conecte-se conosco


Política MT

Gisela propõe equipar subprefeituras e criar aplicativo para cidadão acessar serviços

Publicado

Gisela com o vice Maestro Fabrício: aplicativo fará com que o cidadão, de maneira rápida e sem intermediários, possa solicitar suas demandas de atendimento diretamente com a Prefeitura

Uma governança digital e subprefeituras equipadas para atender de modo ágil as demandas frequentes dos serviços e infraestrutura urbana básica dos cidadãos de Cuiabá. Esta é a prática da gestão pública eficiente planejada pela candidata Gisela Simona (PROS) e seu vice, maestro Fabricio Carvalho (PDT), da Coligação “Mãos Limpas e Unidas por Cuiabá (PROS, PDT, AVANTE/REDE). As propostas estão no eixo 5 do Plano de Governo, cuja diretriz é “Cuiabá: cidade acolhedora”.

Para fazer o cidadão ser atendido de forma adequada, a proposta é criar um aplicativo para a população demandar questões corriqueiras de serviços urbanos, como aqueles relacionados à iluminação pública, buracos nas ruas das comunidades, entre outros. A fim de atingir as metas e resultados, as 4 subprefeituras de Cuiabá serão equipadas, por exemplo, com máquinas para perfeito uso. “Teremos além de máquinas, equipamentos e recursos humanos nas subprefeituras para atender de maneira descentralizada as demandas dos bairros”, explica a candidata Gisela.

Nessa concepção proposta, a implantação de um aplicativo, na área de serviços urbanos da prefeitura, fará com que o cidadão, de maneira rápida e sem intermediários, possa solicitar suas demandas de atendimento diretamente com a Prefeitura, evitando a burocracia, os atendimentos pontuais e improvisados. A candidata Gisela cita ainda entre os serviços a serem demandados pela tecnologia os casos de cata-treco, tapa-buracos, plantio e poda de árvores, troca de lâmpadas nos postes, limpeza urbana, pintura de meio-fio, limpeza de boca de lobo, reforma de calçadas, entre tantos outros serviços.

O candidato a vice-prefeito, maestro Fabrício Carvalho, destaca essa necessidade de modernizar a gestão, sempre atenta ao futuro de Cuiabá. “É necessário fazer um planejamento, com as 4 subprefeituras ou regionais, para termos atendimento planejado e com atenção e respeito que os cuiabanos requerem”, afirma. Para executar os trabalhos, ele lembra também que a gestão precisa tomar a decisão de programar anualmente por região, o atendimento completo de todas as demandas por regional e bairro, como forma de economizar os insumos e os recursos públicos, para evitar perdas de tempo, ações paliativas, ou mesmo retrabalho dos servidores públicos.

O Plano de Governo para os serviços urbanos e obras públicas estabelece ainda a instalação em todas as praças mais frequentadas pela população, em especial as do centro, de banheiros químicos ou de alvenaria, para lavar as mãos e com sanitários. Também consta no documento da coligação implantar academias de ginástica da melhor idade em toda a cidade.

Obras viárias

Dentro do contexto da infraestrutura urbana viária, o Plano de Governo de Gisela e do maestro Fabricio propõe recapear 300 Km dos atuais 1.075 km de vias públicas com asfalto antigo de Cuiabá, para minimizar os gastos com os paliativos tapa-buracos.

Assim como ampliar de 1.450 km para 1.650 Km a malha de ruas pavimentadas, com o objetivo de diminuir de 650 Km para 450 Km a demanda de ruas novas asfaltadas em Cuiabá.

Capital humano

A proposta da candidata Gisela e do seu vice quer dar atenção especial aos trabalhadores desse setor. O plano prevê um programa para qualificar e melhorar as condições de trabalho dos garis e dos trabalhadores de serviços gerais dos serviços urbanos e obras, com transporte digno e condições de trabalho decente.

Em outro planejamento, haverá a implantação de um serviço de limpeza e lavagem de ruas e calçadas com caminhões especializados, mais eficientes e de menor custo do que as varrições executadas manualmente e exclusivas nas ruas centrais de Cuiabá.

 

 

 

 

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política MT

Estado paga folha salarial de novembro aos servidores e pensionistas nesta sexta-feira

Publicado

Folha de pagamento liquida no mês soma R$ 483 milhões

Os salários dos servidores públicos estaduais ativos, inativos e pensionistas, relativos ao mês de novembro, estarão disponíveis nesta sexta-feira (27), dentro do mês trabalhado conforme o anunciado em setembro pelo governador Mauro Mendes.

A folha liquida do mês de novembro chegou a R$ 483.712.241,61 Desse total R$ 307.789.961,22 são destinados ao pagamento de servidores ativos e R$ 175.922.280,39 para inativos e pensionistas.

Receberão salários e proventos 111.858 pessoas. São 71.408 servidores ativos das administrações direta e indireta; enquanto inativos e pensionistas somam 40.450 pessoas.

De acordo com a Secretaria Adjunta do Tesouro Estadual, da Secretaria de Fazenda, o pagamento estava programado para ser feito na segunda feira (30). No entanto as equipes da do Governo e do Banco do Brasil, responsáveis pelo processamento da folha, viabilizaram a remessa dos arquivos para o Banco do Brasil nesta quinta-feira (26), permitindo assim o credito do salário na conta dos servidores já nesta sexta-feira, no período da tarde e noite. Os documentos impressos serão enviados para BB amanhã pela manhã.

A secretaria adjunta informou ainda que o dinheiro estará liberado no decorrer do dia tanto para quem tem contas no BB, como para aqueles que fizeram portabilidade à outros bancos.

 

Continue lendo

Política MT

Maria Helena Póvoas é eleita presidente do Tribunal de Justiça; Maria Ribeiro será vice e Zuquim, corregedor

Publicado

Eleição ocorreu na tarde desta quinta-feira

A desembargadora Maria Helena Póvoas foi eleita na tarde desta quinta-feira (26) presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) para o biênio 2021/2022. Ela recebeu 15 dos 29 votos. O segundo colocado foi o desembargador Luiz Ferreira da Silva com 11 votos. Sebastião de Moraes Filho recebeu 2 votos e Juvenal Pereira da Silva apenas 1, que foi o dele próprio.

Ela será a segunda mulher a ocupar a presidência do TJMT e deverá comandar em 2021 um orçamento de cerca de R$ 1,6 bilhão, sendo que R$ 1,2 em repasses do Executivo e o restante, proveniente de outras receitas, segundo o previsto na Lei Orçamentária Anual. A primeira presidente do órgão foi a desembargadora aposentada Shelma Lombardi de Kato no biênio 1991/1993.

Desembargador José Zuquim

Para vice-presidente, foi eleita a desembargadora Maria Aparecida Ribeiro, com 26 votos. Ela foi a única que concorreu ao cargo. Para o cargo de corregedor-geral da Justiça, o Pleno escolheu  o desembargador José Zuquim Nogueira, que alcançou 18 votos. Ele venceu Pedro Sakamoto, que teve 10.

Atual vice-presidente do Tribunal, Maria Helena Póvoas tomou posse no Poder Judiciário mato-grossense em 2005 como a primeira mulher na vaga destinada ao Quinto Constitucional pela Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Mato Grosso. A posse dos desembargadores eleitos será no próximo dia 18 de dezembro.

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana