conecte-se conosco


Policial

Falsa médica é flagrada pela Polícia Civil fazendo botox e harmonização em clínica em Cuiabá

Publicado

Mulher se apresentava com títulos profissionais que não possui e aplicava medicamentos que só podem ser adquiridos por médicos e biomédicos [Foto – PJC]

A Delegacia Especializada de Defesa do Consumidor (Decon), em conjunto com a Vigilância Sanitária de Cuiabá e os Conselhos Regionais de Medicina e de Biomedicina, realizou uma ação integrada para apurar denúncia de prática de exercício ilegal da medicina e da biomedicina e de falsidade ideológica em uma clínica de beleza na Capital.

A fiscalização foi realizada na manhã desta quarta-feira (20), em um SPA localizado no bairro Jardim Imperial, em Cuiabá. O alvo da operação é uma mulher de 25 anos, que supostamente vinha exercendo ilegalmente as profissões de médica e de biomédica.

Conforme investigação da Decon, a suspeita se apresentava como doutora e usava a abreviação Drª antes do seu nome. Ela também divulgava em uma rede social o número de registro de outra pessoa no Conselho Regional de Biomedicina como sendo seu.

Segundo apuração realizada pelos policiais civis, a investigada publicava que era bacharel no curso de biomedicina, formada por uma faculdade particular de Várzea Grande, e com especialização em estética invasiva e habilitação, que permite realizar procedimentos como lipoaspiração de papada, botox, harmonização facial e outros, por outra instituição de ensino.

No entanto, em contato com as duas unidades educadoras, ambas informaram à Polícia Civil que a suspeita não possui registros de formação nos referidos cursos.

A Decon também teve acesso a vídeos em que a mulher aparece realizando procedimentos invasivos, entre eles a aplicação de anestesia local, cauterização de manchas de pele, preenchimento labial, aplicação de botox, escleroterapia de vasos e até pequenas cirurgias com a remoção de pele, procedimentos que só devem ser feitos por profissional formado na área da saúde, com especialização em clínicas médicas ou hospitais, além de necessitar de alvará sanitário e suporte para socorro ao paciente em caso de complicações.

Durante a fiscalização, a equipe da Vigilância Sanitária notificou os responsáveis pelo SPA para que sejam alterados os alvarás de localização, funcionamento e da Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAES), para inclusão de outras atividades referentes a salão de cabeleireiro, manicure e pedicure e, de forma secundária, atividades de estética.

No local também foram apreendidas agulhas e dezenas de frascos de produtos e de medicamentos que estavam sendo utilizados pela suspeita nos atendimentos. Alguns dos medicamentos apreendidos só podem ser comprados por médicos ou biomédicos.

À Polícia Civil, os proprietários alegaram que não sabiam que a funcionária não era biomédica e nem esteticista e que ela havia entregado cópia de diplomas, da carteira funcional do Conselho de Biomedicina e de outros documentos. Contudo, até o início da tarde desta quarta-feira (20), os donos da clínica não haviam enviado as cópias dos documentos à delegacia especializada.

Conforme o delegado da Decon, Rogério Ferreira, as investigações continuam e todos os envolvidos já foram intimados para serem ouvidos e prestarem esclarecimentos.

Os consumidores que foram atendidos pela suspeita, acreditando que a profissional fosse doutora, poderão procurar a Decon para denunciar a mulher e ajudar no esclarecimento dos fatos.

“A Delegacia do Consumidor alerta para o risco à vida, à saúde e à integridade física do consumidor, em realizar procedimentos invasivos, como botox e harmonização facial, com pessoa que não é formada na área da saúde ou que não possui a especialização necessária para esse tipo de atendimento, ou ainda em locais que não possuem o alvará da vigilância sanitária e o suporte necessário para prestar socorro em caso de necessidade”, completou o delegado Rogério Ferreira.

 

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Policial

Líder de organização criminosa é preso em Cuiabá após investigação da Polícia Civil

Publicado


Assessoria/Polícia Civil-MT

Um homem investigado pela Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Nova Mutum por envolvimento com uma facção criminosa que age no município foi preso na terça-feira (02.03), em Cuiabá, com apoio da Gerência de Polinter e Capturas da Polícia Civil.

F.F.L, de 29 anos, foi preso no bairro Tijucal, em Cuiabá. Ele responde a um inquérito instaurado pela DERF de Nova Mutum em 2020 para apurar os crimes de organização criminosa majorada, tortura majorada e roubo majorado em concurso de pessoas. 

De acordo com a equipe da Polinter, durante o cumprimento do mandado de prisão, o investigado não acatou a ordem de prisão e tentou fugir dos policiais civis, que necessitaram empregar técnicas de imobilizações para conter o procurado da Justiça. Após a prisão, ele foi conduzido à sede da Polinter para os trâmites administrativos.

Investigação

Conforme a investigação, em setembro do ano passado, um adolescente foi apreendido pela delegacia especializada por ato infracional análogo a roubo majorado, quando roubou um celular de um transeunte, mediante emprego de arma de fogo. 

Durante a oitiva, o adolescente confessou o ato infracional e informou que, por ter roubado o celular, foi punido por membros da organização criminosa com intensas agressões físicas, sendo toda a ação violenta gravada em um vídeo, que foi compartilhado em grupos de whatsapp. Além das agressões, os criminosos exigiram que o adolescente entregasse o celular roubado a eles. 

Outros cinco integrantes da facção, identificados durante a investigação, tiveram as prisões representadas à Justiça e os mandados cumpridos ainda no ano passado. Um criminoso ainda encontra-se foragido. 

Além do mandado de prisão em desfavor do líder da facção, também foi dado cumprimento ao mandado de prisão de recaptura de um dos fugitivos da Cadeia Pública de Nova Mutum, ocorrido em 29 de janeiro.

Fonte: PJC MT

Continue lendo

Policial

Casal é preso em ponto de tráfico no Jardim Paulista, em Rondonópolis

Publicado


Assessoria | Polícia Civil-MT

Um casal envolvido com o comércio de entorpecentes em Rondonópolis (212 km ao sul de Cuiabá) foi preso pela Polícia Civil, na quarta-feira (03.03). A ação da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) do município resultou na apreensão de mais de 40 porções de drogas embaladas e prontas para a venda, dinheiro e outros materiais.

O suspeito de 37 anos e a mulher de 50 anos, com diversas passagens criminais e conhecida por sua perspicácia em ocultar entorpecentes, foram autuados em flagrante pelos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico.

Há dois meses, após uma denúncia à Derf-Rondonópolis sobre venda de drogas, os policiais civis vinham monitorando um endereço no bairro Jardim Paulista por indícios de funcionar como um ponto de esquema do tráfico. 

Durante vigilância do local foi identificada circulação de pessoas no período diurno, e com intensificação no movimento no período noturno, fatos característicos ao tráfico de drogas. Segundo apuração, o casal morador do imóvel era muito experiente na esconderijo das substâncias ilícitas em lugares de difícil acesso.

Na noite de quarta-feira (03), os investigadores perceberam que havia drogas na casa, em razão de um entra e sai rápido e dinâmico. Diante das suspeitas a equipe abordou o suspeito e encontrou na casa sacolas cortadas, vários aparelhos celulares e outros objetos possivelmente trocados por usuários de entorpecentes e uma máquina de cartão de crédito/débito. 

Dentro de uma jaqueta, os policiais civis apreenderam mais de R$ 370 em dinheiro trocado oriundos do tráfico. Durante a diligência, um usuário chegou no imóvel e relatou que teria ido comprar entorpecentes do casal, pois o local era um ponto de venda conhecido na região. Nas buscas, a moradora apresentou bastante nervosismo e insistia em ficar sem algemas, como se tivesse a intenção de permanecer com as mãos livres para dispensar alguma coisa.

A mulher foi questionada se estaria com entorpecentes em seu corpo, quando ela respondeu que sim e retirou do short uma sacola com 43 porções de pasta base cocaína prontas para a venda.

Com base nos fatos, o casal foi conduzido até a Derf-Rondonópolis junto com todo material apreendido, interrogados e autuados em flagrante pelos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico. Após a confecção dos autos ambos foram colocados à disposição da Justiça.

Fonte: PJC MT

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana