conecte-se conosco


Nacional

Glenn Greenwald confirma versão de hacker, mas despista sobre fonte da Vaza Jato

Publicado

glenn greenwald arrow-options
Edilson Rodrigues/Agência Senado – 11.7.19

Jornalista americano Glenn Greenwald durante sabatina no Senado para explicar ‘Vaza Jato’

O jornalista americano Glenn Greenwald, responsável pelo site The Intercept Brasil , disse ser “nova e verdadeira” informação prestada por Walter Delgatti, o ‘Vermelho’, à Polícia Federal. Um dos hackers presos na Operação Spoofing, Walter disse aos investigadores que entregou mensagens da Lava Jato ao Intercept de forma anônima e sem receber pagamento.

Glenn Greenwald publicou uma série de mensagens em sua conta pessoal no Twitter comentando a afirmação do ‘Vermelho’ na tarde desta quinta-feira (25). O jornalista destacou como o “mais importante” do depoimento do hacker o fato de ele ter dito que seus contatos com Glenn se deram apenas por meio do Telegram e ocorreram somente depois que os  ataques ao ministro Sergio Moro e a outras autoridades já tinham sido efetuados.

Apesar desses destaques, o jornalista do Intercet  pontuou: “Para ser claro, não estou afirmando que a pessoa acusada pela PF é de fato nossa fonte. Nós não comentamos sobre nossas fontes. Eu estou apenas destacando o que a pessoa que PF e Folha disseram ser a nossa suposta fonte”.

A negativa de Glenn foi reforçada momentos mais tarde, em resposta ao jornalista britânico Dom Phillips. “Não estamos comentando se o suspeito é a nossa fonte, mas sim que tudo o que foi dito pela pessoa acusada pela Polícia Federal – apesar da enorme pressão em nos acusar – é o mesmo que temos dito desde o início”, escreveu.

O site The Intercept Brasil passou a publicar, desde o dia 9 do mês passado, uma série de reportagens baseadas em conversas mantidas entre procuradores da força-tarefa da Operação Lava Jato e o ex-juiz e atual ministro da Justiça, Sergio Moro.

Mais cedo, outro editor do site, Leandro Demori, disse que as investigações que levaram quatro hackers a serem presos no interior de São Paulo não têm relação com as reportagens publicadas. “Moro já está cheio de conclusões, mesmo que o material enviado ao Intercept por fonte anônima nada tenha a ver com o suposto hacking de seu telefone, como escrevemos no primeiro dia da Vaza Jato”, disse.

Demori e Glenn Greenwald prometeram ainda publicar novas reportagens da chamada ‘ Vaza Jato ‘ em resposta às investigações da Operação Spoofing. “Estamos trabalhando com muitas mais reportagens, inclusive com parceiras. Esta será a nossa resposta primária e definitiva às novas táticas de ontem”, disse Glenn.

Os suspeitos presos na Operação Spoofing (Walter Delgatti Neto, Gustavo Henrique Elias Santos, Suelen Priscila Santos e Danilo Cristiano Marques) devem prestar ainda novo depoimento à Polícia Federal. Walter, Suelen e Danilo estão presos, por decisão do juiz Vallisney de Souza Oliveira, na Superintendência da PF em Brasília. Já Gustavo está detido temporariamente em uma sala da PF no aeroporto da capital federal.

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nacional

Caso Henry: defesa de Jairinho solicita avaliação psicológica de ex-vereador

Publicado


source
Dr. Jairinho
O Antagonista

Dr. Jairinho

O advogado Braz Sant’Anna, que defende o médico e ex-vereador Jairo Souza Santos Júnior, o Jairinho , solicitou a juíza Elizabeth Machado Louro, do II Tribunal do Júri, a elaboração de um laudo de avaliação psicológica. O documento deverá ser elaborado pelas profissionais Raquel Veloso da Cunha e Helena Magalhães Soares Pinto, contratadas pela família, a partir de observações, entrevistas e aplicação de “instrumentos psicológicos validados cientificamente” no ex-parlamentar, que está preso desde 8 de abril na Cadeia Pública Pedrolino Oliveira, no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu. Assim como a ex-namorada, a professora Monique Medeiros da Costa e Silva, ele é réu por torturas e homicídio qualificado de Henry Borel Medeiros e ainda fraude processual e coação no curso do processo.

De acordo com o documento enviado por Braz Sant’Anna, o número de encontros das psicólogas com Jairinho pode variar “de acordo com a demanda e com o estado psíquico do sujeito avaliado”. “O laudo psicológico é o documento resultante da AP (Avaliação Psicológica) e apresentará conclusões do profissional psicólogo com base nas informações coletadas, nas observações e entrevistas juntamente com os resultados levantados pelos instrumentos utilizados”, pontua.

Leia Também

“Considerando as limitações existentes do contexto que será realizada a AP (Avaliação Psicológica), indicamos que o mais adequado é que as entrevistas e aplicações dos instrumentos psicológicos sejam realizados em três dias na Penitenciária Bangu 8, pela manhã e pela tarde, entre os horários 9h às 17h. Cada encontro terá duração mínima de quatro horas com intervalos necessários respeitando os horários estabelecidos pela instituição”, afirmam as profissionais.

Leia Também


Foram solicitadas uma sala iluminada contendo duas cadeiras e uma mesa para a aplicação dos instrumentos e a disponibilidade de um gravador de áudio juntamente com um cronômetro.

Em setembro, os advogados Thiago Minagé e Hugo Novais, que defendem Monique, já haviam solicitado uma avaliação psicológica da professora. O pedido foi deferido pela juíza Elizabeth Machado Louro e ela recebeu a visita da profissional na última sexta-feira, dia 26, no Instituto Penal Oscar Stevenson, em Benfica.

Continue lendo

Nacional

Queda de bimotor em SP: mochila encontrada é de copiloto, diz família

Publicado


source
Bombeiros atuam na busca das vítimas do acidente
PrintScreen/ Twitter @BombeirosPMESP

Bombeiros atuam na busca das vítimas do acidente

A mochila encontrada no último sábado em alto-mar pela Marinha pertence ao copiloto José Porfírio de Brito Júnior, de 20 anos, uma das vítimas da queda de um bimotor que vinha de Campinas, em São Paulo, em direção ao Rio de Janeiro. A informação foi divulgada na manhã desta quinta-feira pela mãe do rapaz, a esteticista Ana Regina Agostinho, de 43. Ela contou também que foi uma piloto mulher que orientou o comandante do bimotor, Gustavo Calçado Carneiro, de 27 anos, como deveria proceder durante a queda.

“A assessoria de imprensa da Marinha me ligou ontem, ao meio-dia, e falou que ele se solidarizava com a família e iriam dar os informes duas vezes ao dia. Eles não deram retorno ontem à noite. Estou esperando alguma notícia hoje. Além disso, eles me falaram que a bolsa achada era do meu filho e que era para a gente ir até São Sebastião, na delegacia, pegar. Eu pedi que eles (a Marinha) nos entregassem, já que estamos nas buscas. Desconversaram”, relata a esteticista.

Ana diz que foi uma piloto mulher que ajudou os tripulantes do bimotor sobre como deveriam aterrizar. Ela crê que a conversa captada por um avião que passava perto e que ajudou os tripulantes no pouso poderá ajudar a entender o que aconteceu.

“A conversa pode informar o que aconteceu. Foi uma piloto mulher que ajudou o meu filho. Ela relatou o desespero do meu filho quando eles estavam caindo “, completou.

Leia Também

“É uma guerra a procura do meu filho. Criamos grupos de WhatsApp para as buscas dos dois. Eu tenho certeza de que o meu filho está vivo e, se Deus quiser, vamos achá-los vivos. As buscas pelo avião não vão parar. Hoje, vamos circular com uma embarcação que tem uma rede de 70 metros de profundidade. Se ela agarra em algum local, vamos avisar aos mergulhadores do Corpo de Bombeiros”.

Ana Regina afirmou que vem contando com a ajuda de amigos e parentes para tentar localizar o filho, que estava em um bimotor que saiu às 20h30min do Aeroporto dos Amarais, em Campinas, e deveria pousar no Aeroporto de Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio, pouco depois das 21h40min. Além de Porfírio Júnior, o voo levava o piloto Gustavo Calçado Carneiro, de 27 anos — cujo corpo foi encontrado na última quinta-feira —, e o empresário Sérgio Alves, de 45.

Namorada reclama da Marinha

Namorada de Porfírio Junior, a universitária Thalya Ares Viana, de 20, postou sobre o tempo de desaparecimento do copiloto e sobre a expectativa da Marinha ajudar nas buscas.

“Uma semana de muita procura, muita oração, implorando por ajuda, mas não vamos desistir. Ainda estamos aguardando a atualização que a Marinha ficou de dar à minha sogra, para planejarmos mais um dia de busca. Só precisamos de ajuda, mas te achar!”, escreveu ela na legenda da foto em que os dois aparecem juntos.

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana