conecte-se conosco


Nacional

Ex-ministro da Saúde ataca Bolsonaro: ‘levou Brasil ao abismo’

Publicado


source
Mandetta e Bolsonaro
Isac Nóbrega/PR

Mandetta e Bolsonaro

Luiz Henrique Mandetta , ex-ministro da Saúde, fez duras críticas ao presidente Jair Bolsonaro , em entrevista ao jornal britânico The Guardian, um dos mais importantes do mundo.

Na reportagem, Mandetta acusou Bolsonaro de levar os brasileiros a um “abismo mortal” por causa de seu egoísmo e sua posição anticientífica.

“É interessante como ele rejeita totalmente a ciência e desdenha de todos que falam de ciência. Ainda assim, quando houver alguma perspectiva de vacina, ele vai ser o primeiro a bater à porta da ciência. Como se uma vacina fosse redimi-lo de sua marcha titubeante através da pandemia”, afirmou o ex-ministro, que foi demitido em abril após uma série de desentendimentos com o presidente.

Para Mandetta, Bolsonaro faz política com a morte de milhares de brasileiros.

“Ele conduziu o povo brasileiro para um desfiladeiro em marcha rápida e as pessoas caíram e morreram – e ter que reconhecer que isso foi um erro, que causou dor, acho que deve ser politicamente complicado para ele agora”, aponta.

Atualmente o Brasil soma mais de 106 mil mortes por Covid-19 , ficando atrás apenas dos EUA em número de casos e óbitos. Mesmo fora do ministério, Mandetta, que é considerado um possível candidato a presidenência em 2020, opinou sobre o atual momento da pandemia, acreditando que ela deve se amenizar somente no fim de setembro.

“Espero que o líder que saia vitorioso em 2022 seja capaz de reconstruir a fábrica social quebrada do Brasil dando ao país um senso de unidade e aceitando que não é normal sair dizendo que brasileiros gostam de rolar no esgoto”, declarou, lembrando a frase de Bolsonaro de que o brasileiro deveria ser estudado, pois mergulha no esgoto e não contrai nenhuma doença.

Pesquisa Datafolha divulgada neste sábado aponta que 47% dos brasileiros consideram que o presidente não tem qualquer culpa pelas mortes decorrentes da covid-19 no Brasil. Os que acham que Bolsonaro tem responsabilidade somam 52%. Desses, 11% os o veem como principal culpado e 41% avaliam que ele é um dos culpadaos, mas não o único.

O instituto ouviu 2.065 eleitores pelo celular, nos dias 11 e 12 de agosto.

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nacional

Sem chuvas, calor retorna nesta quarta em São Paulo

Publicado


source
céu com algumas nuvens
Reprodução/CreativeCommons/Spraf

A quarta-feira não traz previsão de chuvas, e o calor deve retornar em São Paulo

Não há previsão de chuvas para esta quarta-feira (30) em São Paulo . O último dia de setembro começa com poucas nuvens e predomínio de sol durante a tarde. O Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas (CGE) divulgou que a mínima será de 18ºC e a máxima de 34ºC.

A umidade do ar em São Paulo volta a cair significativamente, com valores mínimos próximos dos 25%. 

Continue lendo

Nacional

Justiça suspende decisão de Salles que acabou com proteção a manguezais

Publicado


source
salles
Ricardo Salles / Twitter

Ricardo Salles, Frederico D’Ávilla e Jair Bolsonaro

A Justiça Federal do Rio de Janeiro suspendeu, nesta terça-feira (29), a extinção de duas resoluções do Conselho Nacional do Meio Ambiente, que é presidido pelo ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, que delimitavam as áreas de proteção permanente (APPs) de manguezais e de restingas do litoral brasileiro.

A decisão permitia a exploração comercial e imobiliária de regiões protegidas por determinações ambientais. “Tendo em vista o evidente risco de danos irrecuperáveis ao meio ambiente, defiro antecipação dos efeitos da tutela para suspender os efeitos da revogação apreciada na 135ª Reunião Ordinária do Conama”, escreveu a juíza Maria Amélia Almeida Senos de Carvalho.

A decisão tem caráter liminar e foi protocolada com a justificativa de que a ação do Conama “viola o direito constitucional a um meio ambiente ecologicamente equilibrado”.

Ao explicar a extinção das normas, governo havia dito que essas resoluções já não eram mais cumpridas na prática. Especialistas em meio ambiente apontaram, porém, que até hoje essas normas são aplicadas, porque são os únicos instrumentos legais que protegem, efetivamente, essas áreas. 

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana