“A moda tem se tornado mais acessível e as linhas plus size vem aumentando bastante, mas ainda são peças muito caras. Pra mim, essa falta de um mercado barato de roupas para corpos gordos é mais um jeito de fazer a pessoa gorda sentir vergonha e repulsa do próprio corpo.”

“É muito difícil resistir a onda de moda magra, bater o pé e dizer ‘eu também tenho o direito de me vestir bem!’, principalmente quando a gente olha pra mídia e não se vê em lugar nenhum, mas é preciso manter em mente que ser gordo não é um problema, e que ninguém pode te dizer o que você pode ou não usar”, finaliza. 

Fonte: IG Delas
publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Mulher

“Sugar baby” tem cinco “daddies” e recebe R$ 1,7 mil por encontro

Publicado

source

Gracie Adams, de 19 anos, está no primeiro ano da faculdade de psicologia na Universidade de Lincoln, Irlanda. Para estudar, porém, ela precisou encontrar formas de pagar os gastos de uma universidade (e da vida social universitária). Então, recorreu à uma solução: se tornar “sugar baby”. A questão é que ela não tem apenas um, mas cinco “daddies” – além de um namorado que aprova as relações. 

Leia também: Mulher deixa marido após traição e agora tem 9 “sugar daddies”

Gracie Adams arrow-options
Reprodução/Facebook

A ‘sugar baby’ Gracie Adams ganha cerca de R$ 1,7 mil por encontro com um ‘sugar daddy’

Ao The Sun , Gracie conta que procurar um “sugar daddy” era a única forma que ela tinha de “se manter financeiramente”. Então, ela se inscreveu em um site para ser ” sugar baby ” e encontrou cinco homens que pagassem por presentes caros, encontros e, também, pelo financiamento estudantil de 30 mil libras esterlinas (cerca de R$ 170,8 mil), aluguel e roupas.

Um encontro para jantar com um dos “daddies” custa, no mínimo, 100 libras esterlinas (R$ 569). Além disso, os homens geralmente pedem que ela use uma roupa comprada por eles – que custam pelo menos R$ 500 – e deixam uma “gorjeta” pós encontro de cerca de 150 libras esterlinas (R$ 853). 

No total, Gracie consegue ganhar mais de 300 libras esterlinas (R$ 1707) por encontro, o que inclui presentes, roupas e sapatos. “O melhor encontro que já tive foi no verão em que nós jantamos em um bar rooftop e assistimos ao por do sol”, lembra. 

“Foi uma experiência linda e depois da refeição nós tomamos alguns drinks e nos conhecemos melhor. No fim ele se certificou de que eu tinha chegado em casa segura e me enviou 150 libras esterlinas.” 

Leia também: Estudante é casada com homem 25 anos mais velho: “Melhor sexo da minha vida”

De estudante universitária à “sugar baby”

Segundo ela, um encontro por mês já paga suas contas. “Quando me inscrevi no site tinha quase 18 anos e não pensava seriamente em me tornar uma ‘sugar baby’. Mas quando eu estava me mudando para a universidade, soube que outras estudantes tiveram experiências positivas fazendo isso.” 

“Isso me ajudou a lidar com a vida universitária, manter minhas contas em dia e ter um carro. Também fiquei mais confiante em conversar com homens online e saber o que estou procurando, porque você consegue perceber quando eles estão mentindo sobre quem eles são, algo que me preocupa”, diz. 

Apesar disso, Gracie conseguiu mais do que apenas um ” sugar daddy “. Dos cinco homens que ela se relaciona, apenas três são “regulares” desde que ela os conheceu. A jovem insiste que todos esses relacionamentos são platônicos, já que ela tem um namorado – que está a par desses acontecimentos. 

“Perguntei ao meu namorado se ele estaria bem se eu começasse a levar isso [ser ‘ sugar baby ‘] mais a sério. Ele queria saber o que eu faria com os ‘daddies’ em termos de encontros, mensagens, etc. Disse que meu interesse era platônico e ele entendeu que eu precisava de dinheiro”, comenta.

Leia também: Mulher viaja mais de 800 km para perder virgindade com casal

A família dela também está ciente da realidade da jovem. “Eu e minha família temos uma relação muito aberta e amorosa, então contei ara eles como estava me mantendo financeiramente enquanto estava na universidade sem me preocupar com julgamentos”, finaliza. 

Fonte: IG Delas
Continue lendo

Mulher

Lembra delas? Elas fizeram fama como bebês cabeludas e ainda bombam no Instagram

Publicado

source

Bebês já são muito fofos normalmente, mas imagine agora um bebê que nasceu com muito cabelo e com as madeixas “bufantes”? Sim, é de roubar a atenção de qualquer um! Essas crianças cheias de cabelo fazem muito sucesso mundo a fora e, também, entre os leitores do Delas .

Leia também: Bebê faz cara de brava ao nascer e vira até meme; veja foto

Baby Chanco e Primrose arrow-options
Reprodução/Instagram/babychanco/primrose_autumn

Baby Chanco e Primrose viralizaram em 2018 por causa de seus cabelos e o Delas resolveu mostrar como elas estão hoje

Foi pensando nisso que pensamos em pesquisar como estão os  bebês cabeludos que viralizaram por aqui – e se, com o tempo, eles ganharam ainda mais fios. Na busca, encontramos duas meninas que bombaram no Instagram em 2018: Baby Chanco e  Primrose Autumn. Elas têm 400 mil e 17,4 mil seguidores, respectivamente, e mantêm “diários de cabelo ” nas redes sociais. 

baby Chanco arrow-options
Reprodução/Instagram/babychanco

Baby Chanco já nasceu com a cabeça lotada de cabelos e viralizou nas redes aos seis meses de idade

Baby Chanco  ficou conhecida por suas madeixas “bufantes” aos seis meses de vida e, na época, já tinha 40 mil seguidores no Instagram. Ela nasceu em 2017, no Japão, já com a cabeça totalmente recoberta de cabelo e a mãe sempre aproveitou esse fato enfeitar a menina com laços, fitas e, agora que os fios estão ainda maiores, penteados. 

Primrose arrow-options
Reprodução/Instagram/primrose_autumn

Primrose Autumn viralizou aos oito meses de idade e, desde então, faz sucesso nas redes socais e como modelo

Também nascida em 2017, a britânica  Primrose é outra estrela mirim das redes sociais que chamou atenção pelos cabelos. Aos oito meses de idade ela já tinha 15 centímetros de cabelo, de acordo com informações do The Sun . Comparada à personagem Agnes, do filme “Meu Malvado Favorito”, a bebê é modelo e está sempre com uma tiara nos cabelos – o que chama ainda mais atenção. 

Analisando o “antes e depois” das bebês, é possível ver que as duas continuam bastante cabeludas e fazendo sucesso entre os internautas. 

Leia também: Bebê é comparado a Homer Simpson após mamar e diverte a web; veja fotos

É normal bebês nascerem com tanto cabelo?

Nascer cabeludo não é algo exatamente raro. Devido às flutuações hormonais que acontecem dentro do útero, é normal que isso provoque mudanças no bebê, por exemplo, fazer crescer cabelo. Porém, uma vez fora do útero, quando eles deixam de ser expostos a hormônios, a tendência é que o cabelo pare de crescer. Aparentemente não foi isso que aconteceu com essas bebês cabeludas, não é?

Fonte: IG Delas
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana