conecte-se conosco


Mato Grosso

Forças de segurança deflagram operação contra 73 integrantes de organização criminosa

Publicado

Mais de 70 suspeitos são alvos da operação integrada “Agenda Nacional 1”, deflagrada nas primeiras horas da manhã desta quarta-feira (10.07), pelas forças de Segurança Pública, na região de Barra do Garças (509 km a Leste), para combater criminosos articulados para prática de atividades ilícitas ordenadas de dentro de celas de presídios e centros socioeducativos de Mato Grosso.

São 33 mandados de prisão contra membros de uma organização criminosa e 40 mandados de busca e apreensão, para apreender armas de fogo, drogas, veículos, documentos e outras provas de crimes cometidos pelos suspeitos. As ordens judiciais foram expedidas pela 7ª Vara do Crime Organizado de Cuiabá.

A operação cumpre agenda do Ministério da Justiça e da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) do Governo do Estado de Mato Grosso. A ação é coordenada pela Polícia Civil de Barra do Garças, com auxílio da Polícia Federal e da Polícia Militar de Barra do Garças nos levantamentos.

Também estão presentes na operação a Polícia Rodoviária Federal, Corpo de Bombeiros Militar, Sistema Penitenciário, Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec), e o Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer).

As Polícias apuraram, que do interior dos muros de unidades prisionais das cidades mato-grossenses Barra do Garças, Água Boa, Nova Xavantina, Comodoro, Cuiabá, e Aragarças, em Goiás, criminosos faccionados estão por trás de crimes violentos como latrocínios e roubos, ocorridos na cidade de Barra do Garças e municípios circunvizinhos, e ainda agindo corriqueiramente em estelionatos, furtos e tráfico de drogas, com o objetivo de disseminar a violência e fortalecer diversas formas de arrecadação financeira ao grupo criminoso.

Dos criminosos alvos, 22 serão notificados das ordens judiciais dentro de unidades prisionais do Estado, de onde, mesmo reclusos, articulam e ordem crimes fora das cadeias.

O delegado da Polícia Civil de Barra do Garças, Nelder Pereira Martins, coordenador da operação e presidente dos autos do inquérito policial, informou que o fato dos presos integrarem organização criminosa já caracteriza delito autônomo ou independente com pena de reclusão de 3 a 8 anos.

“Nesse sentido, a Polícia Judiciária Civil de Barra do Garças representou pela expedição de 33 mandados de prisão preventiva e, a fim de coletar ainda mais provas, representou também pela expedição de 40 mandados de busca e apreensão”, disse.

Conforme Nelder, a forma de agir da facção criminosa é semelhante em vários estados da federação, assim como em outras regiões de Mato Grosso, sempre objetivando aumentar o lucro financeiro da organização. “Nossas investigações vem combatendo a facção deste a operação 10º Mandamento, em 2018. Esse trabalho conjunto com todas as instituições reforça ainda mais essa repressão qualificada”, afirma.   

O delegado chefe da Polícia Federal de Barra do Garças, Rafael Valadares de Oliveira, destacou a atuação conjunta das forças de segurança pública, para combater a criminalidade organizada na região.

“A atuação em conjunto das forças de segurança pública, sem prejudicar suas respectivas atribuições constitucionais, é um dos meios mais eficazes de se combater o crime organizado. Atualmente, uma das diretrizes nacionais da Polícia Federal é a repressão às organizações criminosas. Na região de Barra de Garças/MT, outros trabalhos interinstitucionais têm sido feitos, mas, este, com certeza, é o mais importante e vem a coroar uma força tarefa que pode vir a render bons frutos”, ressaltou.  

O comandante do 5º Comando Regional de Polícia Militar, tenente-coronel Antonio Gilvando de Souza, também destacou importância de operação e das ações integradas na repressão à criminalidade. “Além de reduzir os índices, um dos objetivos, fortalece os órgãos da Segurança Pública, eleva a confiança e sensação de segurança entre os cidadãos do Vale do Araguaia”, disse.

O comandante lembra que essa não é primeira vez que o trabalho integrado acontece, a parceria entre as polícias Militar e Civil, por exemplo, faz parte das atividades operacionais na região.

Participam da operação mais de 200 policiais das instituições de segurança pública estadual e federal, com emprego de 55 viaturas, um helicóptero e cães farejadores.

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mato Grosso

Audiência pública para apresentação de metas fiscais é adiada

Publicado


A Secretaria de Fazenda (Sefaz) informa que a audiência pública para apresentação das metas fiscais do 2º quadrimestre de 2020, programada para esta terça-feira (29.09), foi transferida para a próxima semana. Dessa forma, o evento será realizado quarta-feira (07.10), às 14h, por meio de videoconferência.

A alteração da data atende pedido da Assembleia Legislativa, devido à sessão extraordinária que será realizada na mesma data e horário.

Durante a audiência pública a Sefaz explanará sobre o comportamento da receita e das despesas no período, as metas estipuladas na Lei Orçamentária Anual e as efetivamente alcançadas pelo Tesouro do Estado. A prestação de contas é uma exigência da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

A apresentação do relatório será perante a Comissão de Fiscalização e Acompanhamento da Execução Orçamentária (CFAEO), da Assembleia Legislativa.

Fonte: GOV MT

Continue lendo

Mato Grosso

Bombeiros militares realizam prisão em flagrante por crime ambiental

Publicado


A equipe da base descentralizada Bombeiro Militar de Apiacás (mil quilômetros de Cuiabá), realizou uma prisão em flagrante na tarde de domingo (27.09).

Três pessoas, sendo um adulto e dois adolescentes, estavam praticando ato de queimada ilegal na chácara Santo Antônio. O crime foi flagrado durante ronda ostensiva, após os agentes avistarem grande volume de fumaça. Ao chegar no local, a guarnição flagrou ato de queimada ilegal em pastagem.

Imediatamente foi dada voz de prisão aos mesmos e, não havendo resistência, os infratores aguardaram no local sob vigilância de um militar da guarnição de Combate a Incêndios Florestais (GCIF), que já havia solicitado apoio da Polícia Militar, enquanto era realizado o combate do fogo.

Com eles foi encontrado duas garrafas com combustível e tochas artesanais. Os itens foram encaminhados juntamente para materialidade do crime praticado. O fogo consumiu 20% da área até ser extinto pela GCIF.

O Corpo de Bombeiros Militar alerta que o não cumprimento do artigo 54 da Lei Federal n° 9.605, que diz “Causar poluição de qualquer natureza em níveis tais que resultem ou possam resultar em danos à saúde humana, ou que provoquem a mortandade de animais ou a destruição significativa da flora”, pode resultar em reclusão de até quatro anos, além de multa.

Fonte: GOV MT

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana