conecte-se conosco


Agro News

FRANGO/CEPEA: Liquidez interna aumenta em junho, e cotações sobem novamente

Publicado


.

Cepea, 3/7/2020 – As vendas internas de carne de frango se aqueceram em junho, contexto que elevou as cotações de todos os produtos de origem avícola de corte. Segundo agentes colaboradores do Cepea, o menor poder de compra da população brasileira diante da crise gerada pela pandemia de covid-19 pode estar levando demandantes a migrarem para proteínas mais baratas, como o frango, em detrimento das carnes bovina e suína. Assim, mesmo durante a segunda quinzena de junho, quando tradicionalmente as cotações da proteína recuam, devido à menor liquidez, os preços seguiram firmes. No atacado da Grande São Paulo, o frango inteiro congelado teve média de R$ 4,40/kg em junho, alta de 7,3% frente à do mês anterior. Para o produto resfriado, a valorização foi ainda maior, de 11,7%, com preço médio a R$ 4,42/kg em junho. Para os cortes negociados na Grande São Paulo, a maior alta nos preços de maio para junho foi observada para a asa de frango, que, segundo colaboradores do Cepea, tem oferta muito reduzida no mercado doméstico, visto que é um produto muito exportado, especialmente à China. De maio a junho, a asa congelada se valorizou 15,7%, atingindo R$ 8,91/kg no último mês. No caso do produto resfriado, a alta foi de 12,3%, com média de R$ 8,96/kg. Além da demanda final aquecida, as medidas de ajuste da produção por parte tanto da indústria quanto de produtores no primeiro semestre de 2020 se mostraram eficientes em conter as desvalorizações que vinham ocorrendo. Dessa forma, com o incremento na demanda, parte da indústria teve que aumentar a compra de novos lotes de frango vivo, impulsionando os preços. Na média das regiões de São Paulo, o animal foi cotado a R$ 3,42/kg em junho, forte avanço de 17,5% na comparação com maio. Fonte: Cepea – www.cepea.esalq.usp.br

Fonte: CEPEA

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Agro News

CITROS/CEPEA: Baixo preço desestimula produção na Flórida; cenário já foi visto no BR

Publicado


.

Cepea, 14/8/2020 – A produção de laranjas da Flórida deve cair na safra 2020/21 (que se inicia oficialmente em outubro). O possível recuo na produção, por sua vez, se deve aos menores valores pagos pela fruta na última temporada, que desestimularam citricultores norte-americanos. Assim, esses produtores teriam reduzido e até mesmo cortado investimentos com fertilizantes, pulverizações e demais despesas para manutenção dos pomares, comportamento que gera preocupações quanto à produção da Flórida em safras futuras.  Pesquisadores do Cepea indicam que é importante lembrar que esse mesmo cenário já foi presenciado no Brasil entre 2012 e 2014, principalmente, quando baixos valores pagos pela indústria resultaram em acentuado corte de investimentos por parte de citricultores independentes. E a consequência desse contexto, observada por vários anos, foi a redução do potencial produtivo dos pomares paulistas. Fonte: Cepea – www.cepea.esalq.usp.br

 

Fonte: CEPEA

Continue lendo

Agro News

FRANGO/CEPEA: Com valorização de insumos, relação de troca pelo vivo aumenta

Publicado


.

Cepea, 14/8/2020 – O poder de compra dos avicultores paulistas frente aos principais insumos consumidos na atividade, milho e farelo de soja, voltou a cair em agosto, depois de ter registrado alta entre junho e julho, quando a relação de troca era favorecida pela elevação dos preços do frango vivo. Segundo pesquisadores do Cepea, apesar de os valores do animal continuarem subindo no mercado brasileiro, as valorizações do milho e do farelo têm sido ainda mais intensas neste mês. No mercado de frango vivo, a demanda da indústria por novos lotes de animais segue elevada, porém, as altas nas cotações do vivo foram menores do que as registradas para os insumos. Para o milho, mesmo com o avanço da colheita da segunda safra, a retração de vendedores e o fato de compradores estarem em busca de novos lotes para curto prazo têm impulsionado os preços. Quanto ao farelo de soja, além de o preço da matéria-prima estar elevado, a demanda doméstica aquecida segue impulsionando as cotações do derivado, que vêm atingindo patamares diários máximos da série histórica do Cepea, iniciada em janeiro de 1999. Fonte: Cepea – www.cepea.esalq.usp.br

Fonte: CEPEA

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana