conecte-se conosco


Carros e Motos

Gol, Onix, Compass e Volvo V60 na mesma plataforma mostram status real do carro

Publicado


Jeep Compass vermelho rodando na estrada
Divulgação

versão Limited 2.0 Flex ficou com 3.5 estrelas no Guia do Carro, conquistando status de bom carro. A melhor avaliação foi em segurança (cinco estrelas) e a pior em desempenho (duas estrelas).

O que um Volkswagen Gol
, um Chevrolet Onix
, um Jeep Compass
e uma perua Volvo V60 podem ter em comum? Muita coisa. Todos esses carros são produtos à venda no mercado brasileiro e estão avaliados no Guia do Carro, o novo parceiro editorial do portal iG. Claro que o comprador do Gol e do Onix podem ser a mesma pessoa, mas não seria o mesmo comprador de um Compass ou de um V60. Por isso, existe uma razão para o critério do Guia do Carro ser assim.

LEIA MAIS:  Argo e Polo vão puxar a nova onda carros aventureiros

O Guia do Carro
pretende falar com o público que busca uma leitura sobre automóveis com o olhar de consumidor, e não de apaixonado por carros. Por isso, ele não é um site noticioso e tampouco uma revista eletrônica. O Guia do Carro é um organizador dos modelos que estão à venda no mercado brasileiro. Para isso, ele foi criado priorizando o que é mais caro para os consumidores. Nenhum equipamento opcional é considerado nas notas, pois eles custam dinheiro extra.

Todos os carros são avaliados em apenas seis critérios: Desempenho, Consumo, Segurança, Conectividade, Conforto e Itens de Série. Eles podem receber de zero a cinco estrelas, conforme os equipamentos ou características que oferecem. Nenhuma nota é subjetiva. A média desses seis itens é a nota geral de cada versão. Até 0.9 estrela o carro é considerado ruim. De 1.0 a 1.9 é básico. De 2.0 a 2.9 é médio. De 3.0 a 4.9 é bom. A partir de 4.0 seu status é ótimo. Veja como os modelos são “estrelados” no Guia do Carro.

Categorias unificadas porque um Gol não pode ter a nota de um Volvo


Volkswagen Gol vermelho rodando na cidade de São Paulo
Divulgação

Volkswagen Gol: a versão 1.6 Automatic da Volkswagen obteve 2.3 estrelas no Guia do Carro. Seu status é médio. A melhor nota foi em consumo (quatro estrelas) e a pior em conectividade (zero).

DESEMPENHO
– O Guia do Carro não dá notas para aceleração de 0 a 100 ou velocidade máxima. O que conta é a relação peso/potência do carro. Até 4,9 kg/cv o carro ganha cinco estrelas. De 5,0 a 7,9 kg/cv são quatro estrelas. De 8,0 a 9,9 são três estrelas. De 10,0 a 11,9 kg/cv são duas estrelas.

E a partir de 12,0 kg/cv é apenas uma estrela. Isso evita, por exemplo, que um Golf 1.4 tenha, digamos, quatro estrelas, e um Porsche 911 receba as mesmas quatro estrelas. Quando Fe faz o julgamento somente dentro da categoria, o resultado fica confuso para o consumidor, pois carro de alto padrão pode ter média 3.5, por exemplo, e um carro médio pode ter 4.0. O Guia do Carro pretende acabar com essa distorção. Assim, é preciso realmente ter um grande conteúdo para ganhar muitas estrelas.

CONSUMO
– Nada mais é do que a nota geral do Inmetro (e não a nota na categoria, como querem algumas montadoras). Assim, nota A vale cinco estrelas, nota B vale quatro, nota C vale três, nota D vale duas e nota E vale uma estrela. Se o carro não faz parte da classificação do Inmetro, o Guia do Carro analisa vários aspectos para decidir se ele fica com a mesma nota de um modelo similar ou se recebe apenas uma estrela.

SEGURANÇA
– De que adianta o carro ter assistente de permanência em faixa, travamento central das portas e monitoramento da pressão dos pneus se num acidente ele é frágil demais? Por isso, as notas de segurança são dadas de acordo com o resultado nos testes de impacto.

O Guia do Carro usa como base o Latin NCAP, mas também se baseia no NHTSA (dos EUA), no Euro NCAP e nos seus similares do Japão e do restante da Ásia, dependendo de cada caso. A quantidade de estrelas no Guia do Carro é a quantidade que o carro tem nos crash-tests mais rigorosos do mundo.

LEIA MAIS: Carro chinês passa a ser boa opção no mercado brasileiro


Volvo V60 da nova geração rodando na estrada
Divulgação

Volvo V60: a perua Volvo obteve 4.3 estrelas e tem uma das melhores avaliações do Guia do Carro. Seu status é ótimo. O V60 conseguiu cinco estrelas em metade dos itens (segurança, conforto e itens de série). Sua pior nota foi em consumo (três estrelas).

CONECTIVIDADE
– É um item muito importante para o consumidor brasileiro. Por isso, é preciso reunir cinco itens para ganhar as cinco estrelas. Cada item vale uma estrela: a) espelhamento do celular; b) bluetooth; c) GPS; d) DVD ou TV digital; e) Wi-Fi a bordo.

O Guia do Carro não perde tempo com coisas que são normais se o modelo já tiver esses itens. Espelhamento do celular não elimina o GPS porque, eventualmente, o carro pode estar numa zona sem conexão de internet e precisar do navegador.

CONFORTO
– Cada um desses itens vale uma estrela: ar-condicionado de duas zonas (só se for de duas zonas), câmbio automático (hoje em dia é item essencial de conforto), direção assistida (hidráulica ou elétrica), vidros elétricos e 2,7 metros de distância entre-eixos (o mínimo para ter espaço interno digno de nota). Esportivos já vêm com rodas de liga leve; não precisam dessa nota.

ITENS DE SÉRIE
– Finalmente, nos itens de série, fica ainda mais evidente a diferença entre carros básicos e carros médios ou bons, além da diferença entre as versões. Cada item vale meia estrela: ar-condicionado, assistente de partida em rampa, controle de estabilidade, faróis de neblina, modo de condução (no mínimo três), piloto automático, rodas de liga leve, sensor ou câmera de ré, borboletas para trocas de marcha, ajuste de profundidade no volante. Esses itens valem para todos os hatches, sedãs, peruas e monovolumes.


Chevrolet Onix com faróis acessos parado
Divulgação/General Motors

Chevrolet Onix: a versão LTZ 1.4 é a mais bem avaliada, com 2.7 estrelas no Guia do Carro. Seu status também é médio, porém mais próximo do bom. Melhor nota em consumo (quatro estrelas) e a pior em conectividade, conforto e itens de série (todas com duas estrelas).

No caso dos SUVs e picapes, entram seletor de terreno e tração 4×4 ou integral e saem ar-condicionado e borboletas para trocas de marcha. No caso dos esportivos, volta o modo de condução, permanece a tração 4×4 ou integram e entram ajuste de suspensão e head-up display, ficando de fora ar-condicionado e assistente de partida em rampa. Por que o Guia do Carro não dá nota para ar-condicionado e rodas de liga leve nos SUVs e nos esportivos? Porque todos os modelos já vêm com ele.

LEIA MAIS: VW T-Cross vai abalar a prova dos 9 dos SUVs

Os textos do Guia do Carro também são diferenciados. A parte analítica é dividida em apenas três intertítulos: “o que é novo”, “o que nós gostamos” e “o que pode melhorar”. Para além disso, os textos são apresentados em forma de tópicos, para permitir uma leitura rápida e confortável.

A ficha técnica é resumida apenas em números, para não afastar os leitores que não querem saber da descrição técnica do motor ou da suspensão. E todos os leitores também podem avaliar os modelos, dando a sua opinião (uma vez por cada carro), com sua nota contribuindo para a média geral. Outro diferencial é que cada versão tem sua própria avaliação.

O Guia do Carro
estreou com 110 avaliações, cobrindo primeiramente os modelos mais vendidos do mercado. Aos poucos, vai adquirindo novos conteúdos até cobrir o máximo de carros possível. Para quem quiser conhecer, o Guia do Carro pode ser acessado pelo endereço www.guiadocarro.net ou www.guiadocarro.ig.com.br
.

publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Carros e Motos

Quem tem coragem de mexer com o Volkswagen Gol?

Publicado


source
VW Gol
Divulgação

VW Gol 2020 ainda se mantém entre os modelos mais vendidos do Brasil, mesmo com poucas novidades

O Volkswagen Gol é um daqueles fenômenos do mercado de automóveis. Na mesma geração desde 2008 e enfrentando concorrentes (externos e até internos) mais atuais na mesma faixa de preço, o modelo segue como o mais vendido da marca alemã no Brasil e ainda figura como um dos hatches compactos mais populares do mercado.

LEIA MAIS: Novo Sandero automático enfrenta os rivais Gol e Onix. Qual vence?

De acordo com dados do Renavam (Registro Nacional de Veículos Automotores), o Volkswagen Gol fechou 2019 com 81.285 unidades emplacadas. Melhor resultado para o modelo desde 2016 e que colocou o compacto atrás apenas de Chevrolet Onix (241.214), Ford Ka (104.331), Hyundai HB20 (101.590) e do subcompacto Renault Kwid (85.117).

O mesmo bom resultado se repetiu no 1º semestre deste ano. Apesar dos efeito da pandemia do novo coronavírus, o Gol fechou os primeiros seis meses de 2020 com 24.827 unidades e manteve a 5ª colocação no ranking geral de emplacamentos.

Isso mesmo com uma oferta mais enxuta de versões, que é composta pela configuração de entrada 1.0 (R$ 51.210) e pela versão de topo 1.6, que na verdade podem ser consideradas duas: com o câmbio manual de cinco marchas e o motor 1.6 8V de 104 cv (R$ 62.600), ou o automático, de seis marchas (R$ 62.600), que é combinado ao mesmo motor 1.6 16V de até 117 cv usado no Polo.

LEIA MAIS: Fatos e curiosidades que você não sabia sobre o VW Gol, que chega aos 40 anos

Um dos méritos da Volkswagen para o modelo — e que ajuda a explicar esse desempenho no mercado — é o fato de o Gol ter envelhecido bem. Nesse período de 12 anos de presença no mercado, a atual geração passou por três renovações de visual (2012, 2016 e 2019).

Também houve mudanças na mecânica (com o motor 1.0 de três cilindros da família EA211) e no interior da cabine, com a adoção de um novo painel além da incorporação de equipamentos que passaram a ser exigidos pelo mercado nessa faixa de preço, como as centrais multimídia e o câmbio automático e, mais recentemente (ainda que por força da legislação) apoios de cabeça e cintos de segurança de três pontos para todos os ocupantes do banco traseiro, além do Isofix.

VW Gol vai ter substituto?

SUV do Gol
Divulgação

SUV do Gol chegou a ter um teaser mostrado,mas os planos foram adiados e agora não há prazo estabelecido para ser lançado

Outro ponto que deve ser considerado é a força do nome Gol, com recém-completados 40 anos no mercado. Lançado em 2003, o Fox surgiu com a proposta de ser um substituto mais atual para o modelo veterano. Mesmo tendo “matado” inicialmente as versões mais caras do Gol, acabou não atingindo o mesmo sucesso e atualmente deve se encaminhar para o fim, vendendo quase três vezes menos.

Já o Polo de sexta geração, que chegou ao mercado brasileiro em 2017, foi planejado inicialmente para ser o substituto do Gol. Mas mais caro e sofisticado, acabou sendo posicionado acima, como um modelo premium.

Isso demonstra o desafio que representa para a Volkswagen brasileira o desafio de substituir o modelo que, mesmo sendo um dos mais antigos da sua linha atual, ainda é querido pelo público.

Em abril, numa entrevista para o site Automotive Business, o presidente da Volkswagen para a América Latina, Pablo Di Si, citou que o projeto do novo Gol, que estava previsto inicialmente para 2022, deve atrasar, por conta dos impactos financeiros provocados pela pandemia do novo coronavírus.

LEIA MAIS: Veja vídeo das versões esportivas nos 40 anos do VW Gol

Para manter o posicionamento como um modelo de entrada,, a  marca alemã deve abandonar a plataforma atual — que é exclusiva, um misto da PQ-24, do Polo de 4ª geração e do Fox, com a PQ-25 — e adotar uma nova plataforma no novo Volkswagen Gol . Rumores apontam para uma variação mais simples da modular MQB A0, empregada atualmente em Polo, Virtus, T-Cross e Nivus, e que está sendo desenvolvida na Índia, com o nome de MQB A0 IN.

Fonte: IG CARROS

Continue lendo

Carros e Motos

Nissan Frontier Attack estreia novas opções de cores

Publicado


source
Nissan Frontier
Divulgação

Nissan Frontier Atrack na nova Cor Azul Cayman, uma das duas inéditas que passam a ser oferecidas pela marca japonesa

Mais vendida da picape média Nissan Frontier, a configuração Attack ganhou as opções de cores Azul Cayman e Cinza Grafite, que se somam na paleta que já trazia as tonalidades Branco Aspen, Preto Premium e Vermelho Alert.

LEIA MAIS: Nissan Frontier 2020 chega às lojas com novas cores e acessórios

Com preço de tabela de R$ 173.490, a Nissan Frontier Attack é a versão mais acessível da picape importada da Argentina equipada com a versão de 190 cv do motor 2.3 biturbo diesel. O propulsor é combinado com um câmbio automático de sete marchas e o sistema de tração 4×4.

LEIA MAIS: Trilhas, lama e florestas na Nissan Frontier, conhecendo a história do Brasil

Já a lista de equipamentos da Nissan Frontier Attack inclui sistema multimídia com tela de 8″ e compatibilidade com os sistemas Android Auto e Apple CarPlay, controles eletrônicos de tração e estabilidade, assistente de partida em rampas e o painel de instrumentos com tela multifuncional colorida de 5″.



Fonte: IG CARROS

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana