conecte-se conosco


Geral

Fazendas de traficante em Mato Grosso não são arrematadas no 2º leilão

Publicado


As duas propriedades ficam do traficante Cabeça Branca ficam no norte de Mato Grosso

As duas fazendas de Luiz Carlos da Rocha, o Cabeça Branca, considerado um dos maiores traficantes da América do Sul, que foram a leilão nesta terça-feira (13) com 20% de desconto não foram arrematadas. Cabeça Branca foi preso em Sorriso, a 420 km de Cuiabá, em julho de 2017.

Agora, conforme informações da Justiça Federal, as fazendas ficarão disponíveis para venda direta junto à empresa que realiza os leilões pelo prazo de três meses. Em seguida, se não forem compradas, voltam para a Justiça, que deve analisar se os valores podem ser diminuídos para serem leiloadas novamente.

As propriedades estão localizadas em Marcelândia, a 712 km de Cuiabá, no norte mato-grossense. Uma delas, denominada como Fazenda Estrelinha possui 596,4595 hectares entre área aberta utilizada para a produção de grãos e mata nativa.

O local contém como benfeitorias: dois barracões, duas casas de alvenaria e quatro casas de madeira. Ela estava avaliada em R$ 7,5 milhões e foi oferecida nesta terça-feira por R$ 6 milhões.

Leia Também:  Deputado quer proibir apreensão de veículos que estejam com IPVA atrasado

Já a segunda fazenda, chamada de Fazenda Jupinda 2, tem 620,5725 hectares, encontra-se coberta por vegetação nativa e não possui benfeitorias. Sua avaliação era de R$ 1,2 milhão e foi oferecida por R$ 992,9 mil.

publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Geral

Tribunal de Justiça nega liberdade a Arcanjo; gerente da Colibri será monitorado por tornozeleira eletrônica

Publicado

Pedido de Habeas corpus foi julgado nesta quarta-feira. Arcanjo peida extensão do HC concedido ao seu genro Giovanni Zem

O Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) negou nesta quarta-feira (21), pedido de liberdade impetrado pela defesa do bicheiro João Arcanjo Ribeiro, preso no último dia 29 de maio durante a “Operação Mantus”. A defesa solicitava para Arcanjo, a extensão da decisão que libertou seu genro, Giovanni Zem e o empresário Frederico Muller Coutinho, apontado como líder da organização FMF, concorrente da Colibri, de propriedade de Arcanjo. Os dois também haviam sido presos na mesma operação.

Esta foi a segunda derrota do bicheiro acusado de atuar jogo do bicho em Mato Grosso nesta semana. No domingo (18) o ministro Ribeiro Dantas, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), já havia negado um habeas corpus ao bicheiro e determinou que o pedido fosse encaminhado pra o TJMT. Votaram pela manutenção da prisão os desembargadores Rui Ramos Ribeiro (relator) e Gilberto Giraldelli. Juvenal Pereira da Silva votou pela liberdade de Arcanjo.

Leia Também:  Empresa divulga gabarito de seletivo para preencher vagas no novo pronto-socorro

Liberdade


O gerente José Carlos de Freitas, que será monitorado por tonozeleira

Na mesma sessão, os desembargadores decidiram pela soltura do gerente da empresa Colibri, José Carlos de Freitas, que foi preso em Recife durante a “Operação Mantus”. Ele deverá cumprir medidas cautelares, entre elas o monitoramento por tonozeleira eletrônica.

Pesou a seu favor o fato de não possuir antecedentes criminais, “apesar de, supostamente, ter compactuado para os crimes de lavagem de dinheiro e jogo do bicho”.

A “Operação Mantus” cumpriu 63 mandados judiciais, sendo 33 de prisão preventiva e 30 de busca e apreensão domiciliar, expedidos pelo juiz da 7ª Vara Criminal da Comarca de Cuiabá, Jorge Luiz Tadeu. As ordens judiciais foram cumpridas em Cuiabá, Várzea Grande e em mais 5 cidades do interior do Estado. Arcanjo foi preso na sua residência, e seu genro detido no aeroporto de Guarulhos (SP) com apoio da Polícia Federal.

Continue lendo

Geral

Sine MT oferece 1.187 vagas de trabalho em Cuiabá e no interior

Publicado

Os interessados podem procurar as unidades ou baixar o aplicativo Sine Fácil

O Sistema Nacional de Emprego (Sine-MT) oferece 1.187 vagas de trabalho para esta semana. As vagas estão distribuídas em diversas áreas e nos 28 municípios do Estado que possuem unidades do Sine.

Em Cuiabá e Várzea Grande, para as pessoas que buscam uma oportunidade são 65 vagas disponíveis, ao todo. Para o público em geral são 54 vagas nas áreas de pesquisador de preços, atendente de lanchonete, motorista de ônibus rodoviário, vendedor no comércio de mercadorias, entre outros.

Já para as pessoas com deficiência (PCD) são 11 vagas de emprego. As funções são para telefonista, porteiro, estoquista, auxiliar de logística, auxiliar de limpeza, auxiliar administrativo, ajudante de carga e descarga de mercadoria.

No interior entre os municípios com vagas disponíveis estão: Lucas do Rio Verde, Sinop, Rondonópolis, Sorriso, Sapezal, Cáceres, Jaciara, Juara, Guarantã do Norte, Diamantino, Barra do Garças, Confresa, Colíder, Campo Verde, Nova Mutum, dentre outros.

Leia Também:  Empresa divulga gabarito de seletivo para preencher vagas no novo pronto-socorro

Os interessados podem comparecer na unidade mais próxima de sua residência na capital e no interior ou baixar o aplicativo Sine Fácil. A ferramenta permite ao trabalhador encontrar, de forma prática e rápida, vagas de emprego adequadas ao seu perfil.

A coordenadora de Apoio ao Trabalhador e de Gestão do Sistema Público de Emprego do Sine, Simone Koeller, explica que por meio do aplicativo é possível verificar as vagas de emprego de acordo com o local de residência e perfil profissional do trabalhador, além de fazer o próprio agendamento.

Simone enfatiza que é possível ainda, pesquisar os serviços como o seguro desemprego, vínculos empregatícios do trabalhador e consultar o abono-salarial. “O aplicativo tem como intuito facilitar o acesso às informações que o trabalhador busca, de forma prática, sem sair de casa”, disse.

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana