conecte-se conosco


Nacional

Filipina é presa com cocaína em chocolate e indetectável em testes

Publicado

Filipina é presa no aeroporto com cocaína indetectável em chocolate - 20.07.2022
Polícia Federal: Divulgação

Filipina é presa no aeroporto com cocaína indetectável em chocolate – 20.07.2022

Agentes da Polícia Civil de SP apreenderam, nesta terça-feira (19), 37 quilos de cocaína com uma filipina identificada como Girlie Allado Solcorites, que foi presa em flagrante. Os agentes se surpreenderam com os elementos inusitados do caso: a droga, colorida, estava disfarçada em embalagens de achocolatados, sucos em pó, chás de maca-peruana, entre outros alimentos.

Além disso, foi acrescido ao produto uma substância química que impossibilitou a detecção da droga em testes rápidos de reagente, comumente utilizados polícia. Os investigadores contam que precisaram submetê-la a uma perícia mais complexa no Instituto de Criminalística, onde enfim foi confirmada a constatação. 

O caso aconteceu nesta terça de manhã, quando agentes da 4ª Delegacia de Divisão de Investigações sobre Entorpecentes apuravam a ação de brasileiros e estrangeiros suspeitos de tráfico no Terminal Rodoviário da Barra Funda. A mulher chegou à rodoviária em um ônibus vindo do Mato Grosso do Sul e, ao apresentar nervosismo no desembarque, chamou atenção dos policiais, que observavam toda a movimentação disfarçados.

Eles a seguiram até um hotel no Centro de SP, onde realizaram a abordagem momentos depois. Segundo os policiais, ela reagiu com muito nervosismo e respondendo coisas desconexas, mas acabou por conduzi-los até o quarto onde estava hospedada. Ao abrirem as malas onde estavam as drogas, eles se depararam com os vários sacos de alimentos em pó; além da coloração, as embalagens tinham cheiro forte de café, na intenção de esconder o odor característico da cocaína e enganar, por exemplo, cães farejadores. Mas não foi suficiente para confundir os policiais.

Questionada pelos agentes sobre a origem das malas, ela disse que teria recebido os produtos “de um individuo que não sabe o nome” na cidade de Campo Grande (MS) e que levaria as malas para outro país. Além das drogas, foram apreendidos um celular que estava com ela, que poderá ajudar nas investigações sobre o grupo que estaria por trás da ação criminosa, além de quantia em dinheiro, inclusive cédulas estrangeiras.

‘Apuramos que era a terceira vez que ela estava no Brasil. Sempre ia para o Mato Grosso do Sul e de lá vinha para São Paulo. Ficava pouco tempo em SP, não saía do quarto de hotel e sempre transportava esses gêneros: achocolatado, maca peruana etc. Isso causa estranheza, por que uma pessoa viria para o Brasil para não fazer nada e apenas comprar esses produtos?”, comenta o delegado Fernando Santiago, titular da especializada. Além do “disfarce” usado para esconder a droga, uma substância acrescida a ela para torná-la indetectável em testes químicos rápidos também deu trabalho à polícia na hora de atestar a presença da cocaína.

“A detecção rápida deu negativa, por conta de substância química colocada justamente para este fim”, explica o delegado.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Nacional

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Nacional

Morre ex-prefeito que disse “morra quem morrer” durante a pandemia

Publicado

 

Fernando Gomes Oliveira morreu aos 83 anos
Divulgação

Fernando Gomes Oliveira morreu aos 83 anos

Fernando Gomes Oliveira, ex-prefeito de Itabuna (BA), faleceu neste domingo (24), em Salvador, aos 83 anos. Ele ficou conhecido nacionalmente em 2020, quando anunciou que reabriria os comércios da cidade durante a pandemia de Covid-19 “morra quem morrer” . Na ocasião, ele disse que foi mal interpretado.

A morte do político foi confirmada pelo atual prefeito de Itabuna, Augusto Castro, através de um comunicado nas redes sociais. Segundo ele, o ex-prefeito “encontrava-se internado com uma enfermidade”.

“Decretei luto oficial por três dias em memória do ex-prefeito Fernando Gomes Oliveira, cuja trajetória política e administrativa é por todos reconhecida. Que descanse em paz”, afirmou Castro.

O governador da Bahia, Rui Costa, também lamentou a morte do colega político nas redes sociais e decretou luto em todo o estado. “Quero manifestar meu pesar pela morte do ex-prefeito de Itabuna e ex-deputado federal, Fernando Gomes. Que Deus conforte seus familiares, amigos e itabunenses. Está decretado luto oficial na Bahia por 3 dias”, afirmou.

Continue lendo

Nacional

Ex-crítico do Centrão, General Heleno não comparece à convenção do PL

Publicado

General Heleno, crítico do Centrão em 2018, falta à convenção de Bolsonaro, tomada por políticos do bloco
undefined

General Heleno, crítico do Centrão em 2018, falta à convenção de Bolsonaro, tomada por políticos do bloco

Um dos destaques da campanha política de Bolsonaro em 2018, o general Augusto Heleno não foi visto na convenção do PL , que confirmou a candidatura do presidente à reeleição, no Maracanãzinho, neste domingo (24). Há quatro anos, o general ficou famoso por fazer uma crítica aos políticos de Centro: “se gritar pega o Centrão, não fica um, meu irmão”, também durante convenção que oficializou Bolsonaro como candidato. Desta vez, o presidente trocou o aliado militar pelos políticos do bloco.

Após substituir “ladrão” por “centrão” na letra original da música “Reunião de bacana (Se gritar pega ladrão”, o general já tinha, no ano passado, se referido ao episódio como uma “brincadeira”. O ministro do gabinete de Segurança Institucional afirmou ainda que mudou de opinião sobre o grupo.

O governo de Bolsonaro, atualmente, tem grande participação de políticos de Centro. O discurso escrito para o candidato à reeleição na convenção deste domingo, aliás, teve exaltações ao presidente da Câmara Arthur Lira (PP-AL).

Ao contrário das recomendações do Centrão, no entanto, Bolsonaro não conteve ataques ao Supremo Tribunal Federal. E conclamou os presentes a um ato, no dia 7 de setembro, chamando os ministros do STF de “surdos de capa preta”.

Fonte: IG Nacional

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana