conecte-se conosco


Política Nacional

Gestantes serão testadas para Covid-19, garante Ministério da Saúde

Publicado


.

 

O Ministério da Saúde informou a deputados da comissão externa da Câmara que acompanha ações de combate ao coronavírus que gestantes serão submetidas a protocolos específicos de atendimento e que todas serão testadas para Covid-19 no final da gestação.

O secretário de atenção primária do Ministério da Saúde, Raphael Parente, disse que entre as mudança está a orientação de que as gestantes procurem atendimento médico nos primeiros sintomas gripais e que todas sejam testadas. “Na nossa determinação, que a gente colocou agora em portaria, toda gestante no final da gravidez será testada, isso foi pactuado com a Secretaria de Vigilância Sanitária, e haverá teste para essas pacientes”.

Parente reconheceu que a mortalidade materna no Brasil ainda é alta:  até o dia primeiro de agosto tinham sido registrados 199 óbitos de mulheres grávidas no Brasil, 135 por Covid-19.  Segundo dados apresentados pela pasta durante a reunião virtual desta quarta-feira (5), as gestantes têm risco 1,5 maior de internação em UTI com necessidade de ventilação mecânica em relação ao restante da população.

Estudo
A diretora do departamento de ginecologia e obstetrícia da Universidade de Santa Catarina, Roxana Knobel, participa do grupo brasileiro de estudos da Covid-19 em gestantes e informou que, após pesquisas realizadas pelo grupo, ficou claro que há uma grande desigualdade no atendimento às gestantes.

“Há um impacto desproporcional da Covid-19 nas mulheres pretas e a gente vê que comparando o perfil das mulheres pretas e brancas, o perfil de idade e de morbidades associadas é semelhante, mas as pretas são hospitalizadas em piores condições. Enquanto 30% das brancas são internadas com uma saturação de oxigênio baixa, quase 50% das pretas são internadas dessa forma, o que demonstra que há uma dificuldade dessas mulheres de acessarem os serviços de saúde. Comparando também as mulheres pretas com as brancas, as pretas têm uma maior probabilidade de internação em UTI com ventilação mecânica e de morrer”.

A professora de ginecologia e obstetrícia da Universidade Federal de Campina Grande Melania de Amorin, que também participa do grupo de estudos, alertou para o fato de que para proteger as gestantes, a Covid deve ser combatida em toda a população. “É preciso também considerar que as gestantes não estão isoladas do contexto da assistência global à saúde da população. Então além de todas as medidas considerando a saúde das gestantes, nós temos que exigir que medidas urgentes sejam tomadas no sentido de controlar a pandemia”.

Pré-natal
O presidente da Comissão, deputado Dr. Luiz Antônio Teixeira Jr. (PP-RJ), defendeu um aumento na remuneração da tabela do SUS para que os municípios possam garantir a realização de um pré-natal de qualidade. “Os exames da gestante, a gente conhece quais são os exames que ela faz trimestralmente. Que pudesse fazer um pacote de valores, numa condição remuneratória melhor para os municípios e os estados poderem dar mais acesso aos exames laboratoriais de rotina, ultrassonografias”.

Deputados aprovaram a urgência na apreciação de dois projetos de lei relacionados ao tema. O primeiro (PL 2442/20) amplia na pandemia a validade de pedidos médicos para realização de exames de pré-natal; e o segundo (PL 3932/20) determina o afastamento das gestantes do trabalho durante a pandemia.

Reportagem – Karla Alessandra
Edição – Geórgia Moraes

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política Nacional

Alerj escolhe os deputados para julgar o impeachment de Witzel

Publicado


source
witzel
Carlos Magno / GERJ

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, foi afastado do cargo nesta sexta-feira


Os deputados da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) escolheram nesta terça-feira (29) os nomes dos cinco representates  do poder Legislativo responsáveis por julgar o pedido de impeachment do governador afastado Wilson Witzel (PSC) em um tribunal misto com mais cinco desembargadores.


Alexandre Feitas (Novo), Waldeck Carneiro (PT), Chico Machado (PSD), Dani Monteiro (PSOL) e Anderson Moraes (PSL) foram escolhidos pelo plenário da Alerj para julgar o gvernador. 

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) sorteou ontem os cinco desembargadores que vão compor o tribunal misto. Witzel deverá ser julgado na próxima sexta-feira (2). Se a maioria simples do tribunal, ou seja 6 votantes, decidirem aceitaram a denúncia aprovada pela Alerj, Witzel será afastado novamente do cargo por mais 180 ddias, já que o Superior Tribunal de Justiça (STJ) já decidiu pelo seu afastamento.

Durante o afastamento, Witzelpoderá se defender no Tribunal Misto até ser julgado na votação final, onde são necessários dois terços dos votos – sete votos – para cassar o seu mandato.

Continue lendo

Política Nacional

Eleições 2020: Mais de 200 candidatos pegam carona com nomes de Lula e Bolsonaro

Publicado


source
Dedo apertando a tecla confirma na urna eletrônica
Nelson Jr./ ASICS/ TSE

Candidatos estão apostando em nomes conhecidos para ganhar popularidade

Mais de 200 pedidos de candidaturas feitos à Justiça Eleitoral até esta terça-feira (29) usavam figuras tradicionais da política em seus nomes de urna para atraiar votos de eleitores nas eleições municipais de 2020. Entre os nomes com mais uso como escada estão o do ex-presidente Lula (PT) e o do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

No caso do ex-presidente, por exemplo, foram 118 os candidatos que quiseram pegar carona no nome do petista. Entre os nomes que apareceram estão Lula Federal, Lula de Araraquara, Lula Brasil, Lula JK, Lula do Lixo e Jane da Vigilia Lula Livre.

Já para Bolsonaro o número foi um pouco menor, de 103. Candidatos a vereadores e a prefeito têm aparecido nomes de urna registrados como João Bolsonaro, Neto Bolsonaro, Gil do Bolsonaro, Adão Bolsonaro, Gargamelbolsonaro e Decinho Bolsonaro do Barreiro.

O presidente, no entanto, tem duas pessoas que realmente têm o mesmo sobrenome que ele e estão disputando um cargo público este ano. São Carlos Bolsonaro, que é filho dele, e Rogéria Bolsonaro, que é ex-mulher do presidente. Ambos estão pleiteando uma vaga na Câmara Municipal do Rio de Janeiro pelo Republicanos.

Sobrou até para o presidente do Estados Unidos, Donald Trump, ter o seu nome usado. O republicano teve seu nome usado em três ocasiões.

A primeira é com um candidato a vereador de Brusque, em Santa Catarina, que se autodenomina Donald Trump Bolsonaro. Ele concorre pelo PSL e seu nome real é João Sá Teles Santana.

Outro deles é Ronaldo de Oliveira, do Patriota, candidato a vereador de Ribeirão Preto (SP). Seu nome de campanha é Ronald Trump.

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana