conecte-se conosco


Carros e Motos

Fiat Argo Trekking 1.3 2021:  hatch com apelo aventureiro muda o suficiente

Publicado


source
Fiat Argo Trekking 1.3 2021: rodas de aro 15 são opcionais e o logo da marca na grade dianteira ficou mais moderno
Carlos Guimarães

Fiat Argo Trekking 1.3 2021: rodas de aro 15 são opcionais e o logo da marca na grade dianteira ficou mais moderno

Não é de hoje que o Fiat Argo vem ganhando terreno entre os modelos mais vendidos no Brasil e, na linha 2021, o carro recebe algumas novidades interessantes. Como líder no ranking geral em maio, o hatch compacto mostra que tem fôlego para continuar com um lugar de destaque, pelo menos por mais um tempo.

Entre as sete versões do Fiat Argo 2021 vendidas hoje em dia, a que mais agrada a redação de iG Carros é a Trekking 1.3 (R$ 76.433), exatamente a que avaliamos. Em tempos bicudos, como os que vivemos hoje em dia, quem não pode comprar um SUV compacto , que já chega fácil na casa dos R$ 100 mil, tem em um hatch compacto aventureiro uma alternativa para enfrentar obstáculos urbanos e pisos de terra.

Além da inclusão dos controles eletrônicos de estabilidade e tração entre os itens de série, o Fiat Argo Trekking 1.3 2021 também passou a ter mudanças discretas no visual, como o logotipo da marca na grade dianteira e os adesivos redesenhados, inclusive o que vai no centro do capô.

A pequena lista de mudanças também conta com novos opcionais, como partida por botão com chave presencial e ar-condicionado digital, dois itens que são bem-vidos mas, que acrescentam R$ 6.910 no preço como parte de um pacote que também vem com rodas de liga-leve de aro 15 montadas em pneus de uso misto (Pirelli ATR 205/65R 15). Some-se a isso a distância livre do solo de 21 cm e terá um hatch valente ao passar por valetas, lombadas e trilhas leves.

No dia a dia, outros itens também agradam ao volante do Argo Trekking 1.3 2021 , como a leveza da direção elétrica nas manobras, a boa ergonomia e a visibilidade, inclusive a proporcionada pelos retrovisores. Bom também é que o quadro de instrumentos tem mostrador digital e configurável e o sistema de som consegue reproduzir com certa qualidade graves e agudos.

Partida por botão é outro novo opcional do Argo Trekking 1.3 da linha 2021, que tem boa ergonomia
Divulgação

Partida por botão é outro novo opcional do Argo Trekking 1.3 da linha 2021, que tem boa ergonomia

Ainda por dentro, a Fiat poderia ter inclúído mais porta-objetos. Fica difícil guardar até o celular no apertado espaço disponível nas portas. No console central, há apenas um porta-copos, que não é dos mais generosos. E no painel, um pequeno porta-objetos serve apenas para miudezas, como o controle do portão da garagem. Pelo menos há uma entrada USB extra para quem vai sentado no banco traseiro.

O sistema multimídia é compatível com Apple Car Play e Android Auto, mas ainda não tem espelhamento sem fio, como nos novos sistemas da Stellantis disponíveis em modelos como Strada , Compass e Renegade . Certamente, a partir do novo SUV Pulse, que chegará em agosto, esse recurso vai se espalhar pelo resto da linha Fiat com mais rapidez.

Por falar em agilidade, o conjunto mecânico do Argo Trekking 1.3 se mostra o mais equilibrado da linha do compacto. O motor 1.3 Fire Fly consegue render 109 cv e bons 14,2 kgfm de torque a 3.500 rpm, o que garante fôlego suficiente para ultrapassagens em alguma agilidade.

Faltou apenas um câmbio manual de seis marchas , o que reduziria o consumo na estrada. Segundo o Inmetro, o carro faz 8,5 km/l de etanol em trechs urbanos e 9,6 km/l em rodoviários, dados que passam para 12,1 km/l e 13,5 km/l, com gasolina, respectivamente. Com tanque de 48 litros, consegue uma autonomia de até 648 km, na estrada, ainda conforme o Inmetro.

O i solamento acústico é aceitável e os freios funcionam a contento, com tambor na traseira. E agora que o carro tem controle eletrônico de estabilidade, dá para contornar nas curvas com mais segurança, mesmo com os pneus de uso misto . Na hora de viajar, o espaço para cinco ocupantes é apenas razoável, bem como a capacidade do porta-malas, que pode levar 300 litros, conforme a fabricante.

Conclusão

Com novos detalhes estéticos e controle eletrônico de estabilidade de série, o Fiat Argo Trekking 1.3 2021 ficou mais interessante e equiliibrado. Mas tem um forte rival, o Hyundai HB20X , que vem com motor 1.6, nível compatível de equipamentos e preço sugerido de R$ 75.090, o que e ligeiramente menos que o concorrente da marca italiana.

Ficha Técnica

Você viu?

Fiat Argo Trekking 1.3 2021

Preço: a partir de R$ 76.433

Motor: 1.3, quatro cilindros, flex

Potência (cv): 109 (E) / 101 (G) a 6.250 rpm

Torque (kgfm): 14,2 (E) / 13,7 (G) 3.500 rpm

Transmissão: Manual, cinco marchas, tração dianteira

Suspensão: Independente, McPherson (dianteira) / eixo de torção (traseira)

Freios: Discos ventilados (dianteiros) / tambores (traseiros)

Pneus: 205/60 R15 (Pirelli Scorpion ATR) Dimensões: 3,99 m (comprimento) / 1,72 m (largura) / 1,57 m (altura), 2,52 m (entre-eixos) Tanque: 48 litros

Porta-malas: 300 litros

Consumo gasolina: 12,1 km/l (cidade) / 13,5 km/l (estrada)

0 a 100 km/h: 10,8 segundos

Velocidade máxima: 173 km/h

Fonte: IG CARROS

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carros e Motos

Honda Biz da linha 2022 ganha cores e atualizações estéticas

Publicado


source


Honda Biz 125 e Biz 110i 2022 ganha atualizações estéticas e novas cores entre as principais mudanças
Divulgação

Honda Biz 125 e Biz 110i 2022 ganha atualizações estéticas e novas cores entre as principais mudanças

A Honda lança a linha 2022 de suas motocicletas Biz 125 e Biz 110i, modelos que tem como origem o modelo C100 Dream, feita de 1992 até 1997 e que representou no mercado nacional as pioneiras CUB – Category Upper Basic, em produção desde o final dos anos 1950.

Em produção desde 1998, a Honda Biz já conta com 4 milhões de unidades produzidas em 23 anos consecutivos e para o ano de 2022 chega com novos grafismos e cores.

Para a Biz 125 serão duas as novas cores: a bicolor branca e azul, e a vermelha, de nova tonalidade. Permanecem as cores branco perolizado e marrom perolizado. Na Biz 110i as novas cores são o vermelho e prata metálico, sendo mantida a branca.

Na parte da motorização, enquanto a Biz 125 conta com um monocilindro OHC arrefecido a ar de 124,9 cc de 9,2 cv de potência e 1,04 kgfm de torque que pode ser abastecida tanto com gasolina quanto etanol em proporções variadas.

Já na Biz 110i o motor é o mesmo, mas só pode ser usado com gasolina. De acordo com a marca, tem 8,33 cv e 0,89 kgfm de torque . Ambos os modelos vêm com câmbio semiautomático, que dispensa o acionamento de embreagem.

Esteticamente, a principal diferença entre elas está no tipo de rodas e sistema de frenagem. Na Biz 125 as rodas são de liga leve (17 polegadas na dianteira e 14 polegadas na traseira) e a frenagem CBS – Combined Brake System – atua em disco na dianteira e tambor na traseira. Já a Biz 110i usa rodas raiadas, com freios a tambor também dotados de CBS.

Disponíveis na rede de concessionários Honda a partir de outubro, as Honda Biz 125 e Biz 110i modelo 2022 tem preço público sugerido base Distrito Federal, que não inclui despesas com frete ou seguro de R$ 11.590 (Honda Biz 125) e R$ 9.260 (Honda Biz 110i).

Fonte: IG CARROS

Continue lendo

Carros e Motos

VW Taos Comfortline: versão mais em conta do SUV vale a pena?

Publicado


source
VW Taos Comfortline: rodas são de aro 18 polegadas como na versão Highline, mas sem acabamento diamantado
VW Taos Comfortline

VW Taos Comfortline: rodas são de aro 18 polegadas como na versão Highline, mas sem acabamento diamantado

A VW demorou para entrar na briga entre os SUVs e, agora, procura tirar o atraso. Umas das novidades que passa a oferecer no Brasil é a versão Comfortine do Taos (R$ 159.785), que é R$ 27.500 mais em conta que a topo de linha Highline (R$ 187.285).

As principais diferenças entre ambos estão apenas na ausência de alguns itens mais sofisticados e em alguns detalhes estéticos, como as rodas sem acabamento diamantado e o filete de led na grade frontal.

A bordo do VW Taos Comfortline você ainda terá um bom pacote de equipamentos que inclui volante multifuncional revestido de couro com hastes para trocas sequenciais do câmbio automático de seis marchas, multimídia VW Play com tela de 10 polegadas e espelhamento sem fio, controles eletrônicos de estabilidade e tração, carregador de celular por indução e painel digital com tela de 8″.

Mas ficará sem o cluster configurável de 10,25″ ( o que significa que não terá muitas escolhas de como deseja que fique o contagiros e o velocímetro). Além disso, vai precisar ficar mais atento no trânsito sem o alerta de ponto cego . E o controlador de velocidade (“piloto automático”) não será adaptativo, ou seja, sem a função de manter o carro a uma distância do que segue a frente.

E daí? Bem, se é essa sua reação, vamos em frente. Melhor economizar a diferença em relação ao Taos topo de linha, até porque o conjunto mecânico é o mesmo.

Porém, é bom saber que, mesmo mais em conta que o Highline, o Taos Conforline custa mais que a versão básica do seu principal concorrente, o Jeep Compass . Estamos falando do Sport 1.3 turboflex, que tem preço sugerido de R$ 151.181 e vem com motor de 185 cv e uma lista de itens de série bem recheada com multiídia de 8,4 polegadas, câmera de ré, sensor de chuva, freio de estacionamento eletrônico, entre outros.

No Taos o motor é o bem conhecido 1.4 turboflex, de 150 cv e 25,5 kgfm a 1.500 rpm, números que são apenas razoáveis para conseguir alguma agilidade, com uma relação entre peso e potência de 9,5 kg/cv (ante 8,1 kg/cv do Compass).

O câmbio automático de seis marchas Aisin também não ajuda muito a dar fôlego ao SUV, sendo mais voltado à economizar combustível e a manter a conforto, com relações longas.

VW Taos Comfortline tem interior espaçoso e algumas diferenças em relação ao topo de linha, como o cluster
VW Taos Comfortline

VW Taos Comfortline tem interior espaçoso e algumas diferenças em relação ao topo de linha, como o cluster

De fato, não há do que reclamar do silêncio a bordo do VW Taos Comforline , que conta com bom isolamento acústico e um rodar confortável, mesmo com rodas de aro 18 montadas em pneus 215/55R. O volante e a alavanca de câmbio são iguais aos do compacto T-Cross , o que é um fator que pode ser interpretado como uma maneira de reduzir custos.

Mas no caso do VW Taos ,  existem outros itens exclusivos, como o painel, o desenho dos bancos e as laterais das portas. Além disso, o espaço interno é maior, não apenas que no T-Cross , mas também na comparação com os principais rivais.

A distância entre-eixos de 2,68 metros do VW é mais larga que a do Jeep Compass e do Toyota Corolla Cross (2,64 m em ambos). Significativa mesmo é a diferença de volume no porta-malas do VW, de 498 litros, ante 440 l do Corolla Cross e 410 do Compass.

Se o Taos não é um estouro ao acelerar, por outro lado, acaba sendo um SUV médio econômico . Conforme dados do Inmetro consegue fazer 7 km/l na etanol na cidade e 9 km/l na estrada, números que passam para 10,2 km/l e 12,5 km/l com gasolina, respectivamente.

O que complica mais a vida do VW Taos na briga com o Jeep Compass é a autonomia , também segundo o Inmetro. Na cidade, com gasolina, o primeiro pode rodar 520 km, ante 612 km do rival. E na estrada, o VW anda 638 km com tanque de 47 litros e o Jeep 702 km com o de 60 l. Com etanol, a vantagem do Compass continua, com 432 km na cidade e 498 na estrada, ante 357 km e 459 do Taos.

Conclusão

Se você quer um SUV médio espaçoso e não faz questão de itens muito sofisticados, o VW Taos é uma boa pedida. Além do espaço interno também entre os destaques a economia de combustível. Mas não espere um desempenho de tirar o fôlego.

Na comparação com a versão topo de linha, a mais em conta Comfortline também não conta com detalhes estéticos que não fazem tanta falta, como as rodas de acabamento diamantado e o filete de led na grade frontal.

Ficha técnica Motor: 1.4, quatro cilindros, turboflex Potência: 150 cv a 5.000 rpm Torque: 25,5 kgfm a 1.500 rpm Transmissão: Automático, 6 marchas, tração dianteira Suspensão:Independente (dianteira) e multibraço na traseira Freios: Discos ventilados na dianteira e sólidos na traseira Pneus: 215/55 R18 Dimensões: 4,46 m (comprimento) / 1,84 m (largura) / 1,63 m (altura), 2,68 m (entre-eixos) Tanque : 51 litros Porta-malas: 498 litros Consumo: 10,2 km/l (cidade) /12,5 km/l (estrada) com gasolina 0 a 100 km/h: 9,3 segundos Vel. Max: 194 km

Fonte: IG CARROS

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana