conecte-se conosco


Educação

Exposição explica relatividade e aventura para ver eclipse em Sobral

Publicado

“A pergunta que minha mente formulou foi respondida pelo ensolarado céu do Brasil”. A frase, de Albert Einstein, se destaca na exposição “O Eclipse – Einstein, Sobral e o GPS”, inaugurada hoje (29), no Museu de Astronomia e Ciências Afins (Mast), no Rio de Janeiro, para comemorar os 100 anos da expedição que confirmou a Teoria da Relatividade Geral com a observação de um eclipse solar na cidade cearense.

Os cientistas envolvidos na observação buscavam comparar fotos do eclipse com outros momentos e comprovar se o Sol provocava curvas na luz emitida por outras estrelas. As fotos comprovaram a mudança de posição das estrelas no céu sem a luz do sol, o que demonstrou que o físico alemão estava correto. Pesquisadores do Reino Unido vieram ao Brasil para realizar o estudo, que foi acompanhado pelo Observatório Nacional, dirigido à época por Henrique Morize.

O Museu de Astronomia inaugura a exposição Eclipse, que marca a comemoração do centenário da comprovação da teoria da relatividade geral de Isaac Newton, em São Cristóvão, na zona norte do Rio de Janeiro.

Museu de Astronomia inaugurou a exposição Eclipse, que marca a comemoração do centenário da comprovação da teoria da relatividade geral – Tomaz Silva/Agência Brasil

O astrônomo Carlos Veiga, do Observatório Nacional, disse que o Brasil teve a sorte de ser o melhor ponto para fotografar o eclipse solar, que durou cinco minutos. O tempo em Sobral estava nublado, mas as nuvens se abriram antes de o evento astronômico começar. Pesquisadores que se dirigiram a outro ponto eleito para a observação, a Ilha do Príncipe, na África, não tiveram a mesma sorte, porque choveu durante o fenômeno.

“Foi importante para a gente saber que a física estava sendo mudada, e que o papel do Brasil tinha que mudar”, disse Carlos, que, apesar disso, aponta que o país demorou para de fato colher os frutos dessa cooperação científica, formando um corpo mais robusto de pesquisadores a partir da década de 1960.

Exposição

A entrada no museu é gratuita, e a exposição apresenta o contexto de que Einstein partiu para formular a teoria que mudou os rumos da ciência. O visitante percorre também os desafios da expedição que levou os britânicos a Sobral e conta com recursos interativos para explicar como as fotos comprovaram o que Einstein havia proposto.

O curador Marcello Dantas explica que a intenção é cativar o público e contar história e ciência, conectando a Teoria da Relatividade Geral com as aplicações práticas que ela possibilitou, como os GPS usados para todo tipo de aplicativos para celulares e mapas.

“A exposição faz você vivenciar um eclipse para entender o que estava em jogo”, disse Dantas, que destaca também a jornada dos pesquisadores brasileiros e estrangeiros para levar equipamentos de ponta para Sobral, que era bem menor do que é hoje. “Era uma cidade muito pequena, que nunca tinha visto um automóvel, não tinha luz elétrica, não tinha geladeira. Foi uma expedição hercúlea chegar com esse nível de ciência que havia na época em um lugar tão remoto, distante e desestruturado. Ciência também pode ser uma aventura”.

Centro

A exposição foi inaugurada em um evento que marcou também a abertura do Centro de Visitantes do Mast, uma antessala que apresenta as atrações do museu, sua história e também a estrutura da área em que ele funciona, compartilhada com o Observatório Nacional.

A diretora do museu, Analise Pacheco, disse que o novo centro de visitantes inclui elevadores panorâmicos para 15 pessoas, que substituirão o elevador histórico, que transportava três passageiros por vez entre a rua e o museu, que fica em uma colina.

Anelise anunciou ainda que o museu fará uma parceria com a Secretaria Municipal de Educação, para trazer escolas de todas as coordenadorias regionais de educação para o museu.

“A gente não vai conseguir trazer todos os 650 mil alunos, mas se trouxermos 65 mil, já será uma grande coisa”, disse a diretora,acrescentando que o museu tem as escolas como seu maior público. “A gente faz as exposições para as escolas. Nossa primeira missão é atrair esse publico jovem e motivar esse público jovem”.

A inauguração contou com a presença do subsecretário de unidades vinculadas do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Lorenzo Justo.

Edição: Fernando Fraga

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Prêmio Professor Transformador anuncia vencedores

Publicado


.

A cerimônia de premiação da primeira edição do Prêmio Professor Transformador será realizada em dois dias, hoje (14) e amanhã (15). Em função da pandemia do novo coronavírus, o evento será online e aberto à participação do público, que deverá fazer a inscrição antecipada no site do prêmio.

Serão premiados os três primeiros colocados nas categorias Educação Infantil, Ensino Fundamental 1 e 2 e Ensino Médio. O prêmio foi lançado no ano passado, visando a destacar projetos educacionais inovadores, alinhados à Base Nacional Comum Curricular (BNCC), desenvolvidos por professores da educação básica em todo o país.

O encontro reunirá especialistas para debater os desafios dos professores no contexto da pandemia e apresentar ferramentas e soluções que passam por temas como estresse, autocuidado, pedagogia da emergência e alegria na educação. Os 12 projetos educacionais mais transformadores do Brasil, selecionados pelo prêmio, serão apresentados durante o evento.

O Prêmio Professor Transformador é promovido em conjunto pela Base2Edu, Bett Educar, Instituto Significare. Nessa primeira edição, o concurso recebeu mais de 1.200 projetos de todo o país, resultando na seleção de 12 finalistas.

Programação

A palestra do terapeuta social, psicopedagogo e cofundador da Associação da Pedagogia de Emergência no Brasil, Reinaldo Nascimento, abre a programação do primeiro dia do evento, com o tema Como a educação pode transformar crises em oportunidades?. Em seguida, os professores finalistas nas categorias Educação Infantil e Ensino Fundamental I apresentarão seus projetos. A especialista em Mindfulness (estar atento) e fundadora da Mindkids, Daniela Degani, encerrará os trabalhos no dia 14, abordando o tema Mindfulness em sala de aula: redução de estresse de alunos e professores.

No dia seguinte (15), o encontro online começará com palestra do ator Wellington Nogueira, fundador da organização não governamental (ONG) Doutores da Alegria no Brasil, sobre Alegria + Sala de aula = Encontro Potente. Em seguida, os professores finalistas nas categorias Ensino Fundamental II e Ensino Médio apresentarão seus trabalhos.

O ciclo de palestras será encerrado por Lia Glaz, líder do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre o Professor, enquanto a área de políticas docentes do Instituto Península apresentará os resultados da pesquisa Sentimento e percepção dos professores brasileiros nos diferentes estágios do novo coronavírus no Brasil.

Finalistas

Na categoria Educação Infantil, os finalistas são Anderson Kubiaki, com o projeto Um Brinquedo Chamado Natureza – Aldeia da Fraternidade – Porto Alegre/RS; Graziela Dalcastagner – Projeto Amigos da Horta – Sesi Escola – Brusque/SC; Raelen Gonçalves – Projeto Extra, extra, extra: tá na hora de brincar – Escola Municipal Profª Therezinha Soares – Mogi das Cruzes/SP.

Os finalistas na categoria Ensino Fundamental 1 são Alberto Rodrigues – Projeto Códigos da Cidade – EMEIF Gilberto Bonafé – Piraju/SP; Edivanderson Lopes – Projeto Plantando Conhecimento – Escola Municipal Santa Cruz – Santarém/PA; e Janaína Fernandes – Projeto Fábrica de Aventuras – Colégio Espanhol Santa Maria Minas – Belo Horizonte/MG.

Os projetos finalistas na categoria Ensino Fundamental 2 são dos professores Francilda Fonseca – Projeto Sarilho: a história vira cena – Escola Municipal Santa Bárbara – Santa Bárbara/MA; Mytse Nogueira – Projeto Operação Carne Forte: estudo dos nutrientes a partir da carne – Escola Municipal Profª Scintilla Exel – Queimados/RJ; e Raquel Zandonadi – Projeto Fanfiqueiros de Papel – Escola Municipal Sebastião Tavares de Oliveira – Praia Grande/ SP.

Por último, os finalistas na categoria Ensino Médio são Flávia Arante – Projeto Clube da Luta – Cólegio Uninove – Vila Maria/SP; Henrique Pereira – Prioridade: Vida – Metodologias Ativas no Estudo do Corpo Humano – Escola Estadual Ângelo Scarabucci – Franca/SP; e Márcia Ribeiro – ProjetoCiências com Elas: Meninas mudando seu mundo para mudar o mundo – Instituto Federal do Tocantins /TO.

Premiação final

Os primeiros colocados em cada categoria do 1º Prêmio Professor Transformador receberão prêmio em dinheiro no valor de R$ 7 mil, cada um, e uma viagem internacional para participar da Bett Educar 2021, em Londres, na Inglaterra. Os segundos e terceiros colocados também receberão prêmios em dinheiro, no valor de R$ 2,5 mil cada. Após a solenidade, será anunciada a data do início das inscrições para a segunda edição do prêmio.

 

Edição: Graça Adjuto

Continue lendo

Educação

USP afasta aluno acusado de fraudar sistema de cotas

Publicado


.

A Universidade de São Paulo (USP) afastou nesta segunda-feira (13), de forma inédita, um estudante do curso de Relações Internacionais sob a alegação de fraude no sistema de cotas da universidade. A instituição não divulgou o nome do aluno. Ainda cabe recurso da decisão.

Segundo a USP, caso haja comprovação da fraude ao final do processo administrativo, o aluno será desligado da universidade. Se for expulso, o estudante ficará impossibilitado de realizar nova matrícula na instituição pelos próximos cinco anos.  

De acordo com a universidade, tanto as sindicâncias quanto os processos administrativos são conduzidos por comissões formadas por docentes da universidade especificamente para esse fim. Os relatórios resultantes dessas comissões são classificados como documentos sigilosos.

A universidade informou que não foi possível constatar a conformidade das características fenotípicas com a autodeclaração de PPI (pretos, pardos e indígenas) do estudante. A USP adota a reserva de vagas para alunos de escolas públicas e autodeclarados PPI desde o vestibular de 2018. 

Em 2019, a universidade teve mais de 40% de alunos matriculados oriundos de escolas públicas e, dentre eles, 40,1% na modalidade PPI, o maior índice alcançado pela USP nos últimos anos. Em 2020, essa porcentagem foi equivalente a 47,8% do total de ingressantes, dos quais 45,6%, PPI. Para 2021, 50% das vagas de cada curso de graduação e turno estão reservadas para candidatos egressos de escolas públicas e PPI.

Edição: Fábio Massalli

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana