conecte-se conosco


Tecnologia

Google negocia remuneração para sites de notícias por uso de seu conteúdo

Publicado

Olhar Digital

O Google está em contato com jornais e agências para regulamentar o pagamento de uma taxa de licenciamento pelo conteúdo de notícias em sua plataforma. A informação vem do Wall Street Journal , que conversou com pessoas do setor, que confirmaram que as negociações estão avançadas.

PlayStation 5 e Xbox Series X vão rodar quase todos os games antigos

A maioria das conversas está acontecendo fora dos Estados Unidos , especialmente na França e em outros países da Europa . A decisão segue uma resolução do Facebook , que também passará a remunerar editores por conteúdo.

“Queremos ajudar as pessoas a encontrar jornalismo de qualidade e apoiar uma indústria de notícias sustentável. Estamos profundamente preocupados com isso e estamos conversando com parceiros e procurando maneiras de expandir nosso trabalho contínuo com editores, aproveitando programas como a Google News Initiative ”, disse ao WSJ, Richard Gingras , vice-presidente de notícias do Google.

Google arrow-options
Unsplash

Google


O Google direciona uma enorme quantidade de tráfego para sites de notícias, mas nunca pagou aos editores por seu conteúdo – embora fique com toda verba publicitária gerada por esse conteúdo em seus sites.

Até amanhã: TikTok dá créditos de celular para quem convidar amigos

No ano passado, o Facebook lançou o Facebook News, uma aba no aplicativo da empresa que é inteiramente dedicada a notícias. A iniciativa envolveu acordos com parceiros como The New York Times , The Journal , The Washington Post , BuzzFeed e Business Insider , que publicarão parte de seu conteúdo na rede social e, em alguns casos, removerão o paywall se as matérias tiverem um.

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Tecnologia

Celular roubado: saiba como se proteger antes e depois do incidente

Publicado

Veja o que fazer antes e depois de ter o celular roubado
Unsplash/Jenny Ueberberg

Veja o que fazer antes e depois de ter o celular roubado

Atualmente, os roubos de celulares preocupam os usuários não apenas por conta do prejuízo financeiro relacionado ao valor do aparelho, mas também devido às perdas que o acesso a aplicativos bancários e dados pessoais podem causar.

Diante disso, é importante ter algumas proteções no smartphone para evitar prejuízos maiores, assim como saber o que fazer imediatamente após ter o dispositivo roubado.

Claudio Martinelli, diretor-executivo da empresa de cibersegurança Kaspersky na América Latina, teve seu celular roubado, mas não teve prejuízos financeiros além do valor do dispositivo. Isso aconteceu porque ele tomou atitudes rapidamente, impedindo a ação dos criminosos.

“Obviamente, não é uma experiência fácil, mesmo para alguém que trabalha combatendo o cibercrime como eu”, comenta Claudio. “Qualquer roubo criará um grande estresse e é comum ficar surpreso inicialmente, mas tenha em mente que o bandido irá agir rápido, e cabe a você ser mais ágil que ele. Saiba que é possível mitigar as perdas, mas é necessário tomar medidas certas. Uma boa segurança física e digital sempre terá ações preventivas, imediatas e de longo prazo”, orienta o especialista.

A seguir, confira algumas medidas preventivas, para adotar desde já em seu smartphone, e outras que devem ser realizadas imediatamente após um eventual roubo.

Como proteger seu celular

  • Bloqueie aplicativos com mais uma senha além do login. Para isso, há opções nativas no Android e no iOS, além de apps específicos para isso. É importante proteger programas bancários e de consumo, como delivery e lojas online.

  • Tome cuidado na hora de liberar o acesso a apps bancários apenas com a biometria. O que acontece é que o criminoso adiciona uma nova biometria e passa a usar as senhas salvas no dispositivo livremente. Para evitar isso, é importante ativar uma proteção por senha do sistema, sempre que uma nova biometria for criada.

  • Tenha uma solução antirroubo instalada em seu smartphone.

  • Confira os atalhos para entrar em contato com sua operadora de telefonia e com seus bancos. Assim, se você for roubado, já saberá como contatar os canais rapidamente.

Fui roubado, e agora?

  • Imediatamente após o roubo, é importante ligar para a operadora de telefonia e pedir o bloqueio do cartão SIM e do IMEI. Isso impedirá o ladrão de receber SMS com os códigos para recuperação de senhas nos serviços online e de se conectar à internet.

  • Em seguida, bloqueie seu celular através de sistema antirroubo previamente instalado. Eles permitem bloqueio, localização e até a limpeza dos dados do dispositivo de maneira remota.

  • Ligue para todos os seus bancos para notificar que o smartphone foi roubado e peça o bloqueio de qualquer transação feito por este dispositivo.

Isso é suficiente?

Depois de tomar as ações imediatas, é importante ficar de olho em possíveis golpes no longo prazo, que vão além do roubo de credenciais bancárias, já que os celulares também podem revelar informações pessoais como CPF, RG e senhas.

“Os celulares são também uma ferramenta de verificação da nossa identidade no mundo digital. Com essas informações, os bandidos podem tentar realizar empréstimos bancários ou abrir contas falsas”, comenta Claudio.

Por isso, uma boa dica é acessar o  serviço Registrato , do Banco Central, que permite ver informações bancárias ligadas ao seu CPF. Se uma conta for aberta em seu nome ou se um empréstimo for feito, por exemplo, é possível saber através desse sistema.

Por fim, após o roubo também é possível recuperar suas informações salvas em sistemas oficiais do Google e da Apple. Para isso, é importante sempre manter o backup em dia.


Fonte: IG TECNOLOGIA

Continue lendo

Tecnologia

Usuários do Signal têm dados vazados após ataque hacker

Publicado

Empresa parceira do Signal sofre invasão
Unsplash

Empresa parceira do Signal sofre invasão

Usuários do Signal tiveram seus números de celular expostos após um ataque hacker em uma empresa que presta serviços para o mensageiro. Cerca de 1.900 usuários tiveram seus dados vazados.

A invasão aconteceu na empresa Twilio, responsável pela verificação de números de telefone de usuários do Signal. Através de uma campanha de phishing, os hackers conseguiram enganar funcionários da Twilio e invadirem os sistemas da empresa. Além do Signal, cerca de 125 outros clientes da companhia foram afetados.

De acordo com o Signal, apenas os números de celular e códigos de registro de SMS foram vazados. “Histórico de mensagens, informações de perfil, listas de contatos e outros dados não foram acessados”, garantiu a empresa.

Com os dados vazados, porém, é possível que os hackers consigam clonar contas do Signal nas quais os usuários não ativaram o bloqueio de registro. As pessoas afetadas pela falha de segurança estão recebendo alertas oficiais do Signal sobre o que fazerem para protegerem suas contas.


Fonte: IG TECNOLOGIA

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana