conecte-se conosco


Mato Grosso

Formação para assessores pedagógicos visa fortalecer educação indígena de MT

Publicado

Fortalecer a educação indígena em Mato Grosso. É com esse objetivo que a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) está promovendo o 1º Encontro de Assessores Pedagógicos que atendam escolas estaduais indígenas. A abertura do evento ocorreu na noite desta quarta-feira (17.07) no auditório da Seduc.

A secretária de Estado de Educação, Marioneide Kliemaschewsk, destacou que todos os envolvidos na formação poderão contribuir para novos conhecimentos para a educação indígena de Mato Grosso. “Para nós é um desafio atender as demandas das diversas etnias do Estado e os assessores pedagógicos são fundamentais nesse processo”, frisou.

Mato Grosso conta com cerca de 20 mil alunos indígenas matriculados na rede pública de ensino – entre escolas municipais e estaduais. São 71 escolas estaduais e os 140 municípios do Estado são atendidas pelos assessores pedagógicos, cujos trabalhos abrangem o credenciamento das unidades escolares, além de autorização e atendimento administrativo e pedagógico.

A secretária adjunta de Gestão Educacional, Rosa Maria de Araújo Luzardo, ressaltou que a Seduc tem se esforçado muito para fazer o melhor trabalho em relação ao acompanhamento dessas escolas e o encontro é fundamental para entender as dificuldades de cada uma delas, principalmente levando em conta a sua distância com a Seduc.

“A assessoria pedagógica é o braço da Seduc nos municípios e o trabalho em parceria com as redes municipais é uma das soluções para ajudar as escolas a vencer os desafios da educação indígena”, ressaltou.

Desafios

Os assessores pedagógicos participantes apontam a distância entre a assessoria e as escolas indígenas como um dos seus maiores desafios. É o caso da assessora Fabiani Capelari dos Reis, do município de Colíder (a 650 quilômetros ao norte da Capital) que trabalha com as etnias Caiapó e Apiaká e atende duas escolas indígenas e 10 do ensino regular. A EEI Mairovi Apiacá fica a 600 quilômetros da assessoria, sendo que o deslocamento até a escola é feito apenas de avião ou de barco cuja viagem dura dois dias.

Com atendimento a 10 escolas estaduais, sendo nove indígenas, e 30 escolas municipais indígenas, a assessora pedagógica Miriam Lagares, de Campinápolis (a 658 quilômetros a leste da capital) ressalta que seu maior desafio são as formações para os professores, uma vez que nem todos possuem curso superior.

Miriam Lagares lembra que a cidade tem metade da população da etnia xavante, sendo que a única escola urbana de ensino regular também atende alunos indígenas. “Deparamos com estudantes que fazem o ensino fundamental em escolas indígenas e vem para o ensino médio na escola urbana, sem falar a língua portuguesa. Então, precisam ser alfabetizados na nossa língua materna para continuar os estudos”, explica.

A professora formadora Djalcina Gonçalves da Silva, do Centro de Formação e Atualização dos Profissionais da Educação Básica (Cefapro) de Barra do Garças (a 509 quilômetros a leste da capital), trabalha com 21 escolas estaduais indígenas de três etnias – Xavante, Bororo e Kisedje. “Trabalhamos em regime de colaboração com várias redes municipais de ensino, num total de 75 escolas. É um desafio fazer a formação da educação indígena, é um trabalho que o mais importante é ouvir a comunidade”, frisa.

A abertura do evento teve como atração a apresentação do grupo de dança cântico Kammarriye, da Escola Estadual Indígena Malamalali, do município de Tangará da Serra (a 239 quilômetros a médio-norte da Capital).

Formação

A formação, que continua nesta quinta e sexta-feira (18 e 19.07) no Cefapro de Cuiabá, conta com a participação de professores dos 15 Cefapros de Mato Grosso e os assessores pedagógicos que atendem as escolas indígenas de 32 municípios.

O objetivo do encontro é orientar os assessores pedagógicos quanto ao atendimento das escolas indígenas em relação às especificidades de demandas pedagógicas e administrativas.

O evento é coordenado pela Secretaria Adjunta de Gestão Educacional, por meio da Superintendência de Políticas da Diversidade e do Núcleo Estratégico de Apoio e Monitoramento das Assessorias Pedagógicas da Seduc.

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mato Grosso

Policiais penais e Força Tática evitam motim em Sorriso

Publicado


.

Por volta das 19 horas desta quarta-feira (15.07), cerca de 86 presos do Centro de Ressocialização de Sorriso tentaram realizar motim, depois que os policiais penais da unidade retiraram celulares, carregadores e armas artesanais das celas. A Força Tática da Polícia Militar deu apoio a ação e ajudou e evitar a revolta.

Enquanto os presos estavam na quadra de banho de sol, os policiais penais apreenderam 22 aparelhos celulares, chips, carregadores artesanais e armas artesanais (chuços) escondidas nas celas.  Também foram retiradas as tomadas das celas. A ventilação é feita por exaustores.

Os presos só perceberam a mudança quando retornaram para as celas de convívio. Assim que viram que perderam seus objetos ilícitos, ficaram revoltados e tentaram iniciar um motim, contudo os policias penais de plantão, e com a Policia Militar presente dando apoio de emprego imediato.

“Estamos atentos a qualquer movimentação. Vamos continuar a fazer revistas para retirar qualquer objeto ilegal de dentro da unidade”, destacou o diretor Enilson de Castro.

Fonte: GOV MT

Continue lendo

Mato Grosso

Quarta-feira (15): Mato Grosso registra 30.536 casos e 1.196 óbitos por Covid-19

Publicado


.

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde desta quarta-feira (15.07), 30.536 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso e um total de 1.196 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado, sendo 39 mortes nas últimas 24 horas. 

Foram registradas 618 novas confirmações no Estado. Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 256 internações em UTI e 375 em enfermaria. Isto é, a taxa de ocupação está em 93,1% para UTIs e em 58% para enfermarias.

O documento ainda aponta que um total de 33.641 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e que, atualmente, restam 1.584 amostras em análise laboratorial.

Os pacientes são devidamente acompanhados pelas equipes de Vigilância Epidemiológica do Estado e dos municípios. Mais informações estão detalhadas na Nota Informativa divulgada diariamente pela SES disponível neste link, a partir das 17h.

Atualização do sistema

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT) informa que o Boletim Informativo nº 129 traz a lista completa dos municípios e menciona os números que já foram inseridos no novo sistema de dados do Estado. Contudo, os municípios ainda realizam a atualização desses dados, fato que leva a uma diferença entre a somatória de casos por cidades e o número total anunciado na primeira página deste documento. Portanto, a SES esclarece que o número total – divulgado na primeira página deste Boletim – está correto.

O planejamento é de que, nos próximos dias, os municípios atualizem as informações locais junto ao novo sistema, de forma a equiparar a soma de casos por cidades ao número geral. Essa é uma das etapas do processo de transição entre sistemas que registram casos da Covid-19 em Mato Grosso. A mudança é fundamental para as áreas técnicas dos âmbitos municipal, estadual e federal, que passarão a trabalhar com uma plataforma unificada, segura e mais estável.

Cenário nacional

Nesta quarta-feira (15), o Governo Federal confirmou 1.966.748 casos da Covid-19 no Brasil e 75.366 óbitos oriundos da doença. No levantamento do dia anterior, o país contabilizava 74.133 óbitos e 1.926.824 casos confirmados de pessoas infectadas pelo coronavírus.

Recomendações

Atualmente, não existe vacina para prevenir a infecção pelo novo coronavírus. A melhor maneira de prevenir a infecção é evitar ser exposto ao vírus. Os sites da SES e do Ministério da Saúde dispõem de informações oficiais acerca do novo coronavírus. A orientação é de que não sejam divulgadas informações inverídicas, pois as notícias falsas causam pânico e atrapalham a condução dos trabalhos pelos serviços de saúde.

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo coronavírus. Entre as medidas estão:

– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;
– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;
– Evitar contato próximo com pessoas doentes;
– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;
– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Fonte: GOV MT

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana