conecte-se conosco


Geral

Falsos advogados usam TRT e tentam aplicar golpe da cobrança para liberar alvará em 100 trabalhadores

Publicado

Quem tem processo na Justiça do Trabalho em Mato Grosso deve ficar atento a um golpe que vem sendo praticado: criminosos entram em contato com trabalhadores se passando por advogados, informam que há um valor disponível na Justiça para ser sacado e pedem transferência em pix para pagamento de falsas custas.

O TRT-23 informa que não recolhe valores por pix. Eventual cobrança de custas do processo é realizada apenas via Guia de Recolhimento da União (GRU).

Golpe

Até o momento, a informação é que foi realizada tentativa de golpe em cerca de 100 trabalhadores do município de Pontes e Lacerda. Dois deles transferiram R$3.800 cada. Ambos são clientes da advogada Fabiane Batistetti, que atua há 22 anos na região e nunca trocou o número de telefone.

“Os golpistas pegaram a logo do meu escritório e usaram como foto e entraram em contato com os clientes por outro telefone. Uma trabalhadora fez um pix parcelado e a outra pegou dinheiro emprestado com a filha para pagar os golpistas”.

Segundo a advogada, os criminosos informam por whatsapp que estão no Tribunal recolhendo o alvará para liberação dos valores. Na sequência avisam que o governo vai descontar 27% do total, a menos que o cliente pague uma “certidão para isentar dessa cobrança” no valor de R$3.800.

A advogada alerta para que nunca se faça qualquer transferência sem confirmar a identidade da pessoa que está falando. “Pede um áudio, liga de volta, faz uma chamada de vídeo ou vá até o escritório do seu advogado”, aconselha.

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Geral

Servidor do TJ que desviava dinheiro para pagamento de perícia é condenado a perda de cargo público

Publicado

Pitágoras de Arruda trabalhava como assessor de um juiz e foi preso em 2018

O servidor do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), Pitágoras Pinto de Arruda, foi condenado à perda de cargo público no próprio órgão por desvio de dinheiro do Poder Judiciário através de pagamentos de honorários de psiquiatra, no Fórum de Cuiabá. A decisão é da juíza da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, Ana Cristina Mendes, e foi publicada nesta segunda-feira (8).

Além da perda de emprego público, o servidor foi condenado a 3 anos e 2 meses de prisão em regime aberto, substituída por duas penas restritivas de direito, como a prestação de serviços comunitários, que ainda serão estabelecidos pela Justiça.

O esquema veio a tona em abril de 2018 com a deflagração da “Operação Regresssus”, da Polícia Judiciária Civil. A fraude, tanto do desvio do dinheiro quanto os documentos falsos, foi denunciada à Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) pelo juiz da Segunda Vara Criminal, Geraldo Fidélis.

Pitágoras trabalhou como assessor de Fidelis por sete anos e foi desligado da Vara no final de janeiro de 2018, depois que o magistrado identificou as fraudes e os desvios. Ele confessou ter desviado R$ 28,1 mil de uma conta bancária utilizada pela Vara de execuções penais para pagamento de pericias judiciais e devolveu a quantia em juízo.

A beneficiaria dos valores era a mãe do servidor, que recebeu entre 2016 e 2018. Foram feitos 10 pagamentos em nome dela que chegaram a R$ 26 mil. Servidor concursado como técnico judiciário do TJMT e de confiança, Pitágoras utilizava da senha pessoa do juiz para cometeras fraudes. Ele justificava as transferências como se elas fossem pagamentos para psiquiatras realizarem exame criminológico nos casos de progressão de regime.

Mesmo Pítágoras admitindo as irregularidade e devolvendo os valores desviados, a juíza Ana Cristina decidiu pela sua exoneração do serviço público.

 

 

 

 

Continue lendo

Geral

Adolescente e criança são monitorados por suspeita de varíola de macacos; Cuiabá tem duas confirmações

Publicado

Pacientes monitorados são de Rondonópolis

G1– Dois casos de varíola dos macacos são investigados em um adolescente de 13 anos e uma criança de 8 anos em Rondonópolis, ( 218 km de Cuiabá). De acordo com Secretaria de Saúde do município, os pacientes estão com sintomas leves da doença.

Ao todo, Rondonópolis possui três casos suspeitos de varíola dos macacos. O outro paciente é um homem de 48 anos que também está com sintomas leves.

Segundo a secretaria, os pacientes realizaram exames e aguardam os resultados.

O município de Sorriso (402 km de Cuiabá), também acompanha um caso suspeito de varíola dos macacos desde o dia 4 deste mês. Segundo o município, o paciente procurou atendimento médico ao apresentar sintomas, após retornar de viagem de uma região com casos confirmados.

Ainda há a investigação de outros dois casos suspeitos em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá.

Casos confirmados

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT) confirmou dois casos positivos em Cuiabá. Os pacientes eram monitorados desde o dia 28 de julho. Os dois casos envolvem homens de 39 e 40 anos, que estiveram fora da cidade e apresentam sintomas leves da doença.

Conforme a secretaria, os dois pacientes suspeitos apresentaram lesões características da doença, mas sem nenhuma complexidade. Os dois indivíduos estão em isolamento até o desaparecimento completo das lesões.

 

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana