conecte-se conosco


Internacional

Evo Morales chega ao México e denuncia golpe de Estado na Bolívia

Publicado

O avião das Forças Armadas mexicanas, que levou Evo Morales da Bolívia à Cidade do México, pousou às 14h20 de hoje (horário de Brasília). Ele chegou acompanhado de Álvaro García Linera, seu vice-presidente, que também renunciou ao mandato no último domingo, além de representantes do corpo diplomático mexicano.

O chanceler do México, Marcelo Ebrard, recebeu o ex-presidente boliviano na porta da aeronave. Morales acenou para a imprensa, desceu as escadas do avião, ajeitou os cadarços do sapato e se dirigiu aos jornalistas, onde fez o primeiro pronunciamento em solo mexicano.

Bolivia's ousted President Evo Morales waves during his arrival to take asylum in Mexico, in Mexico City, Mexico, November 12, 2019. REUTERS/Luis Cortes

Evo Morales chegou à Cidade do México e pediu que não haja mais derramamento de sangue na Bolívia   (REUTERS/Luis Cortes/Direitos reservados)

“Saudações, irmãos, agradeço a toda a delegação que nos acompanhou. Estamos com Álvaro García Linera. Após a vitória em primeiro turno, começou o golpe de Estado. Estamos há exatamente três semanas e, na última etapa, infelizmente, a polícia nacional se somou ao golpe. Queimaram tribunais eleitorais, atas, cédulas, sedes sindicais, casas de autoridades do MAS (Movimiento al Socialista, partido de Morales), saquearam e queimaram a casa da minha irmã, a minha casa em Cochabamba. Tentaram saquear minha casa, mas os vizinhos me defenderam. Muito obrigado, sou grato à defesa do povo”, afirmou Morales, sereno, vestindo uma camisa de mangas curtas e calças jeans.

Morales apela a todos os bolivianos

O ex-presidente da Bolívia afirmou ainda que pediu a toda a população boliviana que colabore para que não haja mais derramamento de sangue. E agradeceu ao presidente do México, que “me salvou a vida”. Segundo Evo Morales, no último dia 9, sábado, quando chegava a Cochabamba, um membro do Exército mostrou mensagens e chamadas que demonstravam um pedido para “entregá-lo em troca de 50 mil dólares”. “Por isso agradeço, pois me salvaram a vida”, disse.

Morales ainda afirmou que seguirá na política. “Chegamos aqui seguros graças ao México e suas autoridades. Enquanto eu estiver vivo, seguimos na política. Segue a luta e estamos seguros de que os povos do mundo têm todo o direito de serem livres. Pensei que tínhamos terminado com a humilhação, mas há grupos que não respeitam a vida e a pátria”.

“Meu pecado é que ideologicamente somos anti-imperialistas. Não vou mudar ideologicamente. Sempre trabalhei pelos setores mais humildes, diminuímos muito a pobreza e isso vem para fortalecer a luta dos povos. Muito obrigado”, finalizou.

Edição: Kleber Sampaio

Fonte: EBC Internacional
Leia Também:  Missão da OEA na Bolívia continuará observando contagem final de votos
publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Internacional

Homem invade hospital e mata seis pessoas na República Tcheca

Publicado

Seis pessoas morreram hoje (10) depois de terem sido alvejadas a tiros numa sala de espera de um hospital da cidade checa de Ostrava por um homem que ainda não foi identificado.

O primeiro-ministro Andrje Babis disse que os disparos foram efetuados por um homem, cuja identidade é ainda desconhecida, na sala de espera do hospital. O atirador disparou sobre pelo menos sete pessoas ao entrar no hospital.

O ministro do Interior, Jan Hamáček, confirmou que o tiroteio ocorreu no hospital universitário de Ostrava e, nas buscas para encontrar o suspeito em fuga, foram mobilizadas várias unidades especiais da polícia e um helicóptero. A operação de caça ao criminoso se estende por toda a República Tcheca.

Todos os acessos ao hospital, situado no campus da Universidade de Ostrava, estão fechados.

Em declarações à televisão checa CT24, um diretor do hospital afirmou que “o plano de emergência foi ativado. As instalações do nosso hospital estão fechadas e a polícia está no local desde o início do incidente”.

Edição:

Fonte: EBC Internacional
Leia Também:  Ataque a petroleiros: EUA divulgam possível prova contra o Irã
Continue lendo

Internacional

Incêndios florestais atingem a Austrália e elevam poluição urbana

Publicado

A região leste da Austrália e principalmente a cidade de  Sydney, estão hoje cobertas hoje (10) por uma nuvem de fumaça tóxico causada por incêndios florestais, alimentados por um clima “extremo”, segundo disseram as autoridades locais.

Em Sydney, a cidade mais populosa do país, os gases provocaram os disparos de detectores de incêndio, levando os bombeiros a ir a diversos prédios.

Pedestrians are seen wearing masks as smoke haze from bushfires in New South Wales blankets the CBD in Sydney, Australia, December 10, 2019. AAP Image/Steven Saphore/via REUTERS    ATTENTION EDITORS - THIS IMAGE WAS PROVIDED BY A THIRD PARTY. NO

Pedestres usam máscaras para reduzir efeitos da poluição em Sydney, Austrália   Reuters/Steven Saphore/Direitos Reservados

Uma regata foi interrompida pelos organizadores por conta das condições descritas como “muito perigosas”.

“A fumaça causada pelos incêndios é tão forte no porto que não se consegue ver nada, por isso é muito perigoso”, disse o porta-voz de Sydney Solas, Di Pearson.

Algumas ligações marítimas foram canceladas e, nas escolas, as crianças ficaram confinadas ao interior dos edifícios durante os intervalos.

O Departamento de Meteorologia australiano informou que a qualidade do ar em Sydney atingiu hoje um nível perigoso, em razão da densa camada de fumaça proveniente dos incêndios florestais.

“Os ventos fracos e a fumaça abundante diminuíram os níveis de visibilidade em Sydney e arredores e a qualidade do ar é agora considerada perigosa” para a saúde, disseram as autoridades australianas.

Além de Sydney, outras cidades como Camberra excederam os níveis de poluição, geralmente registrados em outras cidades asiáticas que acusam frequentemente níveis elevados de poluição, de acordo com o Índice Mundial de Qualidade do Ar.

No estado de New South Wales, cuja capital é Sydney, as autoridades registraram hoje 80 incêndios ativos, dos quais 35 estão sem controle.

Desde 1º de julho passado, os incêndios causaram seis mortos, destruíram centenas de casas e 13 mil quilômetros quadrados de terra em toda a Austrália.

Edição:

Fonte: EBC Internacional
Leia Também:  EUA estão preparados para dialogar com Irã “sem condições prévias”
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana