conecte-se conosco


Política MT

Ex-governador diz que pesquisas o mostram como nome forte em Várzea Grande, mas legislação barra candidatura

Publicado

Júlio Campos não pode disputar a prefeitura por ser cunhado de Lucimar Campos [F – TV Cuiabá]

Os números de pesquisas internas do Democratas em Várzea Grande indicam que o nome do ex-governador e ex-senador Júlio José de Campos é o mais forte para a disputar a eleição de 2020 no município. Embora tenha a indicação de ser o nome mais forte, e gozar de boa aceitação com as maiores lideranças do DEM no Estado, o senador Jaime Campos e o governador Mauro Mendes, Júlio Campos, atualmente, está impedido pela legislação eleitoral de participar da disputa.

O motivo está no fato de a prefeita Lucimar Sacre de Campos (DEM), ser cunhada do ex-governador, isso o torna inelegível. “As pesquisas indicam que o nome mais forte para disputar a prefeitura é Júlio Campos, só que sou inelegível. A lei não me permite ser candidato em Várzea Grande, porque eu sou cunhado da prefeita e pela lei eleitoral parente até 2° grau, se for com consangüinidade ou afinidade, que é o meu caso, não pode disputar nenhum cargo em Várzea Grande”, explica o ex-senador que é uma das reservas do DEM mato-grossense.

Leia Também:  Primeira reunião ordinária da CPI da Previdência é realizada na ALMT

Porém, o nome de Júlio Campos na disputa, por outro lado, pode ser uma alternativa do DEM na falta de consolidação de uma candidatura forte na Cidade Industrial. Só que, para isso, a prefeita Lucimar Campos precisaria entregar o cargo para ao vice, José Aderson Hazama (PRTB), até o dia 4 de abril de 2020. Fontes do DEM garantem que essa possibilidade de a prefeita deixar o cargo está descartada.

O próprio ex-governador Júlio Campos não fala dessa possibilidade. Prefere argumentar que o candidato que a prefeita e cunhada apoiar nas próximas eleições será eleito. Segundo ele, a gestora tem a aprovação de mais de 80% da população. “A competência da prefeita e o sucesso da sua administração favorece muito a vitória do DEM em Várzea Grande, chega a ser de 80% a possibilidade da prefeita fazer seu sucessor”, diz o líder do Democratas.

Outro detalhe, conforme Júlio Campos, “é que a população quer a continuidade da administração da Lucimar, não quer voltar ao passado. Então, o povo de Várzea Grande analisa friamente o erro que cometeram naquele período nefasto de 2004 até 2015, pois foram nove anos de sofrimento”, disse.

Leia Também:  TJ declara greve dos professores ilegal e determina retorno às aulas em 72 horas

publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Política MT

Câmpus avançado da Unemat em Rondonópolis é aprovado

Publicado

Thiago Silva defende a Unemat na tribuna da AL-MT

Foto: Ronaldo Mazza

Em reunião realizada na quarta-feira (4), o Conselho Universitário da Unemat (Consuni) definiu a criação do câmpus avançado de Rondonópolis. Desta forma, o câmpus do município passa a responder administrativamente direto para a reitoria da universidade e não mais para o câmpus de Alto Araguaia. A informação foi dada em primeira mão pelo deputado estadual Thiago Silva e pela reitoria da Unemat. A Unemat em Rondonópolis até hoje funcionava como extensão do câmpus de Alto Araguaia, sem autonomia administrativa.

Thiago Silva é o autor do Requerimento 2859/219 para a criação do câmpus avançado e comemorou a maior autonomia dada para a universidade estadual no município.

“Sempre trabalhamos para a consolidação da Unemat em Rondonópolis e essa é mais uma conquista para nossos jovens. Já destinei para a construção da sede R$ 1,1 milhão e R$ 500 mil para a instalação de novos cursos, e continuaremos lutando para mais melhorias”, disse o parlamentar.

De acordo com o diretor político, pedagógico e financeiro da Unemat em Sinop, Roberto Arruda, o câmpus de Rondonópolis, criado hoje pelo Consuni, é o primeiro câmpus avançado da instituição, assim como foi criado em Lucas do Rio Verde. Com a decisão do Consuni, o município está dando mais um passo para o fortalecimento, a melhoria da estrutura e a chegada de novos cursos.

Leia Também:  Audiência pública discute federalização da Transpantaneira

Fonte: ALMT
Continue lendo

Política MT

Câmpus do IFMT em Confresa não tem título de regularização fundiária

Publicado

Intermediando a situação, o Delegado Claudinei e os representantes do Instituto estiveram reunidos nesta terça-feira (3) com o superintendente Regional do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA), em Mato Grosso

Foto: SANDRA LUCIA RODRIGUES COSTA

O câmpus do Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT) em Confresa não tem título de regularização fundiária definitiva, o que muitas vezes tem impedido mais investimentos do governo federal. Preocupados com a situação, o diretor de Políticas, Projetos e Articulação Institucional, Adriano Breunig, e o pró-reitor de Desenvolvimento Institucional do IFMT, João Germano Rosinke, procuraram o deputado estadual Delegado Claudinei (PSL) em busca de uma solução definitiva.

Intermediando a situação, o parlamentar e os representantes do instituto estiveram reunidos na terça-feira (3) com o superintendente regional do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) em Mato Grosso, Ivanildo Teixeira Thomas. Eles falaram sobre a conclusão do Processo Administrativo 54246.000137/2008-76, que trata da doação de uma área no Projeto de Assentamento Independente 1, no município de Confresa, com o objetivo de construir uma unidade do IFMT.

Leia Também:  Fim da Lei Kandir poderá gerar guerra fiscal e falência dos Estados; União deve R$ 450 milhões do FEX a MT

“O câmpus em Confresa já está instalado nesse assentamento há 10 anos e contamos com registro provisório junto ao Incra. Temos esse processo administrativo que corre aqui no Instituto de Terras, em que buscamos a escrituração do terreno que nos foi doado, porém ainda não efetivada essa doação”, explicou o diretor de Políticas Adriano Breuning, lembrando que o câmpus atende 1,3 mil alunos.

Na ocasião, o superintendente do Incra informou que o processo administrativo se encontra parado, pois a área, em questão do projeto de Assentamento Independente 1, foi judicializado. “Essa judicialização é que tem impedido a titularização definitiva dessa área. Vamos ver o que é possível fazer”, informou Ivanildo.

“Conseguirmos a titularização definitiva dessa área é de grande importância para os mais de 1,3 mil alunos que estudam na unidade de ensino. Isto porque muitos investimentos deixam de ser realizados por conta dessa questão jurídica da falta da regularização fundiária”, finalizou o deputado estadual Delegado Claudinei.

Incra Rondonópolis – Aproveitando a oportunidade, o superintendente do Incra pediu apoio do deputado estadual sobre a situação do Incra de Rondonópolis, que necessita de mais efetivo para continuar a desenvolver as atividades e atender a região. O deputado fará o encaminhamento da demanda.

Leia Também:  Primeira reunião ordinária da CPI da Previdência é realizada na ALMT

Fonte: ALMT
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana