conecte-se conosco


Tecnologia

Google Meet limitará reuniões em uma hora na versão grátis

Publicado


source

Tecnoblog

Google Meet
Divulgação

Google Meet terá limitação para contas gratuitas

O Google Meet passará a limitar a duração das reuniões em uma hora, na versão gratuita. O novo prazo do serviço de chamadas de voz e vídeo entrará em vigor a partir da quarta-feira (30), conforme prometido pela companhia em abril de 2020 . Segundo o Google, a ferramenta continuará aberta a todos os usuários mesmo após a data.

As reuniões da versão gratuita do Google Meet terão duração máxima de uma hora a partir de 30 de setembro de 2020. Dessa forma, para ter acesso a prazos maiores, o usuário terá de recorrer a um dos planos pagos da suíte de produtividade da companhia, o G Suite , que expande o tempo para até 300 horas.

“No produto gratuito, as reuniões podem ter no máximo 60 minutos de duração – mas essa restrição só começa a valer em 30 de setembro deste ano”, anunciou o Google em 29 de abril de 2020.

O Google Meet gratuito manterá a quantidade máxima de participantes de até 100 pessoas após a data. Além disso, os usuários ainda poderão utilizar o serviço pelo navegador e pelos apps para celulares e tablets ( Android e iOS ). As funções para compartilhar a tela e ajustar o layout da reunião também continuam.

Procurado pelo Tecnoblog na semana passada, o Google conta que o serviço registrou o pico de mais de 600 milhões de participantes em uma única semana, durante o segundo trimestre de 2020. “Em abril, registramos cerca de 3 milhões de novos usuários que passaram a se conectar pelo Google Meet diariamente”, afirmam.

Google Meet para G Suite for Education

Ao Tecnoblog nessa sexta-feira (25), o Google explica que alguns recursos serão limitados aos usuários do G Suite for Education na versão gratuita. É o caso da transmissão ao vivo e reuniões com até 250 pessoas. As gravações premium, porém, estarão disponíveis até que o novo recurso de gravações temporárias seja liberado.

Confira a explicação da companhia na íntegra:

“Os usuários de G Suite for Education não terão mais acesso na versão gratuita para recursos premium de transmissão ao vivo ou reuniões maiores de 250 pessoas. As funcionalidades padrão do Google Meet para escolas voltarão automaticamente para o que estava incluído na assinatura original do G Suite for Education.

No entanto, eles terão acesso contínuo às gravações premium até que nosso novo recurso, gravações temporárias, esteja disponível ainda este ano.

As gravações temporárias estarão disponíveis gratuitamente para todos os clientes do G Suite for Education ainda este ano. Com esse novo recurso, qualquer criador de reunião será capaz de gravar uma reunião e compartilhar a gravação em seu domínio por até 30 dias antes que o vídeo expire. Dadas as disparidades no acesso à Internet, as gravações temporárias têm o objetivo de ajudar os alunos ou participantes da reunião a assistir a uma aula que não puderam presenciar ao vivo. As gravações temporárias não podem ser compartilhadas fora do domínio do criador da reunião ou baixadas, mesmo que seja dentro de 30 dias.”

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tecnologia

Motorola lança Moto G 5G, primeiro intermediário compatível com a rede no Brasil

Publicado


source

Olhar Digital

Motorola Moto G 5G
Divulgação/Motorola

Moto G 5G Plus chega ao Brasil a partir de R$ 2.999

Nesta quinta-feira (22), chega ao Brasil o mais novo integrante da linha Moto G. Batizado de Moto G 5G Plus , o lançamento possui como grande destaque a possibilidade de se conectar às redes de quinta geração. No entanto, caso a conexão não esteja disponível, o dispositivo funciona com as redes padrão já conhecidas.

A Motorola  diz que esse é um grande passo para a empresa, já que há a implementação de uma tecnologia, até então considerada premium, em uma família de dispositivos mais acessível aos consumidores. Apesar disso, o preço não é tão popular assim, já que o Moto G 5G Plus chega ao mercado brasileiro, vendido em parceria com a Claro , pelo preço sugerido de R$ 2.999.

Configurações

O smartphone conta com uma tela FullHD+ CinemaVision de 6,7 polegadas com certificação HDR 10 e taxa de atualização de 90Hz. Essa implementação faz com que o dispositivo tenha uma imersão maior no consumo de conteúdo multimídia.

Ainda falando da parte frontal, o aparelho conta com uma novidade na captura de imagens. Isso porque o smartphone  possui duas câmeras frontais – um sensor de 16 MP e uma lente grande angular de 8 MP. Esse é o primeiro modelo da marca a possuir essa configuração dupla.

Em seu interior, o Moto G 5G Plus conta com processador Snapdragon 765 , 8 GB de RAM e 128 GB de armazenamento – expansível até 512 GB via cartão microSD. Para ajudar a manter tudo isso funcionando, a Motorola implementou uma bateria de 5.000 mAh, com carregamento rápido de 20W.

Na parte de câmeras traseiras, o aparelho conta com uma configuração quádrupla, com o sensor principal de 48 MP, enquanto os seguintes se dividem em grande angular, macro e profundidade – com 8 MP, 5 MP e 2 MP, respectivamente.

Por fim, o dispositivo conta com um sensor de impressão digital na lateral que, além de servir para ligar e desligar o aparelho, pode ser usado como um atalho para aplicativos favoritos após um toque duplo. Além disso, há um botão dedicado ao Google Assistente e suporte à tecnologia NFC .

Como dito, o aparelho chega às lojas brasileiras nesta quinta-feira na cor azul oceano pelo preço sugerido de R$ 2.999. A venda será feita em parceria com a Claroque possui redes 5G DSS em funcionamento atualmente em alguns lugares do país.

Ficha Técnica

  • Tela : 6,7 polegadas
  • Processador : Snapdragon 765
  • RAM : 8 GB
  • Armazenamento : 128 GB (expansível via cartão microSD)
  • Câmera frontal : 16 MP + 8 MP
  • Câmera traseira : 48 MP + 8 MP + 5 MP + 2 MP
  • Bateria : 5.000 mAh
  • Cores : azul oceano
  • Preço : R$ 2.999

Continue lendo

Tecnologia

Pré-venda: iPhone 12 vende mais que o dobro do iPhone 11, diz analista

Publicado


source
iphone 12
Reprodução/Apple

iPhone 12 tem venda superior ao iPhone 11

A pré-venda do iPhone 12 , iniciada no dia 16 de outubro, já vendeu mais que o dobro do iPhone 11 . A projeção é do analista Ming-Chi Kuo, conhecido por acertar previsões sobre a cadeia produtiva da Apple . Em ambos os casos, ele analisou as primeiras 24 horas da pré-venda.

Segundo ele, cerca de dois milhões de aparelhos, entre iPhone 12 e iPhone 12 Pro já foram encomendados. No ano passado, o número de encomendas do iPhone 11 ficou entre 500 e 800 mil.

Ainda de acordo com Kuo, o iPhone 12 Pro é o queridinho dos usuários, e deve ser responsável por cerca de 40% a 45% do total de vendas da nova linha. Para ele, o modelo que terá menor porcentagem de vendas é o iPhone 12 Pro Max.

As versões iPhone 12 mini e iPhone 12 Pro Max terão pré-venda iniciada em 6 de novembro nos Estados Unidos. Para Kuo, a versão mini deve representar entre 15% e 20% das vendas, enquanto a Pro Max deve ocupar entre 10% e 15%.

A Apple ainda não divulgou os números oficiais de encomendas da nova linha iPhone 12 .

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana